ASSINE

Caixa, Itaú e Banestes ampliam pausa na prestação da casa própria

Saiba como suspender as parcelas e ampliar a carência para pagar o financiamento imobiliário e quais as condições para que isso ocorra

Publicado em 16/07/2020 às 20h14
Atualizado em 17/07/2020 às 07h27
Imóvel, casa, financiamento imobiliário, economia
Imóvel, casa, financiamento imobiliário, economia. Crédito: Mohamed Hassan/Pixabay

Devido aos efeitos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus, alguns bancos estão ampliando a suspensão de pagamento das prestações dos financiamentos da casa própria.  De acordo com as instituições financeiras, como o Banestes, a Caixa e o Itaú, objetivo da medida é contribuir para amenizar os efeitos econômicos da pandemia, que fez com que as famílias perdessem renda.

Posteriormente, o Banestes anunciou a prorrogação de vencimento de contratos dos financiamentos imobiliários. De acordo com o banco, os clientes poderão solicitar o reparcelamento de operações de crédito para até 180 dias – sendo que inicialmente a suspensão era por até 60 dias. A medida vale para usuários que estejam com seus contratos em dia.

Ainda segundo o Banestes, a proposta estará sujeita à análise. "Se aprovada, os valores das prestações devidas serão incorporados ao saldo devedor do financiamento e haverá a cobrança proporcional dos juros para o período restante da operação. Na prática, isso significa que o cliente pagará os valores devidos no futuro, contribuindo para gerar liquidez imediata para garantir o cumprimento de outras obrigações de curto prazo", disse o banco, em nota.

A Caixa anunciou na última terça-feira (14) que pode prolongar a suspensão dos pagamentos das parcelas da casa própria para até 180 dias.  Inicialmente, o banco público permitiu a pausa dos pagamentos de financiamentos habitacionais por dois meses. A partir do dia 18 de maio, a pausa emergencial passou a valer para até quatro prestações (120 dias). Apesar de já estar definida, a medida ainda vai ser anunciada oficialmente pelo presidente Jair Bolsonaro.

Já o Itaú Unibanco prorrogou o período de pausa nas parcelas de empréstimos e financiamentos para até 120 dias para pessoas físicas. Inicialmente, o banco abriu a possibilidade do correntista suspender os pagamentos por até 60 dias, mas depois estendeu por mais 60 dias. Clientes com contrato em atraso de até 60 dias também podem solicitar a carência.

A reportagem também demandou o Sicoob, Santander e Banco do Brasil para saber sobre a prorrogação. Por nota, o Sicoob informou que cada caso está sendo tratado individualmente. O Banco do Brasil não respondeu.

Já o Santander respondeu que, até o momento, não vai prorrogar, mas que acompanhará as demandas dos clientes. De acordo com o banco, em março, foi realizada a primeira prorrogação de pagamentos de parcelas por mais 60 dias. Nessa primeira fase, mais de 55 mil contratos que foram prorrogados. Depois, o prazo foi estendido por mais 60 dias e, nesse período, ocorreu uma queda de 70% no número de pedidos.

COMO SOLICITAR A PRORROGAÇÃO DO FINANCIAMENTO

Banestes

Os clientes poderão solicitar o reparcelamento em até 180 dias. A proposta será analisada pela equipe do banco e, se aprovada, os valores das prestações devidas serão incorporados ao saldo devedor do financiamento e haverá a cobrança proporcional dos juros para o período restante da operação. 

Para realizar a negociação, basta entrar em contato com o seu gerente, por meio dos canais oficiais de atendimento, ou ir até uma agência do Banestes.

Caixa

Inicialmente, a Caixa permitiu a pausa dos pagamentos de financiamentos habitacionais por dois meses. Hoje, a pausa emergencial vale para até quatro prestações (120 dias).

Para solicitar, é preciso estar com o contrato em dia ou com atraso inferior a 180 dias na data do pedido da pausa. A solicitação pode ser feita pelo App Habitação Caixa, ligando para 3004-1105 (capitais) e 0800 726 0505 (demais cidades), opção 7. Clientes pessoa física que já estavam com contrato em pausa tiveram a renovação automática por mais 30 dias. Já os clientes pessoa jurídica devem solicitar essa prorrogação.

Itaú Unibanco

O prazo final do contrato permanece inalterado e as parcelas serão incorporadas ao saldo devedor, fazendo com que as parcelas remanescentes aumentem. De acordo com o banco, durante o período de carência, haverá a incidência de juros no mesmo percentual contratado e não há cobrança de multa e IOF.

Para realizar sua solicitação de carência, entre no site do banco, clique em “solicite aqui” e preencha seu cadastro. Em seguida, o pedido passará por uma análise, verificando se está dentro das condições vigentes. O cliente receberá em até 10 dias um e-mail com a confirmação ou negativa da solicitação.

Ainda segundo o Itaú, para os contratos em dia, caso a parcela atual do contrato vença em um período de até 3 dias úteis antes da solicitação de carência de 120 dias, a carência irá refletir apenas na parcela do próximo mês,

A Gazeta integra o

Saiba mais
Banestes Caixa Econômica Federal Banco Central imóveis Bradesco Itaú Unibanco SICOOB Mercado imobiliário

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.