ASSINE

“Grande parte dos hospitais particulares não têm mais vagas de UTI”, diz Casagrande

A escassez de leitos atinge, segundo Renato Casagrande, não só a rede pública, mas também a iniciativa privada; ele fez um alerta para que a população fique em casa e cumpra a quarentena

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 23/03/2021 às 20h30
Atualizado em 23/03/2021 às 20h31
Leiros
Novos leitos de UTI abertos no Hospital Estadual São José do Calçado. Crédito: Hélio Filho/Secom

Os hospitais privados do Espírito Santo já não possuem mais leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar os pacientes com a Covid-19. O alerta foi feito pelo governador Renato Casagrande, que destacou ainda que a pressão por vagas nesta modalidade de internação também é grande na rede pública. E para piorar o cenário, destaca que os profissionais de saúde que atuam nos dois segmentos já estão esgotados.

A escassez de leitos de UTI é um dos reflexos do acirramento da pandemia. Um exemplo foi o recorde desta terça-feira (23), quando foram registrados 72 óbitos pela Covid-19. Foi quase uma morte a cada 20 minutos no Espírito Santo nas últimas 24 horas. É a maior quantidade de vidas perdidas de toda a pandemia. Até então, o recorde pertencia ao dia 22 de junho do ano passado, com 59 óbitos. O Estado chegou ao patamar de 7 mil vidas perdidas na pandemia. Exatamente 7.053.

Em entrevista nesta terça-feira (23), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, informou que estão internados em vários hospitais públicos pessoas que possuem planos de saúde ou condições de pagar unidades privadas. “São pacientes com planos de saúde, pessoas de classes sociais A e B, alguns que estavam em atividades turísticas no Espírito Santo, que foram contagiados e que não conseguiram nem internação e nem remoção para grandes hospitais privados de São Paulo que são referências no Brasil, e nem mesmo vagas nos hospitais privados do Espírito Santo”, relatou.

Também tem sido frequentes, segundo o secretário, a prospecção por vagas de UTI nos hospitais públicos. São familiares de pacientes que estão há muito tempo aguardando vagas em unidades privadas e sem perspectiva de consegui-las. “A crise é de todos. A pressão está sendo simultânea sobre a rede privada, filantrópica e pública”, assinala Nésio.

ABERTURA DE LEITOS NÃO ACOMPANHA RITMO DA DOENÇA

Em pronunciamento no final da tarde desta terça-feira (23), o governador observou que mesmo com a abertura constante de novos leitos de UTI nos hospitais públicos, o número de internações tem sido ainda maior.

Nos primeiros 23 dias de março já foram abertos 94 novos leitos. O Estado passou de 724 leitos exclusivos para UTI para 818. No mesmo período foram internados 222 pacientes a mais. Eram 525 internações no dia 1º e nesta dia 23 o total chegou a 747.

"Pedimos para que você se recolha, fique em casa. É muito duro chegar ao fim do dia e ver que 72 pessoas perderam a vida. É bom que tenhamos empatia para não fracassarmos como sociedade e podermos reduzir óbitos e internações", disse Casagrande.

Nesta segunda-feira (22) foram abertas 20 novos leitos no Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), o antigo São Lucas. E ainda mais 7 vagas da mesma modalidade no Hospital Vitória. Para esta quarta-feira (24) está prevista a inauguração de mais algumas unidades na Santa Casa de Misericórdia de Vitória.

Nésio acrescentou que os hospitais e os novos leitos têm o objetivo de acolher com dignidade pacientes que estão com a doença. “Os hospitais são resistências, são para acolher o último suspiro das pessoas. Mas o que queremos é que a sua vida seja preservada, por isto não se exponha o risco. Protejam-se, cuidem-se”, alertou.

HOSPITAIS PÚBLICOS SEM VAGAS DE UTI

O Painel Ocupação de Leitos Hospitalares, ferramenta da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) aponta que 14 hospitais - entre públicos, privados e filantrópicos -, já estavam com todos os leitos de UTI exclusivos para Covid-19 ocupados. Na segunda-feira (22) estavam nesta condição 11 hospitais.

Nesta terça-feira (23), das 818 vagas, há apenas 71 disponíveis. A taxa de ocupação chegou a 91,32%. Confira os hospitais onde não há mais leitos de UTI:

  1. HOSPITAL ESTADUAL ALCEU MELGAÇO FILHO
  2. HOSPITAL ESTADUAL ROBERTO ARNIZAUT SILVARES
  3. HOSPITAL RIO DOCE
  4. HOSPITAL MATERNIDADE SÍLVIO AVIDOS
  5. SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE COLATINA
  6. HOSPITAL EVANGÉLICO DE VILA VELHA
  7. HOSPITAL SANTA RITA DE CÁSSIA 
  8. HOSPITAL SÃO CAMILO 
  9. HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO DE MORAES (HUCAM)
  10. HOSPITAL VITÓRIA
  11. SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE VITÓRIA
  12. VILA VELHA HOSPITAL
  13. HOSPITAL EVANGÉLICO DE ITAPEMIRIM 
  14. SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM

Em relação à ocupação geral de leitos, com vagas para pacientes de coronavírus e também de outras doenças, em nove unidades hospitalares já não haviam vagas em UTI. Confira as unidades onde não existem mais vagas de UTI para todas as doenças:

  1. HOSPITAL ESTADUAL ALCEU MELGAÇO FILHO
  2. HOSPITAL ESTADUAL ROBERTO ARNIZAUT SILVARES
  3. HOSPITAL RIO DOCE
  4. SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE COLATINA
  5. HOSPITAL SÃO CAMILO 
  6. HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTONIO DE MORAES (HUCAM)
  7. HOSPITAL VITÓRIA
  8. VILA VELHA HOSPITAL
  9. HOSPITAL EVANGÉLICO DE ITAPEMIRIM 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.