ASSINE

Petrobras conclui venda de três campos terrestres no Norte do ES

Empresa capixaba Imetame recebeu financiamento de R$ 40 milhões do Bandes e Banestes para compra do Polo Lagoa Parda, em Linhares

Publicado em 30/09/2020 às 22h07
Data: 06/12/2019 - ES - Linhares - Estação de tratamento de petróleo da Petrobras Fazenda Alegre
Produção de petróleo em campo terrestre. Crédito: Carlos Alberto Silva

Petrobras informou na noite desta quarta-feira (30) que concluiu a venda dos campos terrestres do Polo Lagoa Parda, em Linhares, Norte do Estado, para a empresa capixaba Imetame Energia, que terá o direito à exploração e produção no polo. Esse era um dos ativos da petroleira em desinvestimento na Bacia do Espírito Santo.

operação, iniciada em outubro de 2019, foi concluída com o pagamento de US$ 9.441.586,10 (cerca de R$ 49 milhões) para a Petrobras, já com os ajustes previstos no contrato. O valor recebido no fechamento se soma ao montante de US$ 1.405.869,90 pagos à Petrobras na assinatura do contrato de venda.

Em julho, a Imetame conseguiu um crédito de R$ 40 milhões para pagar pela aquisição, por meio de um consórcio formado pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) e pelo Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes). Cada banco entrou com R$ 20 milhões em financiamentos.

As reservas adquiridas pela empresa somam um total de 2,51 milhões de barris de petróleo e 55 milhões de metros cúbicos de gás natural, com a garantia de venda da produção para a própria Petrobras. A produção média do polo de janeiro a agosto de 2020 foi de aproximadamente 113,5 barris de óleo por dia (bpd) e 1,7 mil m³/dia de gás natural.

O polo compreende três campos terrestres em produção – Lagoa Parda, Lagoa Parda Norte e Lagoa Piabinha, ao sul da foz do Rio Doce. A estimativa é que, ao longo do projeto, sejam gerados mais de R$ 100 milhões em arrecadação de tributos e royalties de petróleo.

O novo bloco adquirido junto à Petrobras é composto de poços maduros, ou seja, poços que já estão em produção e, a partir da homologação da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a produção já gera receita para empresa. Com os novos investimentos da empresa, a expectativa é que a produção do campo cresça e que sejam criados novos empregos locais.

Segundo a estatal, a operação está alinhada a sua estratégia de otimização de portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas (pré-sal).

OPORTUNIDADE DE NOVOS NEGÓCIOS NA REGIÃO

De acordo com a gerente executiva de Gestão de Portfólio da Petrobras, Ana Paula Saraiva, a venda de Lagoa Parda tem grande importância para a empresa. “A gestão de portfólio está focada no futuro da Petrobras. Com a venda dos campos do polo Lagoa Parda damos mais um passo na estratégia de focar recursos em ativos mais rentáveis para a companhia”.

Para o diretor operacional da Imetame, Giuliano Favalessa, os desinvestimentos da Petrobras trazem para a indústria, especialmente a onshore, expectativas com oportunidades de novos negócios que são importantes do ponto de vista econômico e social. “Novas empresas podem assumir esses ativos com mais flexibilidade e visão de desenvolvimento, além de novos fornecedores e prestadores de serviço”, ressaltou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.