ASSINE

Novos negócios movimentam 1,2 bi e devem abrir 4.370 empregos no ES

Entre a chegada de novas empresas e expansão de outros empreendimentos, há investimentos previstos em áreas como indústria, logística e varejo, a partir de julho

Tempo de leitura: 5min
Vitória
Publicado em 02/07/2022 às 09h08

O Espírito Santo deve receber, nos próximos anos, mais de R$ 1,26 bilhão em investimentos com a chegada de novas empresas e expansão de outros empreendimentos, em áreas como indústria, logística e varejo. A previsão é de que pelo menos 4.370 empregos sejam criados.

Suzano, por exemplo, investirá cerca de R$ 600 milhões na construção de uma fábrica de papel tissue e conversão em Aracruz. A unidade terá capacidade para produzir 60 mil toneladas anuais de tissue, e a previsão é de que o projeto saia do papel em dois anos, gerando 300 postos de trabalho durante as obras e 200 após conclusão.

O Grupo Coutinho, dono das redes Extrabom, Extraplus e Atacado Vem, anunciou um investimento de R$ 28 milhões na expansão de seus negócios no Estado nos próximos três anos. Serão criadas mais de 1.180 vagas de empregos no período, para trabalhar em novas lojas e também na ampliação do centro de distribuição.

Estão sendo investidos mais de R$ 260 milhões na implantação da nova unidade industrial da da Perfilados Rio Doce
RDG Aços do Brasil: estão sendo investidos mais de R$ 260 milhões na implantação da nova unidade industrial da da Perfilados Rio Doce . Crédito: Hélio Filho/Secom

Para as obras do complexo logístico, por exemplo, serão contratados 80 trabalhadores. O investimento será na ordem de R$ 20 milhões e contemplará a expansão do armazém logístico, que passará de 14 mil m² para 22 mil m², atualizando o volume de docas de 26 para 42. Para a compra de novos equipamentos, será necessário ainda um aporte de R$ 8 milhões.

Essas instalações devem entrar em operação em fevereiro de 2023. Além disso, a rede de supermercados deve abrir oito novas lojas até 2025, totalizando 1.100 novos postos de trabalho.

Outro investimento previsto é do grupo paranaense Hübner, especialista no mercado automotivo, que pretende instalar um parque industrial em Linhares, na Região Norte do Estado. O valor estimado do investimento é de R$ 170 milhões, com expectativa de geração de 550 postos de trabalho na região. Em abril, a empresa assinou um protocolo de intenções visando à realização de análises e estudos para instalação e operação da fábrica. Prazos não foram informados.

A RDG Aços do Brasil também está investindo no Estado. Serão aplicados mais de R$ 260 milhões na implantação da nova fábrica da Perfilados Rio Doce (PRD) no bairro Jacuhy, na Serra. As obras já estão em andamento e a estimativa é de geração de 100 empregos na fase de construção e de mais 240 empregos diretos na etapa de funcionamento.

O Grupo Arezzo&Co, gigante do vestuário brasileiro, dona de marcas como Schutz, Anacapri e Vans, vai transferir em agosto seu centro de distribuição para um espaço mais amplo, de 80 mil m2, na Rodovia do Contorno, em Cariacica. O investimento total estimado é de R$ 200 milhões, conforme relevou o colunista de A Gazeta, Abdo Filho.

Quem também ocupará um novo centro de distribuição na Grande Vitória será o Grupo Elfa, especializado na distribuição de itens farmacêuticos e medicamentos genéricos do país. As operações no Estado terão início em julho, quando será inaugurado o novo centro logístico no Terminal Industrial e Multimodal da Serra (TIMS), na Rodovia do Contorno, em Carapina, na Serra. O valor do investimento não foi informado.

A empresa de origem paraibana distribuirá genéricos e medicamentos similares de cerca de 19 fabricantes de remédios - nesta conta, estão incluídos ainda fabricantes de equipamentos hospitalares.

Também há investimentos da Vale. As obras de melhorias ambientais da mineradora vão criar até 1,8 mil empregos ao longo de 2022 no Espírito Santo, segundo estimativa da própria empresa.

Entre as intervenções, estão previstas a construção de galpões de fechamento em pátios de estocagem de minério, instalação de wind fences (espécies de barreiras que diminuem a velocidade do vento) e de canhões de névoa.

As oportunidades de emprego são para diversas áreas, como engenheiro, oficial polivalente, armador, carpinteiro, mestre de obras, encarregado, eletricista, mecânico, soldador, montador de andaime e encanador industrial, entre outros. As contratações estão sendo feitas pelas empresas responsáveis pelas obras, conforme a demanda.

Já a Natufert, fábrica de fertilizantes sediada em Ibatiba, fará um investimento de R$ 7 milhões em seu espaço de armazenagem, para que possa ampliar a produção até 2023. A capacidade de estocagem da empresa, hoje em 10 mil m3, passará a 15 mil m3.

Centro de Distribuição do Grupo Coutinho - Rede Extrabom, em Civit I, na Serra
Centro de Distribuição do Grupo Coutinho - Rede Extrabom, em Civit I, na Serra. Crédito: Divulgação/Grupo Coutinho

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Ricardo Pessanha, observa que a conjuntura econômica do Espírito Santo, que há dez anos conta com selo máximo do Tesouro Nacional em capacidade de pagamento, é um dos fatores que pesam na decisão dos empresários ao buscar um local para investir, entretanto, não é o único.

“Há um certo consenso do mercado que o Espírito Santo vive um momento diferenciado do ponto de vista social, político e econômico, em relação ao restante do país. Nosso Estado tem crescido além da média nacional, temos melhores índices de desenvolvimento do que a média nacional. Essa soma de fatores faz com que os empresários, ao estudarem alternativas de locais para investimentos, coloquem o Estado entre as primeiras opções.”

Pessanha observa ainda que os incentivos fiscais existentes também contribuem nesse sentido, além da vocação logística capixaba. “É todo um conjunto que hoje faz com que o Espírito Santo seja efetivamente a bola da vez quando os empresários procuram um lugar para investir. Existem grandes planos de investimento, sobretudo na área industrial e na área logística, de Norte a Sul do Estado.”

O diretor de Integração do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Lira, observa ainda que a ampliação da área de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), por meio da qual o governo federal concede benefícios fiscais para empresas que se instalam nesses locais, deve contribuir para que o Estado continue a receber cada vez mais investimentos, gerando emprego e renda.

“Há uma sinergia da atuação do governo do Estado, junto com os segmentos produtivos, representados pelas federações, a exemplo da Findes (indústria), para atrair esses investimentos, o que, combinada ao equilíbrio das contas públicas, à transparência e à abertura econômica capixaba, contribui para o surgimento contínuo de novos negócios. Temos alguns gargalos logísticos, a exemplo das rodovias, mas o Espírito Santo está muito bem localizado no Sudeste e está em posição de vantagem.”

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Núcleo ag abertura de empresas empresas Negócios

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.