ASSINE

Rede estadual discute volta às aulas presenciais no ES em agosto

Diretores de escolas estaduais já conversam com suas equipes sobre as propostas que deverão ser adotadas

Publicado em 22/06/2020 às 09h34
Atualizado em 22/06/2020 às 17h30
Sedu, professor
Sedu está fazendo planejamento para o retorno das atividades presenciais. Crédito: Sedu/Divulgação

ATUALIZAÇÃO: Esta matéria foi atualizada às 16 horas com a resposta da Secretaria de Estado da Educação (Sedu) sobre a discussão do plano com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes).

Com as aulas presenciais suspensas desde março devido à pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) está fazendo o planejamento para a retomada das atividades. A rede discute propostas e a previsão é que o retorno nas escolas seja apenas em agosto.

Para o próximo mês, o plano prevê que as atividades remotas passem a ser consideradas como dias letivos, o que hoje não é contabilizado. A partir de agosto, as atividades seriam retomadas no ambiente escolar durante a semana. E, para reposição, estão planejadas aulas aos sábados, mas no modelo virtual. Dessa maneira, seria possível concluir o ano letivo em janeiro de 2021.

As propostas já estão sendo discutidas por diretores escolares com suas equipes, mas ainda serão debatidas com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sindiupes) na próxima quarta-feira (24).

Diretor da entidade, Christovam Mendonça diz que, até o momento, o sindicato não foi ouvido para a construção do planejamento de retomada. "Existe uma possibilidade na próxima semana de conversarmos, ou seja, iniciar a conversa. Mas, se o governo vier com a receita pronta, com o tabuleiro todo montado e pronto, não vamos aceitar." Christovam reclama que, no debate, estavam sendo envolvidos representantes de entidades que não estão relacionadas com a educação pública. 

A Sedu foi procurada para se manifestar sobre o planejamento, mas a assessoria informou que o órgão só vai apresentar um posicionamento quando o plano estiver concluído. 

No início do mês, o secretário Vitor de Angelo já havia sinalizado com a possibilidade de retorno em agosto, e na ocasião falou que atividades remotas poderiam mesmo ser consideradas como aula letiva, por ser um cenário muito factível, simples de implementação e de as pessoas aceitarem.

"Outras opções para cumprirmos o calendário seriam estender a carga horária diária e avançar para 2021, o que é menos aceitável pelas pessoas", apontou. O secretário também já falou que a definição sobre o retorno depende de autorização da área da saúde, com análise do cenário vigente sobre o comportamento da Covid-19 no Estado.

REUNIÃO COM SINDICATO

Quanto à manifestação do Sindiupes, a assessoria da Sedu destaca que, na próxima quarta, o encontro faz parte da agenda bimestral da secretaria com o sindicato e, a princípio, não está previsto tratar do plano de volta às aulas, embora o assunto possa entrar em pauta.

A assessoria da Sedu ressalta, ainda, que a reunião para o planejamento do retorno foi feita há 15 dias, mas o Sindiupes optou em não participar. No encontro, porém, havia representações de outras entidades e órgãos, como a Associação de Diretores de Escolas (Adires), Ministério Público, Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Espírito Santo (Sindipúblicos), Ifes, Conselho Estadual de Educação (CEE), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e Sindicato das Empresas Particulares de Ensino (Sinepe). 

Na rede particular, as escolas já estão fazendo as adaptações, com protocolos de saúde, na expectativa de retomar as atividades presenciais a partir do mês que vem, ainda que de maneira gradual. A Sedu também não revelou as medidas de segurança para quando os alunos voltarem para as escolas. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.