ASSINE

Secretários de Casagrande declaram apoio a candidatos na Grande Vitória

Embora o governador não apareça nos palanques dos candidatos a prefeito que disputam o segundo turno das eleições de 2020, membros do primeiro escalão do governo têm se posicionado publicamente

Publicado em 26/11/2020 às 12h18
Atualizado em 26/11/2020 às 19h00
Casagrande e seu secretariado no início do ano
Casagrande e seu secretariado no Palácio Anchieta: equipe do governo tem marcado posição na disputa municipal. Crédito: Bernardo Coutinho

Apesar do silêncio do governador Renato Casagrande (PSB) sobre os candidatos que disputam o segundo turno nas cidades da Grande Vitória, os secretários do governo do Estado têm se movimentado e manifestado, dentro e fora dos bastidores, em apoio a alguns nomes que tentam chegar às prefeituras de Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra.

Seja por meio de aparições na propaganda eleitoral, ou em declarações nas redes sociais, nas articulações internas ou nas agendas partidárias, os titulares das pastas têm marcado posição, e é a eleição em Vitória que atrai mais a atenção do primeiro escalão.

Os apoios também têm tido muita relação com a posição adotada pelo PSB, partido de Casagrande, que decidiu orientar sua militância a votar, no segundo turno, em João Coser em Vitória;  em Sergio Vidigal (PDT) na Serra e em Max Filho (PSDB) em Vila Velha, que é o único caso em que o PSB formalmente faz parte da coligação.

Em Cariacica, a Executiva decidiu liberar os filiados a se posicionarem como acharem melhor, já que dirigentes têm preferência por Euclério Sampaio (DEM), mas a militância local do PSB tem maior afinidade com Célia Tavares (PT).

VITÓRIA

Lorenzo Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT)
Lorenzo Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT) disputam a Prefeitura de Vitória. Crédito: Vitor Jubini

Na Capital, pelo menos seis secretários do governo já decidiram declarar apoio publicamente à candidatura de João Coser (PT). Alguns deles, no primeiro turno, chegaram a pedir votos para o candidato derrotado Fabrício Gandini (Cidadania) e, agora, têm afirmado que consideram o petista o candidato que possui o projeto mais alinhado ao do governo.

Esse foi o caso do secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes. Após ter apoiado Gandini, o secretário, que é filiado ao PCdoB, primeiramente demonstrou publicamente divergências com o candidato Lorenzo Pazolini (Republicanos), em relação às declarações do deputado sobre a relação a visita dele e de outros parlamentares ao Hospital Dório Silva, na Serra, em junho deste ano.

Depois disso, nesta quarta-feira (25), Nésio publicou uma selfie com João Coser no Twitter, com a legenda: "Vou descrever a imagem: é tempo de #fé #esperança #experiencia #TrabalhadoresDoSUScomJoãoCoser". 

Também titular de uma das maiores pastas do governo, o secretário estadual de Educação, Vitor de Ângelo, gravou vídeo pedindo voto a Coser. "O que nos une em torno da candidatura de João Coser a prefeito de Vitória é a certeza de que neste segundo turno é o único candidato com condições de construir a Vitória que queremos, cidade mais justa, igualitária, inclusiva e plural", disse.

Nesta quinta-feira (25), o PSB de Vitória vai realizar uma plenária com a presença desses e outros secretários para reforçar o apoio ao petista. Teve a presença confirmada, inclusive, a vice-governadora, Jaqueline Moraes (PSB). Também participam os secretários de Direitos Humanos, Nara Borgo; de Cultura, Fabrício Noronha; e de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno. Este, inclusive, já foi secretário de Coser na Prefeitura de Vitória.

A quantidade de secretários mobilizados para o apoio ao petista teve a ver com o fato de serem eleitores da cidade de Vitória e terem recebido o aval de Casagrande para se posicionar, como explicou o secretário Vitor de Ângelo. "A mim, o governador deixou livre para manifestar meu voto e, por isso, o fiz. Não houve uma orientação específica. Minha posição é do ponto de vista de um cidadão, que ocupa um cargo em que consigo ver um panorama, e que me sinto obrigado a dizer o que considero melhor para a cidade", afirmou.

Lorenzo Pazolini (Republicanos) ainda não recebeu nenhum apoio de governistas. Opositor do governo Casagrande na Assembleia Legislativa, o deputado está mais próximo do grupo partidário do presidente do Legislativo estadual, deputado Erick Musso (Republicanos), do deputado federal Amaro Neto (Republicanos), do diretor-geral da Assembleia, Roberto Carneiro (Republicanos), e do atual prefeito de Colatina, Sérgio Meneguelli (Republicanos), entre outros, que têm projeto próprio de poder e crescimento político no Estado.

CARIACICA

Em Cariacica, embora os filiados ao PSB estejam liberados para se posicionar em relação a qualquer um dos dois candidatos, Célia Tavares (PT) ou Euclério Sampaio (DEM), é com a candidatura do deputado estadual que alguns secretários estão mais envolvidos. A vitória dele pode ser vantajosa para o governo, pois, além de eleger um aliado, a vaga na Assembleia tem como suplente o ex-deputado Freitas (PSB).

Euclério Sampaio (DEM) e Célia Tavares (PT) são os candidatos à Prefeitura de Cariacica no 2º turno
Euclério Sampaio (DEM) e Célia Tavares (PT) são os candidatos à Prefeitura de Cariacica no 2º turno. Crédito: Ricardo Medeiros

Secretários do núcleo político do governo, como o de Governo, Tyago Hoffmann, e o chefe da Casa Civil, Davi Diniz, são nomes que têm apoiado Euclério abertamente. 

Davi, inclusive, apareceu em um vídeo divulgado nesta quinta-feira (26) pedindo votos para o candidato. "Deputado Euclério Sampaio é um deputado aguerrido, batalhador e, junto com o governo, com o governador Renato Casagrande, sempre busca melhorias, investimentos e obras para a cidade de Cariacica. Por isso, no próximo domingo, vote Euclério Sampaio", afirmou Davi Diniz.

Além disso, há o secretário estadual de Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho, que está colaborando com a campanha do demista. No primeiro turno, o secretário também apoiou Gandini, em Vitória.

Embora não esteja recebendo o apoio de secretários como seu companheiro de partido, João Coser, Célia Tavares não é considerada adversária do governo, assim como sua eventual vitória não significaria atritos com a esfera municipal. Ao contrário, Casagrande se dá muito bem com o deputado federal e ex-prefeito Helder Salomão (PT), principal aliado na candidatura de sua ex-secretária de Educação em Cariacica. O PSB, historicamente, se relaciona bem com o PT.

VILA VELHA

Na única cidade em que o partido do governador está, oficialmente, na coligação de um candidato que disputa o segundo turno, que no caso é Max Filho (PSDB), que tenta a reeleição, as manifestações do secretariado têm sido pontuais. 

Vila Velha: Arnaldinho Borgo e Max Filho escolheram a mesma região, Grande Terra Vermelha
Vila Velha: Arnaldinho Borgo e Max Filho durante campanha eleitoral na Grande Terra Vermelha. Crédito: Divulgação

Até o momento, coube ao secretário estadual de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, Marcus Vicente (PP), reforçar a campanha do atual prefeito. Ele chegou a aparecer em um episódio da propaganda eleitoral de Max, no primeiro turno.

Marcus Vicente é presidente estadual do PP, partido de Jorge Carreta, que é vice de Max. No vídeo divulgado pela campanha do prefeito, o secretário declarou que "é essa parceria que ajuda a construir o futuro de Vila Velha''.

Na reta final do primeiro turno, Max tentou explorar o discurso sobre sua relação com o governo do Estado e as possibilidades de parceria. Mas mesmo com o PSB integrante de sua chapa, não houve outras manifestações de líderes palacianos para ajudar o tucano. 

Isso leva em conta que o adversário de Max, Arnaldinho Borgo, está agora no Podemos, partido que faz parte da base aliada do governo e que tem como uma das principais lideranças o prefeito de Viana, Gilson Daniel (Podemos), que é próximo a Casagrande.

SERRA

Na Serra, até o momento, não houve nenhuma manifestação do secretariado de Casagrande a favor de algum dos dois candidatos. O PSB, que no primeiro turno tinha a candidatura de Bruno Lamas (PSB), orientou a militância a apoiar Sergio Vidigal (PDT). 

Fabio Duarte (Rede) e Sergio Vidigal (PDT) são os candidatos na Serra
Fabio Duarte (Rede) e Sergio Vidigal (PDT) são os candidatos na Serra. Crédito: Fernando Madeira

Pessoalmente, Bruno Lamas afirmou que se manteria neutro na disputa entre Vidigal e o candidato da Rede, o vereador Fabio Duarte, que é apoiado pelo atual prefeito, Audifax Barcelos.

"Diante do pedido do governador do Estado, como líder deste grupo, quero pedir que vocês votem no candidato do 12, Sergio Vidigal. Assim, estou atendendo a um pedido da Executiva regional do PSB. Eu, porém, me mantenho neutro. Se o diálogo da comissão com o candidato for respeitoso, posso rever a posição", declarou Bruno.

Entre os dois candidatos, Vidigal é mais próximo do governador do que o redista. Enquanto o PDT, presidido por Vidigal no Espírito Santo, inclusive faz parte do governo, uma vitória do candidato da Rede fortalecerá politicamente Audifax, que pode disputar o governo do Estado com Casagrande em 2022. 

Atualização

26 de Novembro de 2020 às 18:57

Após a publicação desta reportagem, o secretário chefe da Casa Civil do governo do Estado, Davi Diniz, declarou apoio expresso ao candidato a prefeito de Cariacica Euclério Sampaio, com a gravação de um vídeo. O texto foi atualizado com essa informação. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.