ASSINE

Pesquisa Ibope: saúde é a área mais problemática para os eleitores de Colatina

A saúde foi mencionada por 63% dos eleitores da cidade. Geração de emprego foi citada por 37% como a questão mais problemática

Vitória
Publicado em 24/10/2020 às 17h27
Pesquisa Ibope - Colatina - Saúde
Saúde foi citada por 63% dos entrevistados como o principal problema de Colatina em pesquisa Ibope. Crédito: Arte Geraldo Neto

As duas áreas mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus, saúde e economia, estão também entre as principais preocupações dos eleitores de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo. É o que apontou a pesquisa Ibope realizada no município a pedido da Rede Gazeta. Para 63% dos entrevistados, a saúde é a área mais problemática do município, seguida pela geração de emprego, apontada por 37%.

Os entrevistados podem citar mais de uma área problemática, elencando-as em 1º, 2º e 3º lugares. Por isso, a soma das porcentagens ultrapassa 100%.

A saúde é a principal preocupação dos que possuem menos escolaridade e ganham até dois salários mínimos, sendo apontada por 66% dos que estudaram até o ensino fundamental e 58% dos que têm ensino superior. Já no recorte de renda, a saúde foi citada por 65% dos que recebem até um salário e 70% dos que recebem entre um e dois salários.

Essa também foi a área mais citada por mulheres, lembrada por 71% delas e 55% dos homens.

Desta lista de áreas onde as pessoas vêm enfrentando problemas de maior ou menor gravidade, por favor, diga qual é a área em que, na sua opinião, a população de Colatina está enfrentando os maiores problemas. (1º + 2º + 3º lugares)

Já a geração de emprego preocupa, principalmente, os mais jovens: 47% dos que têm entre 16 e 24 anos citaram essa como a área mais problemática do município. Dentre os que se preocupam com a questão, 42% cursaram o ensino superior.

A preocupação dos eleitores se dá no cenário de pandemia, em que Colatina ocupa a sexta colocação no ranking de maior número de casos de Covid-19 no Estado, com 6.775 diagnósticos positivos e 132 óbitos. Durante a pandemia, o governo do Estado chegou a cogitar construir um hospital de campanha no município, o que não aconteceu.

Hospital Sílvio Avidos foi referência para o tratamento de pacientes contaminados pelo coronavírus no Noroeste. Tanto essa unidade quanto a Santa Casa de Misericórdia ganharam novos leitos de UTI desde o início da pandemia.

Na área da economia, o efeito da pandemia também foi forte. O Estado já chega a 253 mil desempregados e a taxa de desemprego atingiu 12,9% em setembro, a maior desde 2017, de acordo com o IBGE.

As duas áreas se destacam, também, em todos os segmentos de avaliação da atual gestão. Entre os que consideram a administração de Meneguelli boa ou ótima, 59% apontam a saúde o maior problema da cidade e 37% a geração de emprego. Já entre os que consideram a administração municipal ruim ou péssima, 55% citaram a saúde e 41% a geração de emprego.

SEGURANÇA NÃO ESTÁ ENTRE OS TRÊS PROBLEMAS MAIS CITADOS

A preocupação com a Saúde foi detectada na maioria das cidades onde a pesquisa Ibope foi realizada. Em Colatina, no entanto, diferentemente de outros municípios, tanto na Grande Vitória quanto em Cachoeiro de Itapemirim, a segurança pública não ocupa os primeiros lugares do ranking.

Antes de apontar a segurança como uma área problemática, os colatinenses lembraram mais de educação (27%), transporte coletivo (24%) e impostos e taxas, que empata com a segurança com 15% da menções.

A área foi mais citada pelos mais velhos, mas ainda assim com índices mais baixos. Foram 19% dos que tem mais de 55 anos que listaram como uma de suas preocupações. A menção também esteve mais presente entre os que tem curso superior: 18%.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.