ASSINE

ES inicia reversão de leitos Covid-19 para pacientes com outras doenças

O governador Renato Casagrande anunciou a mudança na tarde desta quarta-feira (5), pelas redes sociais. Mais de 600 vagas destinadas à pandemia estão livres

Publicado em 05/05/2021 às 14h55
Leitos leitos exclusivos para o atendimento de pacientes com novo Coronavírus (Covid-19) no Hospital Estadual Dório Silva, na Serra.
Parte dos leitos exclusivos para casos do novo coronavírus será usada para atender outras doenças. Crédito: Secom-ES | Divulgação

governo do Espírito Santo deu início, nesta quarta-feira (5), a uma nova reversão de leitos Covid-19. Isso significa que as vagas que até então estavam destinadas exclusivamente para casos da pandemia passarão a ser usadas para atender pacientes acometidos por outras doenças no Estado.

A mudança foi anunciada no início desta tarde pelo governador Renato Casagrande (PSB), por meio das redes sociais. Na publicação, ele destacou a quantidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que estavam livres nesta terça-feira (4) e tratou a expansão hospitalar alcançada como um "legado".

Atualmente, a rede pública capixaba conta com 2.150 vagas exclusivas para casos do novo coronavírus, das quais 1.080 são intensivas e 1.070, de enfermaria. Ao mesmo tempo, o Estado tem 867 pessoas internadas em estado grave e 642, com quadro moderado. Ou seja, 641 leitos estão livres nesta quarta-feira.

Na coletiva realizada nesta semana, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que até o final desta primeira quinzena de maio deve acontecer uma "retomada plena" das cirurgias eletivas e dos atendimentos ambulatoriais – procedimentos que ficaram suspensos entre meados de março e o final de abril.

80,2% dos leitos de UTI

estão ocupados nesta quarta-feira (5). Taxa de ocupação dos leitos de enfermaria está em 60%

A reversão dos leitos destinados à Covid-19 acontece após a terceira fase de expansão da doença e em um momento em que os indicadores relacionados à pandemia já apresentaram melhoras: com queda no número de casos confirmadosinternações e óbitos, sendo este o único ainda a ser consolidado.

No final de julho do ano passado, o governo do Estado agiu de forma semelhante, ao realizar a primeira desmobilização dos leitos da pandemia para atender outras enfermidades, após a primeira onda do novo coronavírus. Naquela época, a rede pública contava com 1.465 leitos, dos quais 507 estavam livres.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.