ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Qual tipo de vinho harmoniza com a torta capixaba? Veja dicas

A colunista Nádia Alcalde testou cinco estilos da bebida para sugerir os rótulos que melhor combinam com cada versão da receita

Publicado em 15/04/2022 às 02h03

A torta capixaba é um dos pratos mais tradicionais da gastronomia do Espírito Santo, e é na Páscoa que ela reina soberana. Tem quem prefira encomendar a iguaria em restaurantes e quem goste de prepará-la em casa.

Sei que existem várias versões da torta, e eu mesma já provei a tradicional, com mariscos, e algumas com ênfase apenas em ingredientes como palmito, camarão e o bacalhau. Vai do gosto de cada um mesmo, e, de qualquer forma, essa pluralidade também nos permite pensar em diferentes vinhos para acompanhá-la.

Harmonização é técnica e prática, então é preciso provar para saber se os pratos e as bebidas vão combinar de verdade. Se fosse apenas teoria, eu arriscaria dizer que o toque herbáceo do coentro, ingrediente bastante utilizado na torta, casa muito bem com um Sauvignon Blanc - vinho de muito frescor, com notas de frutas cítricas e de hortaliças.

Mas existe uma palavra mágica no mundo do vinho, que é: “depende”. Depende da quantidade de coentro e depende de que tipo de Sauvignon Blanc estamos falando. Para resolver isso de uma vez por todas, resolvi então partir para a prática, provando cinco vinhos com a torta capixaba.

Vinhos ideais para harmonizar com a torta capixaba
Harmonização de vinhos com torta capixaba. Crédito: Nádia Alcalde

Abaixo, trago minhas impressões e sugestões para lhe ajudar a escolher qual vinho vai estar em sua mesa na Semana Santa. 

PROSECCO CAPIXABA

Para começar, sugiro um espumante produzido nas montanhas do Estado, em Santa Teresa, o Prosecco Casa dos Espumantes

Comida local também pede vinho local. É assim em qualquer parte do mundo, e quando harmonização torna-se algo cultural, tudo fica mais fácil. O prato e a bebida carregam em sua origem as particularidades da região.

Nádia Alcalde

Sommelière

"Apesar de esse prosecco ser elaborado em uma cidade montanhosa, o terroir acaba tendo tudo a ver com a torta."

O local onde os vinhedos estão recebe uma influência marítima que permite boa amplitude térmica para o amadurecimento sadio das uvas. O solo arenoso também é fundamental para uma drenagem bem-sucedida.

O prosecco foi lançado recentemente pela cantina, é feito 100% com a uva Glera e tem um frescor delicioso para harmonizar com a torta de bacalhau e palmito pupunha. Fica uma delícia! Quanto: R$ 75, na Casa dos Espumantes ((27) 99974-3774).

ESPUMANTE ROSÉ NACIONAL

Recém-lançado pela Cooperativa Vinícola Garibaldi, no Rio Grande do Sul, o espumante Garibaldi Rosé Brut traz uma cremosidade e um frescor que acompanham bem a torta sem ofuscar nenhum de seus ingredientes.

O rótulo foi elaborado com uvas Chardonnay e Pinot Noir no método charmat (quando a segunda fermentação ocorre em tanques de inox), porém foi utilizado um período maior de maturação, que o deixou mais estruturado e elegante. 

Aquele toque de azeite que costumamos dar antes da garfada de torta é um complemento fundamental para a harmonização desse vinho ficar perfeita. Quanto: R$ 60, nos supermercados Extrabom ((27) 3298-2345).

TORRONTÉS ARGENTINO

A Torrontés é uma uva conhecida por sua intensidade de aromas e sabores, e vai bem pratos com frutos do mar. O Cafayate Torrontés 2018, especificamente, amadureceu ainda por um curto período em barricas de carvalho francês. Isso o deixou com maior volume de boca e muito mais expressivo.

Com a torta tradicional, que leva todos os mariscos e temperos, como o azeite de urucum, esse vinho vai dar muito certo. Quanto: R$ 99,80, nos supermercados Carone ((27) 3382-3050). 

BRANCO NEOZELANDÊS

O Marlbourough Sun Sauvignon Blanc 2020 é produzido na Nova Zelândia, famosa pelos excelentes vinhos de Sauvignon Blanc. Enquanto os exemplares chilenos trazem mais características de frutas tropicais, a uva aqui aparece mais leve e elegante, com acidez equilibrada e notas herbáceas bem destacadas.

Para quem gosta daquela torta caprichada no coentro, na cebola e na azeitona, esse sem dúvida é uma boa opção para harmonizar. Quanto: R$ 179,90, na Grand Cru Vitória ((27) 3317-9765).

PINOT NOIR BRASILEIRO

O Capoani Pinot Noir 2020 é uma dica para quem não abre mão do vinho tinto. Para combinar com a torta, que é um prato leve, os brancos e rosés serão sempre as melhores opções.

Nádia Alcalde

Sommelière

"Como a receita leva ovo, é sempre bom ter mais cautela com os tintos, considerando que esse ingrediente junto ao tanino costuma trazer uma sensação não agradável à boca."

Portanto, sugiro optar por um tinto jovem e bastante frutado, daqueles que podem ser servidos até mais gelados.

Rótulos com a uva Pinot Noir e nacionais de acidez mais viva podem funcionar, mas de fato não é a minha preferência. Quanto: R$ 88, no Empório Vino do Sul ((27) 99629-2848). 

Este vídeo pode te interessar

Acompanhe a colunista também no Instagram.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gastronomia Páscoa opinião vinhos Torta capixaba Semana Santa

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.