ASSINE

Cozinha aberta ou fechada? Veja vantagens e desvantagens de cada uma

Se antes a cozinha era um ambiente mais particular, utilizada apenas para preparar refeições, hoje é um local onde as pessoas passam grande parte do tempo com familiares e amigos

Vitória
Publicado em 06/08/2021 às 16h37
Quando a cozinha está integrada ao restante da casa há uma interação melhor com quem está preparando um almoço ou jantar
Quando a cozinha está integrada ao restante da casa há uma interação melhor com quem está preparando um almoço ou jantar. Crédito: Luíza de Castro/Divulgação

Você já ouviu falar em "cozinha americana"? Esse conceito de ambiente aberto é um estilo de projeto que está sendo muito utilizado por arquitetos em construções ou reformas de casas e apartamentos, dando a sensação de amplitude do local. Essa estrutura permite que a cozinha fique integrada com os demais ambientes da casa.

Se antes a cozinha era um ambiente mais particular, utilizada apenas para preparar refeições, hoje é um local social onde as pessoas passam grande parte do tempo com os familiares e também com as visitas. Por esse motivo, especialistas alertam sobre fatores que devem ser levados em consideração na hora da escolha.

"Quando o ambiente é integrado aos demais, as pessoas podem interagir melhor, até mesmo com quem está na cozinha preparando algo. Além disso, esse formato dá amplitude ao ambiente trazendo mais iluminação e ventilação, principalmente porque a cozinha, na maioria das vezes, é um ambiente com janelas pequenas, o que a torna mais escura e com pouca ventilação", destaca a engenheira civil e designer de interiores Elis Nobre.

cozinha integrada
Na casa da publicitária Priscila Bragio, a cozinha ganhou uma "ilha" e a pessoa que está no fogão fica de frente para a sala. Crédito: Arquivo Pessoal

A publicitária Priscila Bragio, de 37 anos, e o marido investiram em um apartamento de 53m². Devido ao tamanho do imóvel, o casal optou em integrar a cozinha aos demais cômodos. Ao planejar o ambiente juntamente com a designer, Priscila pediu para que as cores da cozinha fossem complementares em relação ao ambiente da sala. A posição dos eletrodomésticos da cozinha também foi planejada de uma forma que as pessoas pudessem manter o contato visual nos dois ambientes.

"O fogão é de frente para sala e não de costas. Assim, quem cozinha pode conversar com quem está na sala de visita. Em volta do fogão, a designer criou uma ilha para as pessoas sentarem, deixando o ambiente mais dinâmico", explica Priscila.

Ainda de acordo com a publicitária, esse formato de ilha ampliou o espaço de circulação. "O modelo ilha foi mais assertivo, pois todo mundo que chega vai direto para o local. Ficou super convidativo", diz.

VERSATILIDADE

A cozinha integrada não é específica para um único tipo de imóvel. A tendência é válida tanto para os apartamentos compactos, quanto para uma casa de mais de 200 m². Segundo Elis Nobre, os proprietários devem se atentar para a estrutura do imóvel a fim de verificar se é possível fazer essa alteração. Outro detalhe que deve ser observado é em relação à ergonomia. Isso porque os moradores precisam se sentir confortáveis com as posições dos móveis como cadeiras, bancos, mesas, entre outros.

"Às vezes, nem sempre derrubando a parede para a sala a cozinha ficará mais adequada ou funcional somente para ter a integração. Claro que, para os apartamentos menores, as construtoras já dão a possibilidade da integração, justamente para que o ambiente fique maior e mais amplo", explica a engenheira e designer de interiores.

Decidir entre cozinha fechada e integrada é uma realidade no mercado imobiliário capixaba. “Oferecemos essa possibilidade de escolha porque cada morador tem sua necessidade e preferência. No AM100 – Ed. Alice Madeira, você tem os dois tipos de plantas para agradar a todos os públicos”, observa a diretora comercial da CG Engenharia, Flávia Gimenes.

Cozinha integrada
Quem está na cozinha da casa da publicitária Priscila Bragio tem um contato visual direto com quem estiver na sala de estar. Crédito: Arquivo Pessoal

DECORAÇÃO

A decoração é uma grande aliada para transmitir charme e aconchego, principalmente quando se tratam de espaços onde se recebem visitas, como é o caso das cozinhas integradas. Para a designer de interiores Elis Nobre, pode-se usar qualquer tipo de decoração, mas se a ideia é fazer com que os ambientes se tornem um só, é interessante fazer escolhas de acabamentos e móveis que combinem e se comuniquem de forma harmônica.

O ideal, de acordo com a especialista, é nunca usar o mármore, por ser uma pedra porosa e que com o tempo tende a manchar. "O ideal é sempre trabalhar com granito ou quartzo stone (o famoso Silestone), pois eles têm uma durabilidade muito maior e absorvem menos água que os mármores. Porém, em relação ao granito, não é aconselhado utilizar as pedras de tons claros, pois elas mancham mais rápido do que as de tons escuros. Já no caso do quartzo stone, você pode utilizar qualquer cor, pois é um tipo de material que é industrializado, composto por mais de 90% de quartzo e o restante de resina. Então, nessa opção, você consegue uma gama de cores diferentes para utilizar em áreas molhadas", detalha Elis Nobre.

cozinha integrada
No caso de ambientes integrados, a engenheira e designer de interiores Elis Nobre destaca que é importante que acabamentos e móveis combinem e se comuniquem de forma harmônica. Crédito: Elis Nobre/Divulgação

COZINHA FECHADA

Mesmo com as cozinhas integradas em alta nas escolhas dos proprietários de imóveis, há aquelas pessoas que optam pela tradicional cozinha fechada. Segundo a arquiteta e urbanista Luíza de Castro, as vantagens em se ter uma cozinha padrão é, além de manter o cheiro de alimentos longe da sala, deixar o cômodo fechado no dia em que uma visita chegar ao local se o espaço não estiver em sua perfeita ordem.

Para a arquiteta, é importante conhecer o perfil de cada cliente. A especialista recomenda a cozinha padrão principalmente para as pessoas que se incomodam com o cheiro de comida nos demais ambientes da residência e para aquelas que possuem pequenos apartamentos que recebem sol da tarde por causa do calor do forno, que é mais aconselhado deixá-lo afastado e isolado do restante da casa.

"A satisfação do cliente é essencial e imprescindível. Por isso, é importante considerar se o cliente se preocupa ou se incomoda muito com odores, estética e limpeza. É importante observar a forma como ele se relaciona com o preparo de alimentos, se isso é um fator emocional, por exemplo. Todos esses são fatores que vão nortear a produção do projeto", ressalta Luíza de Castro.

cozinha fechada
Para a arquiteta Luíza de Castro, conhecer o perfil do cliente é fundamental para indicar o projeto mais adequado. Crédito: Luíza de Castro/Divulgação

DESVANTAGENS

Para a arquiteta Luíza de Castro, a cozinha fechada deixa o anfitrião solitário ao preparar um jantar ou almoço, por exemplo. "Se o apartamento for pequeno, os ambientes podem parecer enclausurados", pontua. 

Já na cozinha integrada, de acordo com a arquiteta Isabella Barbosa, os ruídos que se geram na cozinha podem incomodar quem está na sala lendo um livro ou o cheiro atrapalhar quem precisa de concentração. Segundo ela,  nessas situações é possível recorrer a alguns artifícios para minimizar os problemas.

“O uso de aparelhos silenciosos e exaustores são fundamentais para que barulhos e cheiros não incomode quem está na sala de estar, por exemplo”, frisa a especialista, destacando que também é possível utilizar divisórias de vidro, um elemento que pode  proporcionar luz e espaço com variadas possibilidades.

A Gazeta integra o

Saiba mais
arquitetura decoracao imóveis Moda Construção civil Engenharia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.