ASSINE

Vai reformar a casa? Siga o passo a passo e não se perca na obra

Planejar cada etapa antes de iniciar o quebra-quebra pode determinar o final feliz. Saiba quais os seis passos fundamentais para evitar dores de cabeça

Rede Gazeta
Publicado em 29/07/2021 às 10h16
Antes de partir para a ação e iniciar o “quebra-quebra”, planejar cada etapa do processo pode determinar o final feliz.
Antes de partir para a ação e iniciar o “quebra-quebra”, planejar cada etapa do processo pode determinar o final feliz. . Crédito: Bremenkamp Material de Construção/Divulgação

Pintura desbotada, revestimento soltando, infiltração. Não há como fugir. Mais cedo ou mais tarde, a casa dá sinais de que precisa de uma reforma. Mas antes de partir para a ação e iniciar o “quebra-quebra”, planejar cada etapa do processo pode determinar o final feliz.

Coloque tudo numa planilha: qual ambiente será reformado; o objetivo da reforma; materiais necessários, mão de obra, tempo de execução. Depois comece a pesquisa de preços e inclua também em um arquivo os valores.

A escolha do material precisa ser criteriosa, alerta o diretor comercial da Casa do Serralheiro, Lucas Reis. “É preciso conferir algumas credenciais dos produtos. Vale a pena checar os certificados do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Se a obra envolve a parte elétrica, por exemplo, então é importante prestar atenção no consumo elétrico, na classificação e no selo do Inmetro”, pontua.

Também é preciso pensar no projeto como um todo para manter a harmonia. “Se a obra vai começar pelo banheiro, e a cuba é de sobrepor, por exemplo, então a torneira precisa ser de bica alta”, destaca a arquiteta e analista de projetos da AS Materiais Cleydiani Batista da Silva.

Toda a etapa de pesquisa pode ser pensada até três meses antes do início das obras, no caso de projetos menores. Já em reformas maiores, o prazo aumenta para seis meses, apontam os especialistas.

“Planejar, comprar materiais adequados e com antecedência, podem garantir uma economia de até 30% no valor. E isso vale tanto para imóveis residenciais, quanto para imóveis comerciais”, destaca a arquiteta e conselheira do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU-ES) Luciane Veiga.

Para quem mora em condomínio também é preciso se inteirar antecipadamente das regras e comunicar aos vizinhos que os dias ou meses seguintes serão barulhentos, explica Luciane. “Alguns condomínios proíbem a troca de luminária na varanda, por exemplo, outros possuem horários diferentes para liberação das obras. É preciso conhecer e seguir a recomendações”, comenta.

Além disso, é importante saber o que não fazer durante uma reforma. Por isso, a ajuda profissional de arquitetos e engenheiros é indispensável em obras maiores. São eles que também vão assinar a documentação necessária para regularizar o trabalho junto aos órgãos fiscalizadores.

O gerente de atendimento do Crea-ES, José Maria Cola dos Santos, explica que, quando não se conhece a estrutura da edificação, quebrar paredes e perfurar vigas pode causar sérios danos à estrutura e colocar vidas em risco.

Os cuidados valem até para uma simples troca de piso. “Se no lugar do porcelanato for colocado granito, que é muito mais pesado, por exemplo, pode haver sobrecarga da laje. Tudo tem que ser analisado”, explica José Maria Cola.

Com os materiais comprados e profissionais contratados, é hora da bagunça. “O ideal é começar por tudo aquilo que faça poeira. A dica é realizar toda a quebradeira possível de primeira, para depois finalizar com os acabamentos”, aconselha Luciane Veiga.

Todos os materiais devem ser comprados antes do início da obra. E a escolha precisa ser criteriosa, observando as credenciais dos produtos.
Todos os materiais devem ser comprados antes do início da obra. E a escolha precisa ser criteriosa, observando as credenciais dos produtos. Crédito: AS Material de Construção/Divulgação

José Maria Cola recomenda que sejam feitas manutenções constantes no imóvel, sem deixar que os problemas se acumulem. “É importante cuidar preventivamente até de detalhes. Quando se cuida de um imóvel, a vida útil dele é atualizada e uma manutenção corretiva pode custar muito caro”, frisa.

Não dispor de todo o recurso financeiro para investir na reforma também não inviabiliza a obra, dá para fazer aos poucos. O importante é dar os primeiros passos, destaca a arquiteta e designer de interiores Fernanda Calazans.

“Se a pessoa tiver o valor total, o ideal é encarar a reforma de uma vez só. Mas se está morando no imóvel e não tem como se ausentar ou se falta dinheiro, é possível dividir em etapas”, sugere.

Mas Fernanda destaca que, independente do tamanho da obra, não se deve abrir mão da calculadora e de montar uma planilha de custos. “Muitas pessoas começam a obra sem saber quanto vão gastar. Ter a projeção calculada evita que a reforma fique inacabada”, salienta.

SIGA O PASSO A PASSO DA REFORMA

  1. 01

    PLANEJAMENTO

    Coloque tudo numa planilha: qual ambiente será reformado; objetivo da reforma; materiais necessários, mão de obra, tempo de execução.

  2. 02

    PESQUISA

    Comece a pesquisa de preços dos materiais e serviços e monte a planilha de custos para ter uma real noção de quanto vai custar a reforma no total. Se não tiver dinheiro para realizar tudo, divida o projeto em etapas.

  3. 03

    COMPRA

    Todos os materiais devem ser comprados antes do início da obra. E a escolha precisa ser criteriosa, observando as credenciais dos produtos. Além disso, é preciso pensar no projeto como um todo para manter a harmonia.

  4. 04

    REGRAS

    Para quem mora em condomínio, é preciso se inteirar antecipadamente das regras e comunicar aos vizinhos que os dias ou meses seguintes serão barulhentos.

  5. 05

    AJUDA PROFISSIONAL

    Contrate os executores da reforma: pedreiros, eletricistas, pintores. A ajuda profissional de arquitetos e engenheiros é indispensável em obras maiores. São eles que também vão assinar a documentação necessária para regularizar o trabalho juntos aos órgãos fiscalizadores.

  6. 06

    QUEBRA-QUEBRA

    Com os materiais comprados e profissionais contratados, é hora da bagunça. O ideal é começar por tudo aquilo que faça poeira. A dica é realizar toda a quebradeira possível de primeira e depois, os acabamentos.

TECNOLOGIA PERMITE OBRA SEM SUJEIRA

Para quem mora em condomínio, é preciso se inteirar antecipadamente das regras e comunicar aos vizinhos que os dias ou meses seguintes serão barulhentos.
Para quem mora em condomínio, é preciso se inteirar antecipadamente das regras e comunicar aos vizinhos que os dias ou meses seguintes serão barulhentos. . Crédito: AS Material de Construção/Divulgação

Para quem quer mudar o layout dos espaços, mas quer fugir da sujeira das obras tradicionais, há soluções tecnológicas e sustentáveis, como a reforma a seco.

“O drywall e as placas de instalação são ideais para quem não quer bagunça, porque dispensam o uso de argamassa. É uma alternativa mais sustentável, que não compromete a estrutura do empreendimento e tem sido muito utilizada nos prédios atuais”, destaca a arquiteta e analista de projetos da AS Materiais Cleydiani Batista da Silva.

Soluções que eram comuns no meio corporativo e comercial, atualmente também têm sido adotadas nas fachadas das residências. As chapas de alumínio ACM são fáceis de trabalhar e têm sido utilizadas em portas, devido ao material leve e design moderno, aponta o diretor comercial da Casa do Serralheiro, Lucas Reis.

Já quando se fala de interiores, os pisos de cimento queimado são uma forte tendência. Além das placas maiores de porcelanato, a procura por materiais acinzentados e rústicos substituiu os revestimentos amadeirados.

O auxiliar de compras da Bremenkamp Material de Construção Manoel Rodrigues destaca que também têm sido muito procurados os chuveiros de maior resistência, em que não precisa desligar o aparelho para mudar a temperatura, as torneiras de monocomando, nas quais de um lado sai água quente e do outro, gelada.

A Gazeta integra o

Saiba mais
arquitetura decoracao imóveis Mercado imobiliário Reforma

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.