ASSINE

Adiar ou não o Enem: tema divide opinião de leitores

Provas começam a ser aplicadas no próximo domingo (17), mas há quem defenda um novo adiamento do exame por causa da pandemia do coronavírus

Publicado em 13/01/2021 às 15h39
Atualizado em 13/01/2021 às 15h39
Enem
Aplicativo do Enem: provas começam a ser aplicadas neste domingo (17). Crédito: Carlos Alberto Silva

Neste fim de semana, aproximadamente 5,7 milhões de candidatos devem realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Nessa edição, o vestibular acontecerá de forma atípica: além de ter sido remarcado para janeiro- em geral acontece no final do ano -, terá versões impressa (17 e 24 de janeiro) e digital (31 de janeiro e 07 de fevereiro). 

O motivo é a pandemia do novo coronavírus, que implicou também em outras regras, inclusive quanto ao estado de saúde dos estudantes. Não será permitido, por exemplo, o acesso de candidatos sem máscara ao local de prova. E justamente por causa da pandemia, muitas pessoas defendem que o Enem seja adiado mais uma vez. Até a tarde desta quarta-feira (13), as provas permanecem marcadas para começarem no dia 17. Nas redes sociais, o assunto dividiu a opinião dos leitores. Há quem concorde com o adiamento, outros acham que o exame deve acontecer normalmente. Confira alguns comentários:

Se podem farrear, podem fazer prova. (Norma Valente)

Trabalho no Enem há 5 anos, e fico imaginando, será mesmo que há tanta necessidade assim de acontecer esses ano com tantos casos? Venda Nova do Imigrante em risco alto e mesmo assim fazer essa aglomeração de pessoas? Onde está a responsabilidade dos nossos governantes? (Danubia Botelho)

Engraçado que todo mundo está andando sem máscara, indo pra praia e fazendo um monte de coisas erradas, ninguém fala nada, agora fazer o Enem não pode por causa do corona, é muito engraçado isso! (Vânia Altenerath)

Para alguns, o Enem é a única oportunidade de ingresso no ensino superior. Não é um “vai quem quer”. A pessoa pode estar contaminada no dia e perder a prova, assim como, para não perder a chance de ingresso na universidade, ela pode omitir estar passando mal e contaminar dezenas (não adianta um termômetrozinho na entrada, nem todo mundo tem febre). Sem esquecer os assintomáticos. (Brunelly O. Vescovi Felix)

Tá de sacanagem... o mesmo jovem que lota praias, pagodes e ônibus não pode fazer o Enem... ok!!! Nunca foi pensado no próximo... apenas política partidária. (Rodrigo Menezes)

Temos que colocar nossos filhos em risco por causa de pessoas irresponsáveis. (Hanna Colombo)

Penso, como educadora, que se deve adiar, lembrando que estamos num alto índice da pandemia. Sobre as eleições, as pessoas adentraram o local de votação individualmente, fora a equipe que estava trabalhando, e permaneceu no local por minutos, já no Enem muitos jovens em um único lugar compartilhando por muitas horas o mesmo ambiente. Lembrando que nem todos os jovens frequentam as praias, muitos estão se cuidado até mesmo por terem problemas de saúde em suas casas. (Kassandra Silva Vieira)

Sou a favor de adiar a prova. Minha irmã é concluinte do ensino médio e depende do Enem para cursar uma faculdade, mas a saúde dela está em 1° lugar. O adiamento garante que ela e outros milhões na mesma situação não sejam expostos ao risco. (Tatiane S. Ramos)

Tem que adiar, saúde em primeiro lugar. (Judite Zucoloto)

Discordo (de adiar)! Os vestibulares estão acontecendo, adiar o Enem seria prejudicar ainda mais os estudantes. (Cássia Mandelli)

O cenário está pior do que novembro, não faz sentido ter Enem. (Carlos Emílio)

Eleições não foram adiadas. Jovens nunca fizeram isolamento social. Toca o barco. (Cassandro)

Não pode haver em hipótese alguma... somente depois de todos estarmos imunizados. (Merlim Humberto)

Os jovens estão frequentando praias lotadas e festas, e agora estão preocupados em fazer prova com todos os protocolos de segurança. Palhaçada isso, tem que acontecer sim. (Rosana Cibin)

A questão é que tantos eventos teriam que ser adiados mas não foram, um bom exemplo foram as últimas eleições, que tiveram quase que total adesão do povo. Aí o povo vive em aglomerações, como praias, bares e festas. Será que só o Enem é uma questão de saúde pública? Sendo que o próprio presidente provoca várias aglomerações e a maioria do povo fica aplaudindo? Aí quando se fala em educação vira problema de saúde publica. Na minha opinião esse problema aí é o de menos, tem muita coisa bem mais grave que isso. (Lica Alves Pedrini)

O diretor do Inep, que organiza as provas, acabou de falecer de Covid, mas insistem que tá tudo bem manter a prova. (Jean Carlos Poggianella)

Ai, gente! Um local cumprindo os protocolos, com todas as medidas protetivas. 98% dos que vão fazer estão em praias, bares, boates e etc. Triste mesmo é adiar o sonho de inúmeros jovens de entrar na faculdade. (Agda Karla)

Eu concordaria se o mesmo parâmetro estivesse sendo usado para todas as situações. Tudo está normal... um descontrole, aglomeração em festas, shoppings, eleições... e nada está sendo feito. Mas o Enem, que envolve estudo e dedicação, aflição sem perspectivas... querem adiar. Trate com o mesmo parâmetro. (Priscila Costa Leite)

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.