ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Sob tensão, transição na Prefeitura de Vila Velha segue a passos lentos

O prefeito eleito Arnaldinho Borgo (Podemos) e o prefeito Max Filho (PSDB), derrotado no segundo turno, protagonizaram um duro embate na campanha eleitoral

Publicado em 08/12/2020 às 20h20
Max Filho (PSDB) e Arnaldinho Borgo (Podemos) são candidatos a prefeito no segundo turno em Vila Velha
Max Filho (PSDB) e Arnaldinho Borgo (Podemos) disputaram o segundo turno em Vila Velha . Crédito: Fernando Madeira

Os conflitos que marcaram a disputa pela Prefeitura de Vila Velha nas eleições de 2020 parecem não ter ficado para trás com o fim do período eleitoral. A transição de governos no município, que acontece em um tempo ainda mais reduzido este ano, se dá de maneira lenta, com uma relação tensa entre as equipes.

Faltando 23 dias para a mudança de gestão, pouco se evoluiu no processo em Vila Velha. Até o momento, não houve qualquer contato entre o prefeito eleito, Arnaldinho Borgo (Podemos), e o atual prefeito, Max Filho (PSDB), e não há previsão para que isso aconteça. As conversas, pouco amistosas, acontecem por meio de interlocutores.

A equipe de Arnaldinho, coordenada pelo prefeito de Viana, Gilson Daniel (Podemos), diz que tem tido dificuldades para conseguir informações. Gilson é presidente da Associação dos Municípios do Estado do Espírito Santo (Amunes) e, em tese, deveria ter uma boa relação com os prefeitos, inclusive com Max. 

A atual gestão, por sua vez, designou o secretário municipal de Meio Ambiente, José Vicente Pimentel, para auxiliar na transição, e alega que não foi procurada para conversar de “maneira civilizada”.

O fato é que nenhuma reunião foi feita entre as duas partes até agora. Max não publicou atos no Diário Oficial escalando a equipe de transição, ao contrário do que foi feito por outros prefeitos da Grande Vitória, a exemplo de Luciano Rezende (Cidadania), na Capital, que também possui conflitos político-eleitorais com o prefeito eleito Lorenzo Pazolini (Republicanos).

Os assuntos da transição têm sido tratados diretamente com o secretário de Meio Ambiente do município. De acordo com José Vicente, “não há burocracia, todos os secretários estão à disposição da equipe para agendar uma reunião”.

Já Gilson Daniel afirma que essas reuniões estão sendo feitas com os secretários das pastas, mas que não houve nenhum encontro com a equipe de Max "porque nenhuma equipe foi montada pelo prefeito".

Essa situação preocupa, já que o tempo é ainda mais curto para realizar a transição. O déficit de informações pode prejudicar o início do mandato. 

Pessoas ligadas a Arnaldinho e a Max afirmam que não há diálogo possível entre eles e uma eventual conversa poderia piorar a situação. O prefeito eleito é vereador e faz oposição a Max na Câmara. Durante a campanha eleitoral, Arnaldinho chegou a chamar Max de "Maxnóquio" e o prefeito rebateu, dizendo que o adversário era um "embuste".

INFORMAÇÕES NO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA 

Os relatórios para a transição de Arnaldinho são baseados em informações obtidas pelo Portal da Transparência da Prefeitura de Vila Velha.

Esse canal foi, inclusive, oferecido pela gestão atual como resposta, nesta terça-feira (08), a um pedido de informações protocolado pelo time do prefeito eleito na última semana.

“Está tudo lá, basta saber procurar. Se ainda tiver dúvida, podem entrar em contato, estamos de portas abertas. O que não dá é para a gente disponibilizar um grupo da prefeitura para fornecer dados que são públicos”, alega João Vicente. “O que falta é uma conversa entre pessoas civilizadas.”

De fato, algumas das solicitações contidas nas 32 páginas elaboradas pela equipe do prefeito eleito podem ser obtidas no portal da prefeitura, como leis, quantidades de servidores efetivos e comissionados.

Mas alguns dados, como contratos firmados, estão desatualizados em algumas secretarias. Há também informações sobre o caixa financeiro da prefeitura e saldo de todas as contas, que não são públicos.

“Precisamos de relatórios detalhados com planilhas contendo valores, o fluxo financeiro, informações importantes para a transição. E não estão nos fornecendo”, declarou Gilson Daniel. "Estamos, por conta própria, indo até a prefeitura e pedindo ajuda de servidores e secretários."

QUATRO ANOS ATRÁS, TRANSIÇÃO FOI MAIS TRANQUILA

Esse clima é bem diferente do de 2016, quando Rodney Miranda, na época filiado ao DEM e à frente da cidade, reuniu-se com Max, eleito prefeito de Vila Velha, para apresentar as equipes de transição. Rodney chegou a oferecer uma sala na sede da prefeitura para que a equipe de Max trabalhasse na obtenção de dados oficiais.

Naquele ano, a disputa também foi para o segundo turno, mas Rodney nem chegou a passar à próxima etapa. O confronto se deu entre Max e outro ex-prefeito, Neucimar Fraga (PSD). O tucano levou a melhor. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.