ASSINE

Segundo turno: Contarato apoia Célia Tavares em Cariacica

O senador Fabiano Contarato, da Rede, publicou em rede social apoio à petista, mas Marcos Bruno, candidato derrotado no primeiro turno, diz que partido ainda não definiu apoio

Vitória
Publicado em 19/11/2020 às 19h19
Contarato apoia Célia em Cariacica, mas partido ainda não tem posicionamento definido
Contarato apoia Célia em Cariacica, mas Rede ainda não tem posicionamento definido. Crédito: Montagem

A candidata do PT à Prefeitura de Cariacica, Célia Tavares, ganhou nesta quinta-feira (19) o apoio do senador Fabiano Contarato (Rede) na disputa. Ela concorre contra Euclério Sampaio (DEM) no segundo turno.

O senador usou as redes sociais para apoiar os dois candidatos petistas que ainda estão na corrida no Estado: Célia, em Cariacica, e João Coser, em Vitória. Contarato foi eleito, em 2018, com 1.117.036 votos.

"A melhor 'arma' para enfrentar a violência e a desigualdade é a Educação: registro meu apoio à Professora Célia, que, com sua competência, sensibilidade e empatia pelo povo, certamente trará dias melhores para os cariaciquenses!", escreveu, no Twitter. 

Marcos Bruno, que disputou a prefeitura no primeiro turno em Cariacica pela Rede, teve 16.031 votos (9,75%) e ficou em quinto lugar, nega que o apoio de Contarato traduza a posição de todo o partido.

Marcos Bruno diz que ele e a Executiva municipal da sigla ainda discutem um posicionamento. "Essa é uma decisão dele e eu respeito bastante. Estamos dialogando com as duas candidaturas, mas com uma tendência à neutralidade", disse à reportagem de A Gazeta.

A Rede, historicamente e em âmbito nacional, tem mais afinidade com o PT. Em Cariacica, no entanto, as duas legendas não caminharam juntas no primeiro turno, confirmando candidaturas próprias, e podem, agora, não caminhar novamente. "O PT não é a mesma coisa em todos os lugares. Existem rachas dentro da sigla. O PT daqui não é o mesmo PT de Vitória, estamos considerando todas as variáveis", complementou Marcos Bruno.

Célia também não conta com o apoio de outro partido que, historicamente, posiciona-se à esquerda no espectro político. O PCdoB, um dos partidos procurados pela candidata para uma aliança, oficializou nesta quinta-feira (19) o apoio ao candidato do DEM, Euclério Sampaio. Fontes do partido, no entanto, disseram que o acordo não foi pacífico.

Militantes da legenda no município queriam apoiar o PT, por afinidade ideológica, mas a decisão foi delegada ao presidente estadual da sigla, Givaldo Vieira. Ele integra o governo estadual desde fevereiro de 2019, como diretor-geral do Detran-ES. Desde o primeiro turno, o vice-presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Santos (Podemos), afirma que Euclério é o candidato do Palácio Anchieta em Cariacica.

Embora o próprio Renato Casagrande (PSB) não tenha dito expressamente, nesta segunda fase de campanha está deixando ainda mais claro seu apoio, mesmo que indireto: Liberou secretários estaduais para subir no palanque do demista, inclusive o da Segurança Pública, Alexandre Ramalho.

Foi essa proximidade entre Euclério e Casagrande que deixou os partidos de esquerda em uma situação desconfortável. Tanto o PSB, sigla do governador, quanto o PCdoB enfrentam divergências dentro das legendas para definir o apoio. No caso do PSB, por exemplo, o candidato Saulo Andreon, que disputou o primeiro turno no município e teve 4,45% dos votos, já foi vereador pelo PT.

A legenda ainda não oficializou apoio a nenhum dos dois candidatos. O presidente estadual do PSB, Alberto Gavini, afirmou que vai alinhar a questão com Casagrande, mas que no segundo turno a sigla vai prezar pela "boa governabilidade".

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.