ASSINE

Casagrande elogia Mandetta: "Ele é parceiro do nosso trabalho no ES"

O presidente Jair Bolsonaro avaliava substituir o ministro da Saúde; em pronunciamento, Casagrande elogiou Mandetta, e disse que ele "está fazendo um bom trabalho" em todo o Brasil

Publicado em 06/04/2020 às 19h24
Atualizado em 07/04/2020 às 11h48
O governador Renato Casagrande e o presidente Jair Bolsonaro
O governador Renato Casagrande e o presidente Jair Bolsonaro. Crédito: Helio Filho/Secom|Marcos Corrêa/PR

Em novo pronunciamento nesta segunda-feira (6) sobre as últimas decisões para combater o Covid-19 no Espírito Santo, o governador Renato Casagrande (PSB) elogiou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pela atuação e tomada de medidas contra o coronavírus no Brasil.

Na transmissão ao vivo,  Casagrande disse que acompanhou o debate nacional e a dúvida do presidente Jair Bolsonaro: se deixava o ministro no cargo ou não.

O presidente considerava substituir Mandetta por um nome técnico defensor da utilização da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com coronavírus. O próprio ministro disse nesta segunda que não saberia até quando continua no cargo.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"Estamos acompanhando muito o debate nacional, essa dúvida se o ministro Mandetta permanece ou não no Ministério da Saúde... Gostaria muito que permanecesse porque ele está fazendo um bom trabalho. É logico que esse é um cargo do presidente da República, ele sabe o que fazer como presidente e toma a decisão mais adequada.. Mas quero deixar aqui o meu testemunho de que, como ministro, Mandetta tem nos ajudado, orientado e está sendo parceiro do nosso trabalho aqui no Espírito Santo e, pelo que ouço, de todos os governadores do nosso país"

Nesta segunda-feira (6), o presidente almoçou com os ministros palacianos e com o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), defensor do uso da cloroquina e também cotado para a vaga. Segundo assessores presidenciais, o parlamentar tem ajudado a encontrar um nome para o posto.

Já nesta noite, em reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e outros ministros, o titular da pasta da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que continua no governo.

Nos últimos dias, Bolsonaro tem se estranhado com Mandetta e afirmou que falta humildade ao seu auxiliar. O presidente tem divergido, entre outras coisas, das medidas de isolamento social defendidas por Mandetta para combater a pandemia do coronavírus. Bolsonaro adotou um discurso contrário ao fechamento de comércio nos Estados, enquanto Mandetta defende que as pessoas fiquem em casa.

Nesta segunda,  de acordo com o jornal O Globo, Mandetta afirmou a integrantes do Ministério Público que não sabe até quando será mantido no posto:

Luiz Henrique Mandetta

Ministro da Saúde

"Não sei até quando ficarei Ministro da Saúde. Se eu ficar aqui, enquanto ficar aqui, me coloco à disposição de vocês (intregrantes do Ministério Público com os quais estava reunido) para eventualmente podermos fazer as tomadas de decisões que o momento reque"

Em outro ponto da reunião desta segunda com membros do MP, Mandetta chamou o cenário político de extremamente complexo. "Temos visões diferentes, temos pessoas que almejam o cargo de ministro e acham que o que estamos fazendo não é o correto", disse.

Presidente Jair Bolsonaro limpa as mãos com álcool em gel oferecido pelo ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta
Presidente Jair Bolsonaro limpa as mãos com álcool em gel oferecido pelo ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. Crédito: Carolina Antunes/PR

"(Acham) que deveríamos acelerar, botar todo mundo para passar nesse desfiladeiro em marcha acelerada, como se fosse fazer uma quarentena vertical e todo mundo que tem abaixo de 50 anos possa se contaminar de uma vez. Mas dizem isso esquecendo que não há moradia, que não temos como bloquear e, consequentemente, as pessoas com mais de 60 anos irão se contaminar", complementou o ministro.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.