ASSINE

Norte e Noroeste do ES: homicídios em 2022 já superam mesmo período de 2021

Pelo menos 24 homicídios já foram registrados nas regiões apenas nas duas primeiras semanas do ano

Tempo de leitura: 3min
Colatina
Publicado em 17/01/2022 às 19h08
Viatura da Polícia Militar
Além de Colatina, Baixo Guandu, no Noroeste do Estado, também já registrou mortes por violência. A cidade já soma três assassinatos. Crédito: Fernando Madeira

Jefferson Costa Ramos, de 25 anos, foi assassinado com um tiro na cabeça na tarde de sábado (15). O crime aconteceu em um bar na comunidade Reta Grande, em Colatina, no Noroeste do Estado. Menos de 24 horas antes, na tarde de sexta-feira (14), Carlos Alberto dos Santos foi morto a tiros dentro de uma casa no bairro Barbados, também em Colatina, enquanto estava em um churrasco com a família.

Esses são dois dos 24 homicídios que já foram registrados nas regiões Norte e Noroeste do Espírito Santo apenas nas duas primeiras semanas do ano de 2022. O número já é maior do que o registrado no mesmo período do ano passado. De acordo com o Painel de Homicídio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), 20 homicídios foram registrados até o dia 16 de janeiro de 2021.

Segundo o painel, 9 homicídios foram registrados na região Noroeste este ano. No mesmo período do ano passado foram 8. Já no Norte houve um aumento de 3 casos, passando de 12 no ano passado para 15 neste ano.

Este vídeo pode te interessar

HOMICÍDIOS NAS CIDADES DO NORTE

  • Aracruz - 2
  • Ibiraçu - 1
  • Linhares - 4
  • Sooretama - 1
  • São Mateus - 2
  • Pedro Canário - 1
  • Jaguaré - 3
  • Mucurici - 1

HOMICÍDIOS NAS CIDADES DO NOROESTE

  • Colatina - 2
  • Vila Valério - 1
  • Nova Venécia - 1
  • Barra de São Francisco - 1
  • São Gabriel da Palha - 1
  • Baixo Guandu - 3

Além de Colatina, Baixo Guandu, no Noroeste do Estado, também já registrou mortes por violência. A cidade já soma três assassinatos. O primeiro do ano foi no dia 3, quando um jovem de 27 anos foi encontrado morto, com marcas de tiros na cabeça. Na última segunda-feira (10), Fernando Rosendo Xavier, de 34 anos, foi assassinado a tiros no meio da rua, no bairro Santa Mônica.

O último homicídio no município foi na quinta-feira (13). Leni Dettmann, de 50 anos, foi morto enquanto caminhava na BR 259, no trecho que faz divisa com a cidade mineira de Aimorés. A Polícia Civil informou que os três crimes estão sob investigação da Delegacia de Polícia de Baixo Guandu. Até o momento nenhum suspeito foi detido.

No Norte, Linhares já registrou quatro homicídios, segundo o painel da Sesp. O mais recente foi neste domingo (16), quando um jovem, que não teve o nome revelado pela polícia, foi morto a tiros no bairro Interlagos. O crime teria acontecido no meio da rua.

Em Aracruz, também na região Norte, dois homens foram encontrados mortos em uma plantação de café na última segunda-feira (10) no bairro Jacupemba, na zona rural do município. As vítimas foram identificadas como Hector Diego Cândido Sepulcri, de 24 anos, e Pablo de Jesus Pereira, de 18.

Levantamentos preliminares, feitos pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Aracruz, indicam que a motivação do crime está relacionada a desacertos com o tráfico de drogas.

Segundo o secretário Estadual de Segurança Pública, Alexandre Ofranti Ramalho, para a repórter Gabriela Fardin da TV Gazeta Noroeste, essa é a motivação da maior parte dos crimes que ocorreram nessas cidades. “A maioria dos homicídios no Norte e Noroeste do Estado tem ligação com o tráfico de entorpecentes”, afirma.

O secretário aponta que os altos índices de homicídio no início do ano tem uma explicação: “Toda vez que os presos recebem algum benefício de saidinha de fim de ano, como foi no Natal e no ano novo, nós temos um reflexo muito grande na segurança pública. Até o número de prisões efetuadas aumenta, porque os mesmos indivíduos acabam retornando para o sistema prisional”.

Alexandre explica que a Secretária tem reforçado a Operação Verão, nas praias do Estado, mas mantendo a mesma capacidade do efetivo no interior. Além disso, implanta o teleflagrante da Polícia Civil nos municípios, que já expandiu para São Mateus, Aracruz e Nova Venécia.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.