ASSINE

Taxa de ocupação dos leitos de UTI no ES bate recorde e passa de 85%

Com esse índice, falta pouco para o governo do Estado decretar o bloqueio total de atividades em municípios que apresentarem risco extremo de transmissão da Covid-19

Publicado em 04/06/2020 às 19h49
Novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com respirador no Hospital Jayme Santos Neves, na Serra.
Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, só estão disponíveis 31 leitos para a Covid-19  . Crédito: Reprodução/TV

O Espírito Santo alcançou nesta quinta-feira (4) o maior índice de taxa de ocupação de leitos de UTI para a Covid-19: das 572 vagas de terapia intensiva oferecidas pelo SUS, 487 são utilizadas, ou seja, 85,14% estão recebendo pacientes que apresentam o quadro mais crítico da doença. É o maior indicador do Estado, e o que define se o governo vai decretar o lockdown - bloqueio total de atividades - nos municípios que estiverem com risco extremo de transmissão do coronavírus

A taxa de ocupação elevada é registrada no mesmo dia em que o Estado bate outro triste recorde: o de número de mortes por Covid-19. Nesta quinta, foram 39 novos registros de óbitos, totalizando 737 pessoas que perderam a batalha para a doença. Ao todo, 16.894 foram infectados pelo coronavírus no Espírito Santo. 

Diante desse cenário, falta pouco para o governo implantar o lockdown. Para o decreto, a taxa de ocupação de leitos de UTI em todo o Espírito Santo tem que ser superior a 91%, associada a outros indicadores de risco como o nível de distanciamento social. Com monitoramento diário, apenas a Grande Vitória havia chegado tão perto da capacidade de atendimento: no início da semana, estava em 90% e, agora, 89,08%. Unidade de referência para a Covid-19 na região metropolitana, o Hospital Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, por exemplo, tem apenas 31 dos 220 leitos disponíveis. 

Apesar de o Estado ampliar a oferta, a demanda por internação também é crescente. Nesta quarta-feira (3), o Espírito Santo recebeu mais 100 respiradores adquiridos na Itália, que vão equipar UTIs e poderão diminuir a pressão sobre o sistema de saúde, porém a expansão do número de vagas tem um limite, financeiro e de pessoal. 

Ao todo, o Espírito Santo dispõe de 1.196 leitos para atendimento a pacientes com a Covid-19, reunindo a oferta da rede pública, filantrópica e particular para o SUS.  A expectativa é chegar a 1,4 mil em julho, porém o governo aponta que o ideal é a população cumprir as recomendações do distanciamento social porque ter leito não garante que os infectados vão sobreviver. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.