ASSINE

"Estamos definindo as medidas para o risco extremo", diz Casagrande

O risco extremo é o nível que exigirá a decretação do lockdown - bloqueio total das atividades -  e tem pesado desde que a taxa de ocupação de leitos chegou aos 80%

Publicado em 03/06/2020 às 19h54
Renato Casagrande em pronunciamento nesta segunda-feira (1º)
Renato Casagrande em pronunciamento nesta segunda-feira (1º). Crédito: Reprodução

As projeções da matriz de risco tem feito o governo do Espírito Santo se preparar para a implementação do lockdown - o bloqueio total das atividades. Em pronunciamento na tarde desta quarta-feira (03), o governador Renato Casagrande descreveu que está sendo realizado um planejamento de regras, que será aplicado quando um município entrar no risco extremo - nível mais alto de proliferação do coronavírus, de acordo com a matriz de risco. 

A matriz de risco reúne variáveis como a taxa de isolamento, de contaminados pelo vírus e letalidade, por município, que calculados junto ao índice de ocupação de leitos de UTI e enfermaria, geram uma classificação para cada cidade em quatro níveis: risco baixo, risco moderado, risco alto e risco extremo. 

Atualmente, 12 municípios do Espírito Santo estão no nível alto de risco de contágio pelo novo coronavírus. A classificação tem influência direta no  comércio, que está funcionando de segunda a sexta-feira, com dias alternados para cada tipo de produto. 

"Esta semana vamos orientar a  não abertura de comércio aos sábados para mais 52 municípios que irão para o risco alto e moderado. Não teremos mais nenhum município em risco baixo. Esperamos manter  o funcionamento mínimo, apesar da pressão sobre o sistema de saúde estar muito forte", observou o governador.

Casagrande também informou que a Sala de Situação está discutindo o formato do lockdown caso seja necessário.  "Estamos definindo medidas de risco extremo, pois já temos como é o funcionamento para o risco  baixo, moderado e alto. Para o município evitar chegar ao risco extremo, de acordo com a matriz de risco,  deverá reduzir sua letalidade, a incidência de coronavírus. Da mesma forma, ele tem mais liberdade para atividades econômicas. Se o isolamento é baixo, a letalidade alta e o número de notificações também, a atividade econômica será cada vez mais  limitada. Estamos nos esforçando de forma extraordinária", descreveu. 

Na próxima sexta-feira (05), às 9 horas, o governo vai se reunir com a Associação de Municípios do Espírito Santo para conversar sobre a situação da pandemia no Estado. Já nesta quinta-feira (04),  representantes também irão se reunir com o Ministério Público para apresentar e discutir a nova matriz de risco. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.