ASSINE

Por que Colatina é a cidade onde mais pessoas não tomaram a segunda dose?

De acordo com a prefeitura, a situação está relacionada com o receio da população quanto aos efeitos colaterais da vacina Astrazeneca

Colatina / Rede Gazeta
Publicado em 24/06/2021 às 16h17
Vacina de Oxford
A vacina de Oxford/AstraZeneca. Crédito: Carlos Alberto Silva

Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, lidera uma listagem indesejada entre todas as cidades do ES. No município, 1.487 pessoas não apareceram para tomar a segunda dose da vacina da AstraZeneca, segundo levantamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Os números de Colatina são superiores aos de municípios bem mais populosos, como todos da Grande Vitória. Na sequência do levantamento estão Vila Velha (1.383), Serra (1.226), Cariacica (1.222) e Vitória (1.184). Saiba quantas pessoas ainda não retornaram para a segunda dose da Fiocruz por município, clicando aqui.

Procurada para comentar a situação do município, a Prefeitura de Colatina explicou que identificou que a taxa menor de aplicação de segunda dose está associada ao receio da população quanto aos efeitos colaterais da vacina AstraZeneca, além da baixa conscientização sobre a completa imunização.

Vacinaçãoe
Ponto de vacinação em Colatina. Crédito: Prefeitura Colatina

A epidemiologista Ethel Maciel, pós-doutora em Epidemiologia pela Johns Hopkins University e professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), afirmou que a probabilidade de reação na segunda dose é menor que na primeira. Ethel ainda destacou que as pessoas que não tiveram nenhum tipo de reação na primeira dose, pouco provavelmente terão na segunda.

A especialista reforçou que é importante que as pessoas compareçam para completar o esquema de vacinação, para que a pandemia seja controlada no país. Ethel salientou que a imunização deve ser feita dentro dos prazos estipulados, para evitar que novas variantes da doença apareçam.

“A importância de tomar a segunda dose é enorme. Diante das novas variantes, a eficácia da primeira dose é diminuída e a gente precisa de ter, então, uma, uma segunda sendo administrada”, afirmou.

ESTRATÉGIAS DE COLATINA PARA RESOLVER O PROBLEMA

Para minimizar esse problema, a Prefeitura de Colatina informou que está incentivando o ciclo completo das duas doses e realizando a busca ativa de quem ainda não retornou para a segunda dose, por meio da atuação das equipes de Atenção Primária em Saúde do território. A administração municipal também sinalizou que está trabalhando com estratégias para facilitar o acesso à vacina, como a ampliação do horário para o período noturno.

A prefeitura também apontou como fator para esse alto número algumas falhas no o cadastro de informações no banco de dados do Ministério da Saúde, situação que o Executivo afirmou que está sendo solucionada com mutirão das equipes da Saúde.

65% DOS QUE NÃO VOLTARAM PARA A 2ª DOSE NO ES SÃO IDOSOS

Em todo o Espírito Santo, 12.708 pessoas que tomaram a vacina AstraZeneca ainda não receberam a segunda dose. Desse total, cerca de 65% são idosos acima dos 60 anos.

“Muita atenção a pessoa idosa. A primeira dose inicia o processo de geração da imunidade e a segunda consolida. Esse grupo precisa ser protegido e fica aqui o meu apelo a todos aqueles que têm vínculo, que seja responsável legal ou idosos com autonomia, verifiquem o momento de tomar para que a dose 2 seja feita”, disse o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, em coletiva on-line, nesta terça-feira (22).

Vacina de Oxford
A vacina de Oxford/AstraZeneca. Crédito: Carlos Alberto Silva

O levantamento foi feito com base nos dados nominais da população vacinada no período desde o início da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, no dia 18 de janeiro deste ano, até o dia 20 de março.

“São 8.238 idosos que ainda não retornaram ao serviço de saúde para ter a sua segunda dose aplicada. Fazemos esse chamado tão importante à população, procure o serviço de saúde da sua cidade, os municípios têm trabalhado com estratégias extramuros também para facilitar o acesso”, incentivou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo. A coordenadora ressaltou que, apesar do cenário epidemiológico ser de estabilidade no número de óbitos, a população idosa apresenta a maior taxa de letalidade pela Covid-19, por isso, a importância de garantir 100% da cobertura vacinal deste público.

BUSCA ATIVA NOS MUNICÍPIOS

O Programa Estadual de Imunizações tem realizado semanalmente listagem nominal de pessoas que ainda não compareceram para receber a segunda dose. A lista é encaminhada aos municípios sob a orientação de realizar a busca ativa destas pessoas por meio da atuação das equipes de Atenção Primária em Saúde do território.

Na semana do dia 7 de junho ao dia 18 do mesmo mês, 3.943 pessoas retornaram ao serviço de saúde para receber a segunda dose, representando uma redução de 23%. Com novos esquemas de segundas doses prestes a completar 12 semanas no início do próximo mês de julho, a coordenadora destacou o esforço para que todos possam reduzir este dado.

“É resultado de um esforço conjunto entre o Estado e os municípios em realizar a busca ativa dessas pessoas, trabalhamos para zerar este número, além de conscientizar à população de que a complementação do esquema vacinal é o responsável por garantir a imunidade e os benefícios que a vacina tem contra a Covid-19”, informou Grillo.

Quanto a isso, a Prefeitura incentiva o ciclo completo das duas doses e realiza a busca ativa de quem ainda não retornou para a D2 por meio da atuação das equipes de Atenção Primária em Saúde do território. Outro fator está relacionado ao cadastro de informações no banco de dados do Ministério da Saúde que está sendo solucionado com mutirão das equipes da Saúde. O município também tem trabalhado com estratégias para facilitar o acesso à vacina, como a ampliação do horário para o período noturno.

SMS PARA AVISAR SOBRE ATRASO

Uma nova estratégia iniciada nessa segunda-feira (21) pela Secretaria da Saúde, em uma parceria entre o Programa Estadual de Imunização e a Gerência de Tecnologia da Informação, é o envio de mensagens SMS para os cidadãos que se encontram com esquema da vacina Astrazeneca em atraso, em mais de 85 dias.

O objetivo é garantir uma comunicação assertiva e direta com a população, de forma a auxiliar na complementação do esquema vacinal. O envio será realizado semanalmente.

Aqueles cidadãos que têm um número móvel cadastrado no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) e estão com a data superior às 12 semanas de intervalo receberão a seguinte mensagem: “ATENÇÃO: sua segunda dose da vacina contra a Covid-19 está em atraso. Procure a Unidade de Saúde do seu município de residência para informações".

A Gazeta integra o

Saiba mais
Colatina Prefeitura de Colatina Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 colatina Vacina Campanha de vacinação Pandemia Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.