ASSINE

ES quer comprar doses suficientes para vacinar adultos acima dos 30 anos

Com as doses o Estado pretende promover uma vacinação em massa,  mas ainda não há data de quando isto acontecerá; o governo já reservou R$ 200 milhões para a compra dos imunizantes

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 08/03/2021 às 17h20
Atualizado em 08/03/2021 às 17h20
 A cidade do Rio de Janeiro retoma hoje (25) sua campanha de aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 em idosos da população em geral. Hoje serão vacinados os idosos com 82 anos.
Vacinação  contra a Covid-19. Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O governo estadual está negociando diretamente com vários laboratórios a compra de vacinas contra a Covid-19, e com elas espera imunizar a população acima dos 30 anos no Espírito Santo. Ainda não há data definida de quando ocorrerá esta vacinação em massa.

A informação é do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em pronunciamento realizado na tarde desta segunda-feira (08). Segundo ele, quando as vacinas forem adquiridas, a quantidade de doses deve alcançar a população adulta.

“O que se prevê é uma quantidade grande de doses, para que a população de mais de 30 anos possa ser alcançada pela vacinação em massa, para garantir que a população capixaba reduza a circulação do vírus e possamos vencer a pandemia no Espírito Santo”, informou o secretário.

A imunização, explicou ainda, seguirá os grupos definidos pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) e a ordem de distribuição do Ministério da Saúde. “Mas poderemos antecipar etapas da vacinação e podemos garantir que entre estes grupos estão os professores e os trabalhadores da segurança”, destacou ainda.

Em janeiro deste ano, o governador Renato Casagrande já havia anunciado a reserva de R$ 200 milhões que seriam destinados à compra, pelo Estado, de doses de vacina contra a Covid-19.

ENVIO DE NOVAS DOSES

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, explicou ainda, durante o pronunciamento, que o Ministério da Saúde pactuou enviar para os estados, todas as semanas uma quantidade de doses de vacinas e ainda informar o volume a ser distribuído.

“Toda terça-feira comunicam o volume a ser entregue aos estados e, na quarta e quinta, fazem a distribuição. Mas não sabemos o volume de doses a serem distribuídas. São dadas as informações dias antes do recebimento”, explicou

Com isto, acrescenta Nésio, ainda não é possível fazer um planejamento organizado e estruturado. “Não há um calendário detalhado do quanto será disponibilizado e seguimos acompanhando a estratégia flutuante do Ministério da Saúde. Ainda não é possível fazer um planejamento bem estruturado como já foi realizado em nosso Estado em outros planos de imunização”, ponderou Nésio.

ALERTA A PREFEITOS

Nésio também informou que está negociando a compra de vacinas  direto com várias embaixadas e indústrias, mas que não está sendo feito contato com intermediários.

“Neste momento muitos têm se apresentando como fornecedores. O Espírito Santo estabeleceu um procedimento de checagem porque não queremos cometer o risco de submeter nossa condução de enfrentamento da pandemia e da aquisição de imunizantes  a qualquer tipo de risco comercial nas negociações com os laboratórios e a indústria”, explicou.

E fez um alerta aos novos prefeitos que também estão negociando a compra dos mesmos imunizantes. “O nosso alerta aos prefeitos é em relação aos potenciais fornecedores da vacina, para fazerem a checagem dos candidatos a representantes, porque já identificamos situações de alto risco nas negociações na compra de vacinas”, assinalou.

Coronavírus Covid-19 Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.