ASSINE

Saúde e segurança são as áreas que mais preocupam eleitores da Serra

Em pesquisa realizada pelo Ibope, 57% dos entrevistados apontaram a saúde como a área mais problemática na cidade. Outros 56% afirmam que a segurança concentra a maior parte dos problemas. Os entrevistados podiam citar mais de uma opção

Publicado em 20/10/2020 às 17h25
Atualizado em 20/10/2020 às 21h53
Pesquisa Ibope - Eleições 2020 - Serra - segurança e saúde
Saúde e segurança pública são consideradas áreas com mais problemas por eleitores da Serra. Crédito: Arno Senoner/Unsplash/Rawpixel.com/Arte Geraldo Neto

A violência e os serviços de saúde na Serra dividem a preocupação dos eleitores da cidade, de acordo com pesquisa Ibope realizada a pedido da Rede Gazeta. Para 57% dos entrevistados, é na área da saúde que está a maior parte dos problemas a serem enfrentados no município. Outros 56% afirmaram ser a segurança pública. 

Os eleitores podiam citar mais de um problema, elencando-os em 1º, 2º e 3º lugares. Por isso, a soma das respostas resulta em mais de 100%. A educação foi a terceira área mais citada, com 29% das menções. Na lista também aparecem geração de empregos, transporte público, trânsito e outros temas. Veja o gráfico abaixo:

DESTA LISTA, DIGA QUAL É A ÁREA EM QUE, NA SUA OPINIÃO, A POPULAÇÃO DE SERRA ESTÁ ENFRENTANDO OS MAIORES PROBLEMAS (EM %):

A Serra ocupou, durante a última década, o topo da lista dos municípios mais violentos do Espírito Santo. Os índices, contudo, caíram nos últimos três anos, retirando a cidade do primeiro lugar desse ranking.

Em 2019, a Serra foi vista como um exemplo de ações coordenadas de órgãos públicos para redução de criminalidade. A cidade foi responsável por puxar a queda do número de homicídios no Estado. Foram 978 mortes, o menor índice de homicídios nos últimos 25 anos. 

Este ano, contudo, os números de assassinatos voltaram a subir no Espírito Santo, assim como o medo da população. Exceto em Cariacica, nas outras três cidades da Grande Vitória, a segurança pública foi citada como a área mais problemática pelos entrevistados da pesquisa Ibope.

No último mês, a Grande Vitória registrou o setembro mais violento dos últimos quatro anos, com alta dos crimes em todas as cidades, inclusive na Serra. Até setembro foram registrados 129 homicídios na cidade, um aumento de 24,03% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em relação à saúde, o município, este ano, registrou o maior número de profissionais da área infectados pela Covid-19. No início da pandemia, a Serra apresentou a maior taxa de letalidade na Grande Vitória. A prefeitura chegou a desenvolver uma espécie de barreira sanitária para conter a disseminação do novo coronavírus. Além disso, a Unidade de Pronto Atendimento de Castelândia foi usada exclusivamente para tratamento de pacientes com Covid-19.

A Serra registrava, até esta terça-feira (20), quase 18 mil casos confirmados de Covid-19 e 525 mortes pela doença. Na Grande Vitória, o município tem a segunda maior taxa de letalidade (2,9%), ficando atrás apenas de Cariacica. 

HOMENS E MULHERES AVALIAM PROBLEMAS DE FORMA DIFERENTE

As duas áreas que dividem a preocupação da população da Serra afeta homens e mulheres de maneira diferente. Para eles, os maiores problemas da cidade estão na segurança pública. Para elas, na saúde.

De acordo com a pesquisa Ibope, 58% dos homens que foram entrevistados colocaram a segurança no topo da lista de preocupação. No caso das mulheres, 55%. Em relação à saúde, 64% delas veem como a área mais problemática. Entre os homens, esse foi um problema apontado por 51%. 

SAÚDE PREOCUPA QUEM TEM MENOR RENDA

A preocupação com a violência é maior conforme o grau de escolaridade e a renda dos entrevistados aumenta.  Dos entrevistados que possuem ensino superior, 77% apontaram a segurança pública como principal problema a ser enfrentado na cidade. Já entre os que cursaram apenas o ensino fundamental, essa é uma preocupação de 50% deles.

O mesmo acontece entre eleitores de classe mais alta: 68% dos que ganham mais do que dois salários mínimos apontam a segurança como a área mais problemática na cidade. A mesma resposta foi dada por 51% dos entrevistados que declaram receber até um salário mínimo. 

Situação contrária se verifica na saúde. É entre os que mais dependem do serviço público que a área é vista como principal problema.

A saúde foi citada por 59% dos entrevistados que possuem apenas o ensino fundamental. Já entre os que cursaram uma faculdade, as menções chegaram a 51%. Entre o grupo de pessoas que ganha até um salário mínimo, 63% afirmam que esta é a área mais problemática. Enquanto a preocupação atinge 53% daqueles que têm renda superior a dois salários mínimos.

PARA JOVENS, SEGURANÇA É A ÁREA MAIS PROBLEMÁTICA

É entre os jovens que a área de segurança pública foi a mais citada como o principal problema na Serra. Para 75% dos entrevistados que possuem entre 16 e 24 anos, a violência é vista com preocupação. Entre os mais velhos, a área é citada por 54% daqueles que possuem 55 anos ou mais. 

Os mais velhos representam, contudo, o grupo de eleitores que se preocupa mais com os serviços de saúde oferecidos na cidade. 56% que possuem mais de 55 anos apontam este como o principal problema. Entre os jovens de 16 a 24 anos, 48% citaram a área como mais problemática. 

O CENÁRIO ELEITORAL

Na Serra, ainda de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (19), quem lidera as intenções de voto é o ex-prefeito e atual deputado federal Sergio Vidigal (PDT).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.