Casagrande: "Candidato que não se viabiliza pode fazer reflexão"

Governador do ES tem enfrentado dilemas nos municípios da Grande Vitória onde o partido tem pré-candidatos a prefeito concorrendo contra aliados importantes da administração estadual

Publicado em 04/09/2020 às 15h22
Renato Casagrande:
Renato Casagrande: "A regra é a não participação, mas toda regra tem exceção". Crédito: Hélio Filho/Secom

Inaugurada a temporada de convenções partidáriaspré-candidatos em toda a Grande Vitória têm se articulado com o PSB, a fim de contar com o apoio do governador socialista Renato Casagrande durante a campanha eleitoral. Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (3), o governador disse que deixará as decisões do partido para os outros dirigentes da legenda, mas que o PSB está considerando a estabilidade do governo na hora de se articular.

Quando questionado se o partido poderia retirar alguma candidatura em nome da governabilidade, Casagrande respondeu que não caberia aos dirigentes retirar o direito de alguém disputar a eleição, mas sinalizou que o PSB não vai bancar candidaturas a qualquer preço.

"Quem está no governo tem que considerar isso (as candidaturas de partidos aliados), é preciso considerar aqueles que estão colaborando com o governo", afirmou. Mas, afinal, o partido retiraria alguma candidatura para que a disputa municipal não atrapalhe o governo estadual? "Quem retira ou não é se a pessoa tem viabilidade eleitoral. Se não tiver, ele pode fazer essa reflexão. Essa é uma decisão de cada partido e de cada candidato", respondeu.

O governador contou que "a regra" nesta eleição é não interferir nas disputas municipais, mas reforçou que "toda regra tem suas exceções". Ele não descartou subir em palanques, sejam eles virtuais – como lives – ou físicos, mas que isso só aconteceria ao longo da campanha. Mais uma vez, Casagrande disse que se posicionaria caso identificasse uma candidatura que representasse risco à democracia.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"Não pretendo participar (da campanha eleitoral), só participarei em um ou outro local, se for necessário. A regra é a não participação, mas toda regra tem exceção. No governo, não posso ter comportamento de dirigente partidário, como governador eu tenho que manter relação com todos que são aliados"

O PSB NA GRANDE VITÓRIA

Na Grande Vitória, o PSB tem enfrentado dilemas em ao menos dois municípios, onde avalia se apostará suas fichas em um candidato da legenda ou de aliados importantes. Em Cariacica, onde a disputa está mais aberta, o PSB lançou como pré-candidato a prefeito o ex-vereador Saulo Andreon. O deputado estadual Marcelo Santos (Podemos) disse, em entrevista a A Gazeta, que retirou sua candidatura por influência do governador.

Casagrande escolheu Marcelo, um dos mais experientes aliados do governo na Assembleia, para analisar o cenário de Cariacica. Nas últimas semanas, ele tem sinalizado apoio ao também deputado estadual Euclério Sampaio (DEM).

"Tenho conversado com muitos candidatos em Cariacica e todos sabem minha opinião e minha posição. Eu, como governador, não só em Cariacica, mas praticamente em todos os municípios, ficarei afastado de uma posição política para que eu não desorganize e não fragilize a base política do governo", comentou, sobre o município.

Em Vila Velha, o partido do governador tinha como pré-candidato o deputado federal Ted Conti, que já anunciou que não vai participar do pleito. O PSB tem conversado com o atual prefeito, Max Filho (PSDB), com o ex-prefeito Neucimar Fraga (PSD) e com o deputado estadual Doutor Hércules (MDB). Max, que ainda não se diz pré-candidato à reeleição, já sinalizou, no entanto, que gostaria de ter o apoio de Casagrande.

Já em Vitória, o atual prefeito, Luciano Rezende (Cidadania), um dos principais aliados do governador no Estado, lançou o deputado estadual Fabrício Gandini (Cidadania) para a prefeitura. O vice de Luciano, Sérgio Sá (PSB), também é pré-candidato a prefeito, após vencer em uma disputa interna com o deputado estadual Sergio Majeski (PSB) no início do ano.

A Serra é o lugar onde o partido de Casagrande está mais definido quanto à eleição. O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) é pré-candidato e o partido não cogita retirar sua candidatura para apoiar outros nomes. É a principal aposta da sigla na Grande Vitória, que tem procurado aliados que vão do deputado federal Amaro Neto (Republicanos) ao atual prefeito do município, Audifax Barcelos (Rede).

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.