ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Ted Conti fica na Câmara e não será candidato a prefeito de Vila Velha

Agora, dirigentes do PSB reavaliam os planos eleitorais no município hoje governado por Max Filho. Na Grande Vitória, Vila Velha é a única cidade onde partido de Casagrande ainda não tem candidato

Publicado em 23/07/2020 às 05h00
Atualizado em 23/07/2020 às 05h01
Ted Conti não será candidato a prefeito de Vila Velha
Ted Conti não será candidato a prefeito de Vila Velha. Crédito: Amarildo

Ted Conti continua na bancada. Não a do telejornal apresentado por ele por décadas, mas na qual já não está há alguns anos. Refiro-me à bancada federal do Espírito Santo na Câmara dos Deputados. O jornalista e deputado federal não vai concorrer à eleição de novembro a prefeito de Vila Velha.

A possível candidatura de Ted chegou a ser ensaiada e até sonhada por alguns dirigentes do seu partido, o PSB. Agora, essa alternativa está eliminada e riscada dos papéis desses mesmos dirigentes, que no momento reavaliam o que o partido fará na eleição majoritária em Vila Velha.

Cumprindo seu primeiro mandato eletivo, Ted tem se estabelecido, desde a sua chegada à Câmara – em fevereiro de 2019, como suplente de Paulo Foletto (PSB) –, como um político extremamente identificado com Renato Casagrande e leal ao governador, que vem a ser o cacique do PSB no Espírito Santo.

Como “soldado do partido”, diante do plano inicial traçado por dirigentes para ele, Ted fez o movimento que lhe competia fazer para manter viva a possibilidade de ser candidato a prefeito de Vila Velha: no limite do prazo, encerrado no início de abril, fez seu próprio TED (Transferência Eleitoral Domiciliar), ou seja, transferiu o seu domicílio eleitoral de Guarapari para Vila Velha, mantendo-se apto, assim, a participar das eleições no município atualmente sob a administração de Max Filho (PSDB).

Mas a movimentação morreu aí. A bem da verdade, o deputado nunca chegou a realizar um movimento maciço para se viabilizar, próprio de quem realmente estivesse querendo entrar nessa disputa. Longe disso. Muito identificado com o trabalho na Câmara Federal, o deputado tem se dedicado ainda mais às atividades parlamentares. E esse é o primeiro fator que explica a sua não candidatura.

Em conversa conosco nesta quarta-feira (22), Ted explicou que ele e o partido chegaram à conclusão de que ele, no momento, pode contribuir mais para o PSB, para o Estado e para o próprio governo Casagrande permanecendo onde está e buscando atuar como um representante do governador em Brasília (como dissemos: lealdade).

Ted Conti (PSB)

Deputado federal

"Em princípio, estamos definindo que é mais importante eu manter as minhas ações em Brasília, para ajudar, inclusive, e ser uma voz que represente o governo de Renato Casagrande lá em Brasília, que ele também precisa. Então estamos chegando a essa conclusão."

O segundo fator passa pelas eleições municipais. Não ser candidato a prefeito não significa que Ted ficará alheio ao processo. Ao contrário. Só que o partido lhe reserva outro papel na campanha. Liberado de uma candidatura própria, o deputado deve percorrer municípios, sobretudo os do interior, para ajudar o PSB a eleger seus quadros e aliados filiados a outras siglas: os candidatos simpáticos ao Palácio Anchieta.

“É possível que eu fique realmente em Brasília, porque o PSB aqui do Estado entende que é de muita importância a minha representatividade para o governo do Estado lá em Brasília e também uma linha de comunicação direta forte com o interior do Estado nessa fase de campanha, que o PSB vai precisar muito dessas ações.”

Por fim, Ted destaca um fator de ordem prática: a pandemia do novo coronavírus impediu que ele fizesse um movimento mais forte de articulação de candidatura (o que seria importante para ele, especialmente considerando a sua ausência de raízes políticas em Vila Velha).

“Por outro lado, também, o coronavírus acabou dificultando muito que conseguíssemos conversar diretamente com as comunidades para poder ter uma campanha viável. Então, em função de vários eventos, a probabilidade maior é que realmente eu fique em Brasília e ajude o PSB nessa campanha aqui pelos municípios capixabas e seja uma voz ativa do governo Casagrande em Brasília.”

E AGORA, PSB?

Agora, dirigentes do PSB reavaliam os planos eleitorais no município governado por Max Filho. Na Grande Vitória, Vila Velha é a única cidade onde o partido de Casagrande ainda não tem candidato próprio. Em Vitória, tem o vice-prefeito Sérgio Sá; na Serra, o deputado estadual Bruno Lamas; em Cariacica, o ex-vereador Saulo Andreon; em Viana, o vereador Fábio Dias.

Já em Guarapari, cidade de Ted, o partido irá para a disputa com o ex-vereador Gedson Merízio.

“A Executiva Municipal ainda vai se reunir com o [Alberto] Gavini, que é o presidente estadual, para ver quais as diretrizes que serão tomadas [em Vila Velha]. Mas ainda há um certo tempo, porque as convenções acontecem só no início de setembro, então ainda não há um posicionamento”, diz Ted.

Procurado pela coluna, o ex-vereador João Artem, presidente do PSB de Vila Velha, respondeu o que o partido fará agora: “Vamos nos reunir e traçar uma nova estratégia”.

OUTRAS OPÇÕES

Na ocasião, o PSB convidou Borges para se candidatar pelo partido (como militar, ele não precisa se filiar, mas somente registrar candidatura na Justiça Eleitoral, até o dia 26 de setembro). Mas não houve resposta positiva e há pouco otimismo quanto a isso.

Falando em teoria, o partido também pode se abster de lançar candidato próprio em Vila Velha e vir a apoiar outro postulante (que pode vir a ser Max Filho), até para viabilizar acordos que passem por outros municípios da Grande Vitória, considerando justamente o fato acima destacado de que o PSB já tem pré-candidatos em todas as outras maiores cidades capixabas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.