ASSINE

Autoridades e entidades do ES lamentam a morte de Cariê Lindenberg

Políticos e entidades da sociedade civil prestam homenagens ao fundador da Rede Gazeta, que morreu nesta terça-feira (6), ressaltando a importância do empresário para o jornalismo e a democracia

Publicado em 06/04/2021 às 07h52
Atualizado em 06/04/2021 às 13h14
Carlos Fernando Lindenberg Filho, o Cariê, em retrato de 2017
Carlos Fernando Lindenberg Filho, o Cariê, em retrato de 2017. Crédito: Guilherme Ferrari

Autoridades e entidades do Espírito Santo lamentaram, nesta terça-feira (6), a morte de Cariê Lindenberg, fundador da Rede Gazeta, e se manifestaram em solidariedade à família dele. Aos 85 anos, o empresário, músico e escritor não resistiu às complicações de uma pneumonia. 

O governador Renato Casagrande (PSB) lamentou a morte de Cariê e ressaltou o legado deixado por ele aos capixabas. 

"Recebo com muita tristeza a morte de Cariê Lindenberg. Cariê comandou a Rede Gazeta por muitos anos e comandou com isenção e profissionalismo. Formado em Direito, escritor, ajudou a projetar o nosso Estado para o Brasil todo. Aquilo que ele produziu aqui vai ficar como referência para muitos capixabas para a vida toda. Minha solidariedade aos amigos, em especial, à família. Parta com Deus, Cariê", disse.

O presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, deputado estadual Erick Musso (Republicanos), também lamentou a morte de Cariê, citando o fundador da Rede Gazeta como um homem à frente de seu tempo e trabalhador incansável pela democracia.

"Um visionário, um homem à frente do seu tempo. Quero cumprimentar e prestar a minha solidariedade, as minhas condolências e meus sentimentos em nome de seu filho, Café Lindenberg, a todos os familiares de Cariê e colaboradores da Rede Gazeta. Cariê era um homem visionário, um trabalhador incansável pela democracia, que atuou de forma isenta e imparcial por um jornalismo forte e correto não só no Espírito Santo como no Brasil. O empresariado e o jornalismo capixaba sentirão a sua falta, Cariê. Vá em paz, e que Deus continue confortando o coração de todos os familiares, amigos e colaboradores", afirmou.

O presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), desembargador Ronaldo Gonçalves de Sousa, em nome do Poder Judiciário, disse que o Espírito Santo perdeu um visionário.

"Perde o Espírito Santo um visionário, fundador da Rede Gazeta, Carlos Fernando Monteiro Lindenberg Filho. Seu nome vai ficar gravado nos anais do jornalismo, tanto do Espírito Santo como do Brasil. As condolências do Poder Judiciário à família enlutada", disse o desembargador. 

Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCES), Rodrigo Chamoun também lamentou a perda. Em nota, destacou  o legado deixado por Cariê a todos os capixabas e se solidarizou com os familiares e amigos que estão enlutados.

"Empresário, músico, escritor, Cariê teve um papel fundamental na defesa do jornalismo e da liberdade de expressão. Não posso deixar de lembrar da música Devaneio, de sua autoria, que era a vinheta de abertura da programação da TV Gazeta na década de 80. Muitas lembranças incríveis dessa época. Sua atuação deixa um legado imensurável para todos os capixabas. Me solidarizo com a família e amigos e expresso meus sentimentos de pesar", escreveu.

O ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung (sem partido) lembrou a importância da presença de Cariê Lindenberg nas mudanças econômicas, na evolução social e no desenvolvimento da cultura capixaba.

"Hoje o Espírito Santo acorda triste com a morte de Cariê. Cariê esteve presente em boa parte dos fatos importantes que ocorreram no nosso Estado nos últimos anos. Presente nas mudanças econômicas, na evolução social, no desenvolvimento da cultura capixaba. No momento difícil que o Estado buscou sua reconstrução constitucional, Cariê estava presente nos movimentos. Apoiando o movimento Reage Espírito Santo e participando diretamente do movimento empresarial que virou o ES em Ação, movimento que nos colocou de pé novamente", disse.

"Uma grande tristeza, mas uma certeza. Acho que fica entre nós o exemplo de generosidade, de uma relação positiva com o semelhante e deixa um exemplo forte, de profundo amor pelo nosso querido Espírito Santo", complementou.

Também ex-governador do Estado, Arthur Gerhardt, que conduziu o Palácio Anchieta entre os anos de 1971 a 1975, lamentou a morte de Cariê. Amigos de infância, como ele mesmo narra, os dois trabalharam juntos no gabinete quando o pai de Cariê era governador. 

Gerhardt descreve o amigo como uma "figura insubstituível" e divide a história da imprensa capixaba entre "antes e depois" da atuação do fundador da Rede Gazeta.

"Hoje é um dia muito triste, dia de luto, para mim particularmente (...) todos sentimos profundamente a falta de Cariê. Ele representou na minha vida, na vida do Estado e da imprensa brasileira uma cabeça clara, democrática, voltado aos problemas da nossa sociedade. A imprensa do Estado se divide entre antes de Cariê e depois de Cariê. Eu que sou amigo dele desde a infância senti a transformação que o Estado teve. Cariê é uma figura insubstituível."

PARLAMENTARES PRESTAM HOMENAGEM A CARIÊ

O deputado federal Evair de Melo (PP), em mensagem de pesar pela morte de Cariê, destacou o orgulho do empresário pelas origens e o amor que sempre teve pela agricultura.

"Ao Cariê, a nossa eterna gratidão por ter sempre acreditado no Espírito Santo. Ao seu tempo, ousou, inovou, investiu e empreendeu além dos seus limites. Sempre teve orgulho das suas origens e das terras capixabas. Isso mostra seu amor e comprometimento que sempre teve pela agricultura. Nas oportunidades em que estivemos juntos, sempre um bom causo, uma boa história, mas sempre também uma cobrança muito dura para que fizéssemos sempre o melhor para o nosso Estado", disse.

"O nosso muito obrigado aos colaboradores, familiares e todos aqueles que tiveram ao seu lado. A nossa obrigação é de honrar o seu legado, a sua história e, com certeza, ampliar as oportunidades para o povo do Espírito Santo. Muito obrigado e, com certeza, a sua história será a energia para que possamos trabalhar cada dia mais e transformar em oportunidades todos os desafios que estão postos no Espírito Santo", destacou o parlamentar.

O deputado federal Ted Conti (PSB), que foi apresentador da TV Gazeta e trabalhou durante anos com Cariê, citou o aprendizado e a convivência diária com o empresário.

"Cariê sempre foi para nós que trabalhávamos na Rede Gazeta não um chefe, mas sim um amigo. Sempre tinha uma palavra de incentivo e apoio, e uma generosidade sem tamanho. É um homem extremamente culto e amável. Quem teve a oportunidade de conviver com ele certamente aprendeu muito e vai guardar na memória a imagem de uma pessoa iluminada que não poupava esforços para ajudar quem quer que fosse", lembrou.

"Era um comunicador nato e foi uma das personalidades que, sem dúvida, ajudaram a construir a história do Espírito Santo. Fará muita falta", lamentou. 

O deputado federal Felipe Rigoni (PSB) também manifestou pesar pela morte do fundador da Rede Gazeta. Segundo ele, o Espírito Santo perdeu um de seus principais personagens.

Em homenagem no Twitter, o deputado federal Da Vitória (Cidadania) afirmou que Cariê foi um visionário na comunicação capixaba. "Contribuiu ativamente para a projeção do Estado em todo o Brasil", ressaltou. 

O deputado federal Neucimar Fraga (PSD) contou, em comentário no Twitter, que "graças ao empreendedorismo" de Cariê, vendeu jornais A Gazeta, o que o ajudou a comprar material escolar e a contribuir no pagamento de despesas, no passado. 

O deputado federal discursou na Câmara dos Deputados para registrar a homenagem. Pediu, ainda, que o pronunciamento seja reproduzido no programa Voz do Brasil, transmitido em todos os programas de rádio do país.

"Fica aqui meus sentimentos de pesar aos filhos e ao grupo A Gazeta no Espírito Santo. Parabéns, Cariê, pela sua história. Parabéns a família pelo legado que está herdando desse grande homem que ajudou a construir um pedaço da história do Espírito Santo", disse.

O senador Fabiano Contarato (Rede) ressaltou que Cariê "foi um líder de visão e de coragem na defesa da liberdade de imprensa".

O senador Marcos do Val (Podemos) afirmou que o Estado perdeu um "notável empreendedor, amante da música, da literatura".

O deputado estadual Danilo Bahiense (sem partido) destacou o trabalho de Cariê pela defesa da liberdade de expressão e da democracia. "O trabalho de Cariê Lindenberg criou e fortaleceu um jornalismo inovador no Espírito Santo, com defesa da liberdade de expressão e da democracia. O legado está mantido. Nossos sentimentos a todos os familiares e amigos."

O deputado estadual Marcelo Santos (Podemos) lamentou a morte de Cariê e mencionou a importância do empresário no surgimento da Rede Gazeta, que colocou o Estado no ciclo nacional de grandes e importantes debates.

O deputado estadual Adilson Espindula (PTB) manifestou pesar pela morte de Cariê, também o destacando como um "homem à frente do seu tempo".

"Manifesto profundo pesar pelo falecimento do fundador da Rede Gazeta, Cariê Lindenberg. Ele sempre foi um homem à frente do seu tempo e deixa o seu legado na história do Espírito Santo. Que o nosso bondoso Deus o acolha em seus braços e conforte os corações de seus familiares neste momento de profunda tristeza."

PREFEITOS LAMENTAM MORTE DE CARIÊ

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos), também falou sobre a perda de Cariê, destacando o legado e a história deixada pelo "homem à frente de seu tempo", e decretou luto oficial de três dias em Vitória a partir desta terça.

"O Espírito Santo começou esta terça-feira de maneira muito triste com a notícia do falecimento de Cariê Lindenberg. Fica o legado do escritor, empresário, músico. O legado da democracia, da ética, da retidão, da construção de um grupo sólido de comunicação, com pilares muito fincados na democracia. Um homem à frente de seu tempo e que deixa uma história que vai marcar para sempre o Estado do Espírito Santo", afirmou o prefeito da Capital.

"Me recordo ainda da infância, quando todo dia acordava ao som de 'Devaneio', que era pra mim como um despertador nas manhãs e no início das nossas batalhas. Vá em paz, Cariê. O nosso sentimento e carinho a toda a família Lindenberg, a todos os colaboradores, e a Prefeitura de Vitória manifesta seu luto oficial", completou.

Em vídeo, o prefeito da Serra, Sergio Vidigal (PDT), destacou a defesa feita pelo empresário do jornalismo e da liberdade de expressão. Disse que a história de Cariê "se confunde com a história do Espírito Santo". 

"Hoje o dia amanheceu mais triste. Cariê era muito mais do que um empresário do ramo da Comunicação. Era um líder, um artista, um ser humano generoso e extraordinário. A sua história se confunde com a história do Espírito Santo. Um homem que defendeu não somente o jornalismo, mas principalmente a liberdade de expressão", disse.

"Cariê, você combateu o bom combate, concluiu a sua missão e preservou suas convicções. Neste momento de dor e tristeza, Deus possa confortar e trazer paz a todos os familiares e amigos", afirmou Vidigal. 

O prefeito de Vila VelhaArnaldinho Borgo (Podemos), também lamentou a morte de Cariê Lindenberg. Em vídeo, ele disse que admirava "o espírito visionário e empreendedor" do fundador da Rede Gazeta. "Um homem à frente do seu tempo", destacou. 

"Nosso Estado perdeu o capixaba que fez do seu ofício o permanente exercício da democracia e da liberdade de imprensa."

O prefeito de Colatina, Guerino Balestrassi (PSC), destacou a presença de Cariê na geração atual, ressaltando a importância deixada por ele no empreendedorismo e na cultura capixaba.

"Cariê foi uma presença muito marcante para a nossa geração. Fortaleceu os arranjos produtivos no Espírito Santo, os grandes empreendimentos que geraram empregos e desenvolveram o empreendedorismo no nosso Estado. E além do mais, foi fortemente ancorado no desenvolvimento sustentável, na proteção ambiental e na cultura. Seus livros são marcantes para toda nossa geração", frisou.

O prefeito de Linhares, Guerino Zanon (MDB), afirmou que o profissionalismo de Cariê fez dele a "figura mais singular do jornalismo do Espírito Santo". 

"A minha proximidade com Cariê começa em 1993. Ao longo destes 28 anos de convívio, posso afirmar que, o Espírito Santo perde a presença de um homem de visão, enorme capacidade de trabalho e rígido senso ético. Todas as pessoas que tiveram o privilégio de conhecê-lo, conversar com ele, desfrutaram com certeza, de um papo alegre e instrutivo", disse.

No Twitter, o ex-prefeito de Vitória Luciano Rezende (Cidadania) também prestou sua homenagem ao Cariê. "O Espírito Santo e o Brasil perdem um grande homem", disse na publicação.

Ex-secretário de Estado da Cultura, João Gualberto, mencionou a tristeza pela morte do amigo Cariê. Destacou o legado e disse que não existiria a Rede Gazeta "sem o desprendimento, a ousadia e o senso de justiça do Cariê".

"Vejo triste pela Gazeta a morte do meu amigo Cariê Lindenberg. Gosto dele. Honrou o império de comunicação que montou. Perdemos um grande capixaba. Não existiria o Espírito Santo democrático sem a Rede Gazeta. Não existiria a Rede Gazeta sem o desprendimento, a ousadia e o senso de justiça do Cariê. Deixou um legado. Justificou sua passagem nesse plano", destacou.

O ex-secretário de Educação do Espírito Santo e atual secretário-executivo de Educação de São Paulo, Haroldo Rocha, também manifestou pesar pela morte de Cariê. Segundo ele, o fundador da Rede Gazeta foi um "observador atento da realidade capixaba". 

"O Espírito Santo perdeu um grande capixaba. Empreendedor e homem de comunicação. Sob sua liderança formou-se a Rede Gazeta, maior rede de comunicação do ES. Além de empreendedor Cariê foi escritor e observador atento da realidade capixaba. Que Deus o acolha no melhor lugar!", disse. 

Cariê Lindenberg no comando da Rede Gazeta

Café e Cariê Lindenberg observam máquinas em ação no parque gráfico do Jornal A Gazeta, em 1999
Café e Cariê Lindenberg observam máquinas em ação no parque gráfico do Jornal A Gazeta, em 1999 . Acervo A Gazeta
 Diretoria da Rede Gazeta recebe exemplares de Jornais históricos de A Gazeta, em 1987
Diretoria da Rede Gazeta recebe exemplares de Jornais históricos de A Gazeta, em 1987. Nestor Muller
Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) assina o contrato de compra da impressora de A Gazeta em 1996
13-10-1996 - Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) assinando o contrato de compra da impressora - Foto Gildo Loyola. Gildo Loyola
Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) recebe comenda no Palácio Anchieta, em 1979
Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) recebe comenda no Palácio Anchieta, em 1979. Acervo A Gazeta
Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) durante entrevista na TVE em 1996
12-085-1996 - Carlos Fernando Lindenberg Filho (Cariê) durante entrevist na TVE - Foto Carlos A. Silva-SECOM. Carlos Alberto Silva
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985 . José A. Magnago / Arquivo AG
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985
Cariê (primeiro à esquerda) na Comissão O Espirito na Constituinte, reunida na Rede Gazeta em 1985

OAB RESSALTA PAPEL ÍMPAR DE CARIÊ NA HISTÓRIA DO ES

A Ordem dos Advogados do Brasil - seccional Espírito Santo (OAB-ES), em nota, destacou a contribuição de Cariê para o "crescimento econômico, social e cultural do Estado, atuando sempre como defensor da ética, da democracia e da liberdade de expressão". 

"A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) recebeu com imenso pesar, nesta terça-feira, a notícia do falecimento do empresário e escritor Cariê Lindenberg, vítima de pneumonia. Criador da Rede Gazeta de Comunicação, Cariê teve papel ímpar na história do Espírito Santo. Contribuiu de forma valiosa para o crescimento econômico, social e cultural do Estado, atuando sempre como defensor da ética, da democracia e da liberdade de expressão", diz trecho da nota.

"Com a firmeza e a seriedade necessárias, conduziu o jornalismo da Rede Gazeta em grandes coberturas, entre elas a que expôs a atuação do crime organizado no Espírito Santo, dando luz ao trabalho do Fórum Reage Espírito Santo, do qual a OAB-ES fez parte. Cariê deixa também grande exemplo de liderança empresarial. Carismático, generoso, humano, bem-humorado, amante da música, era adorado pelas pessoas com quem trabalhava. Sempre soube motivar e incentivar sua equipe. Neste momento de profunda dor, a Ordem se solidariza com amigos e familiares do empresário", finaliza a Ordem. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.