ASSINE

Mãe de economista assassinado: “Achei que encontraria meu filho ferido, não morto”

Raul Bussolotti, de 41 anos, foi vítima de um latrocínio na madrugada deste domingo (23), no bairro Santa Paula II, em Vila Velha; dois suspeitos foram presos

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 23/01/2022 às 20h02
Economista Raul Bussolotti, de 41 anos, foi morto na madrugada deste domingo (23)
Economista Raul Bussolotti, de 41 anos, foi morto na madrugada deste domingo (23). Crédito: Acervo familiar

Na porta do Departamento Médico Legal (DML) na manhã deste domingo (23), a aposentada Márcia Diniz, 62 anos, desabafou: “Achei que ia encontrar meu filho ferido, não morto”. Ela foi ao local fazer o reconhecimento do corpo do economista Raul Bussolotti, de 41 anos.

Ele foi morto com golpes de tesoura no pescoço, dentro da própria casa. O crime que aconteceu durante a madrugada deste domingo (23), no bairro Santa Paula II, em Vila Velha

Márcia foi avisada por uma vizinha que o filho havia pedido socorro e que a Polícia Militar tinha sido acionada. Ela contou  que chegou a ver os dois assassinos do filho dentro do carro da PM. "Falei para eles que eu não desejava pra mãe deles o que eles fizeram comigo. Nenhuma mãe merece filho bandido", disse.

Sobre o filho, ela disse que Raul era muito carinhoso e eles tinham se falado pela última vez durante a tarde. "Disse a ele que o amava, e ele também disse que me amava. Foi a última coisa que falei para ele. Ele era o melhor filho do mundo, carinhoso,  atencioso. Os rapazes estão presos e eu gostaria muito que houvesse justiça. Tenho que ter fé e esperar que a justiça seja feita".

CORPO ENCONTRADO APÓS RECLAMAÇÃO DE SOM ALTO

De acordo com a Polícia Militar, a descoberta se deu após uma equipe atender a uma reclamação de som alto no condomínio. Quando os policiais chegaram, o porteiro pediu para que seguissem um carro de aplicativo que estava indo para a residência. No local, os policiais viram dois indivíduos.

Quando questionados sobre o barulho, eles informaram que "já tinha acabado e que o proprietário estava dormindo". Com a situação resolvida, os militares estavam indo embora, mas foram informados de que a síndica teria ouvido gritos de "socorro" vindos de dentro daquela casa.

No retorno, a Polícia Militar abordou os dois homens, que estavam com cocaína e uma arma falsa no carro de aplicativo, e chamou pelo morador, que não respondeu. Ao entrar no imóvel, havia vários objetos espalhados e sangue no chão da sala, "em direção ao quarto, que estava fechado".

Polícia Militar

Em nota

"Ao abrir a porta do quarto, o morador foi encontrado nu, com o rosto e o ventre cobertos com lençóis. Quando tirados, foi possível ver várias lesões no pescoço da vítima e uma tesoura ao lado. O Samu foi acionado, porém uma vizinha, que é enfermeira, constatou o óbito"

ENCONTRO MARCADO POR SITE

Questionados, os homens disseram que estavam há dois dias no local e que foram contratados por um site para ter relações sexuais com o economista. "Eles também afirmaram que estavam usando drogas e que o morador foi atingido com golpes de tesoura após uma discussão", diz a nota da PM.

Segundo a apuração da TV Gazeta, um dos criminosos reafirmou, em depoimento prestado na delegacia, que a morte teria sido consequência de uma discussão que aconteceu durante uma relação sexual. O nome de cada um dos indivíduos detidos não foi divulgado.

Polícia Civil informou que os dois suspeitos, de 18 e 21 anos, foram autuados em flagrante por latrocínio e encaminhados para o Centro de Triagem de Viana. Conforme apurado pela TV Gazeta, um já tinha passagem por furto, tráfico de drogas e tentativa de homicídio, e outro por desacato e tráfico.

Eles foram levados para a Delegacia Regional de Vila Velha, onde foram autuados em flagrante pelo crime de latrocínio e encaminhados ao Centro de Triagem de Viana.

Com informações da TV Gazeta

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.