ASSINE

Após marcar encontro em MG, empresário é esfaqueado e deixado no ES

Jhosaf Breder, de 31 anos, disse à polícia que conheceu dois homens pela internet e marcou um encontro em uma praça de Lajinha (MG). No local, ele foi sequestrado e deixado em Viana (ES)

Tempo de leitura: 2min
Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 22/01/2022 às 13h52
DPJ de Cariacica
Após marcar encontro na internet, jovem é esfaqueado. Crédito: Archimedes Patrício

O empresário Jhosaf Breder, de 31 anos, marcou um encontro no interior de Minas Gerais com dois homens que ele conheceu em uma rede social e acabou sendo esfaqueado, roubado, sequestrado e abandonado pelos criminosos em Viana, no Espírito Santo.

Segundo a Polícia Militar, uma equipe foi acionada na madrugada deste sábado (22) para atender ocorrência de uma vítima de roubo de veículo que foi esfaqueada na entrada do bairro Peixe Verde, em Viana.

No local, a vítima disse aos policiais que conheceu dois homens por uma rede social e marcou um encontro em uma praça de Lajinha, em Minas Gerais. No encontro, os homens anunciaram um assalto e seguiram com o veículo da vítima para o Espírito Santo. O homem foi esfaqueado e deixado em uma estrada na zona rural de Viana.

Este vídeo pode te interessar

Ao repórter Aurélio de Freitas, da TV Gazeta, a vítima contou que agradece pelo livramento. “Agradeço aos policiais e ao pastor da Igreja Presbiteriana de Nova Brasília. Agradeço a Deus, primeiramente. Obrigada por eu ter nascido de novo. E se alguém reconhecer o meu carro, um HB20 Sedan, de placas OPX 2H76, agradeço também e peço que comuniquem a polícia”, afirmou.

Ainda de acordo com a PM, os ferimentos provocados pelas facadas foram superficiais. O homem foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Viana, onde ficou sob os cuidados da equipe médica. O caso foi registrado na Delegacia Regional de Cariacica e será investigado pela Polícia Civil.

Com informações do G1 ES

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.