ASSINE

Em um mês, PM detonou ao menos três bombas em ruas de Vitória; relembre

Andorinhas, Nova Palestina e Praia do Suá foram os locais das últimas explosões para inoperar os artefatos. Protocolo exige interdição da rua e deixa moradores assustados

Vitória
Publicado em 16/10/2021 às 19h50
Esquadrão antibombas foi acionado para verificar objeto suspeito na Praia do Suá em Vitória
No dia 16 de outubro, mais uma bomba precisou ser detonada para não causar riscos. Desta vez, na Praia do Suá. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Ao menos três artefatos explosivos precisaram ser detonados pelo Esquadrão Antibombas da Polícia Militar, em Vitória, no intervalo de um mês. A situação mais recente aconteceu na manhã deste sábado (16). De 15 de setembro até este sábado, dia 16 de outubro, Andorinhas, Nova Palestina e Praia do Suá, bairros que ocupam diferentes áreas do território da Capital, foram palco de ação para impedir que granadas e bombas explodissem, gerando ainda mais prejuízo e riscos aos moradores.

As bombas nem sempre têm origem conhecida, às vezes são apontadas como resposta no cenário do tráfico de drogas, mas sempre causam transtornos aos populares. A estratégia inicial da Polícia Militar é interditar a área, inviabilizando o trânsito de veículos e a locomoção das pessoas.

Os moradores ficam apreensivos, sem saber o que o objeto pode causar. O comércio da região, em consequência, fecha as portas. Em Andorinhas, o risco de tiroteio seguido pela suspeita de bomba deixou as crianças sem aulas presenciais.

A detonação é feita pelo Esquadrão Antibombas do Batalhão de Missões Especiais (BME), da Polícia Militar.

RELEMBRE AS TRÊS OCORRÊNCIAS

ANDORINHAS, 15 DE SETEMBRO

Com suspeita de bomba, rua é isolada pela PM em bairro de Vitória
Com suspeita de bomba, rua foi isolada pela PM em bairro de Vitória. Crédito: Fernando Madeira

A granada de fabricação caseira que motivou o isolamento de uma rua em Andorinhas foi detonada algumas horas após ter sido encontrada. A ocorrência foi na tarde de uma quarta-feira, 15 de setembro. O local onde estava o artefato fica ao lado da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Izaura Marques da Silva. À época, a Secretaria de Educação de Vitória informou que os alunos foram atendidos por meio do serviço emergencial remoto, sem a presença dos estudantes no local.

Segundo o soldado Pedro Frasson, a bomba poderia ter machucado várias pessoas. Dentro do artefato havia objetos cortantes, como pregos e pedaços de metal.

Policial do esquadrão antibombas recolhe objeto em Andorinhas

A bomba foi deixada no local após moradores relatarem uma troca de tiros ainda durante a manhã.

A Polícia Militar não soube informar quem deixou o artefato no local e se há relação com os disparos ouvidos pelos moradores.

A fotógrafo Fernando Madeira, de A Gazeta, esteve no local e registrou uma sequência de imagens. As fotos mostram o cuidado dos militares para retirada e detonação do objeto. Veja abaixo: 

Sequência mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas

Detonação de artefato em Andorinhas, Vitória
Detonação de artefato em Andorinhas, Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória
Sequência de imagens mostra momento da explosão de artefato em Andorinhas, em Vitória. Fernando Madeira
Granada de fabricação caseira foi detonada pelo esquadrão antibombas da PM
Ga. Fernando Madeira
Granada de fabricação caseira foi detonada pelo esquadrão antibombas da PM
Ga. Fernando Madeira
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga
Ga

NOVA PALESTINA, 25 DE SETEMBRO

Bomba é encontrada no bairro Nova Palestina, em Vitória
Bomba encontrada no bairro Nova Palestina, em Vitória. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Há muitas semelhanças entre o ocorrido em Andorinhas e o que foi registrado em Nova Palestina, na região da Grande São Pedro. Uma delas é a própria bomba deixada no local. Segundo o soldado Kennedy Menezes, do Esquadrão Antibombas, o artefato é semelhante a outros que já foram encontrados na Grande Vitória. "Tem o mesmo padrão do que foi localizado em Andorinhas", disse.

Uma outra semelhança é o risco em que vivem os moradores. A comunidade foi surpreendida pelo artefato às 7h da manhã do dia 25 de setembro. Mas antes disso, durante a madrugada, moradores relataram ter ouvido disparos de arma de fogo, assim como aconteceu em Andorinhas.

Bomba é encontrada no bairro Nova Palestina, em Vitória
Bomba encontrada no bairro Nova Palestina, em Vitória. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Após a troca de tiros, um morador que andava pela rua encontrou a granada. Ela foi explodida por volta das 11 horas da manhã.

Ainda no dia 25 de setembro, um morador teve a casa incendiada em Nova Palestina. Em vídeo enviado por leitor de A Gazeta, há relato de que "15 meninos desceram armados para colocar fogo na casa".

PRAIA DO SUÁ, 16 DE OUTUBRO

Esquadrão antibombas foi acionado para verificar objeto suspeito na Praia do Suá em Vitória
Esquadrão antibombas foi acionado para verificar objeto suspeito na Praia do Suá em Vitória . Crédito: Reprodução/TV Gazeta

O caso mais recente de granada detonada pelo esquadrão antibombas foi na Praia do Suá, neste sábado (16). Os militares foram acionados durante a manhã, após uma moradora encontrar o artefato. A bomba da Rua Neves Armond foi detonada às 13h30.

Bomba é detonada na Praia do Suá, em Vitória

As semelhanças entre o caso recente e os registros citados anteriormente são a interdição do local e os riscos aos populares que moram na região.

Diferente do que aconteceu na Praia do Suá, moradores de Andorinhas e Nova Palestina já viviam uma rotina de terror quando foram surpreendidos pela granada. O episódio foi mais um na série de problemas do cotidiano.

As três bombas foram explodidas sem causar ferimentos aos moradores, apesar da apreensão gerada.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.