ASSINE

Detento de "saidinha" estupra e engravida menina de 13 anos no Norte do ES

De acordo com a Polícia Civil, o homem de 25 anos é parente da madrasta da vítima e estava hospedado na casa da família. A polícia informou ainda que a família da vítima foi ameaçada

Colatina / Rede Gazeta
Publicado em 13/04/2021 às 15h42
Data: 26/11/2019 - ES - Vitória - Viaturas da Polícia Civil
Menina de 13 anos engravida após ser abusada por preso em saidinha no ES. Crédito: Carlos Alberto Silva

Uma menina de 13 anos engravidou após ser abusada por um presidiário beneficiado por uma saidinha temporária em uma cidade do Norte do Espírito Santo. De acordo com a Polícia Civil, o homem de 25 anos é parente da madrasta da vítima e estava hospedado na casa da família. 

O delegado chefe da 16° Delegacia Regional de Linhares, Fabrício Lucindo, explicou que o caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil no início de fevereiro. Segundo ele, além de estuprar a adolescente, o homem ameaçou os familiares, dizendo que se o caso viesse à tona ele "iria matar a família inteira". 

O criminoso cometeu esses abusos quando recebeu o benefício da saidinha temporária. Como parente da madrasta da vítima, ele foi hospedado pela família na casa que fica na zona rural do munícipio. 

A polícia informou ainda que a adolescente está em período avançado de gestação e não pode mais interromper a gravidez. “Infelizmente a adolescente acabou engravidando e não existe a possiblidade de se autorizar o aborto, já que está com mais ou menos seis meses de gravidez”, explicou Lucindo.

O delegado relatou ainda que o homem tem diversas passagens pela prática de roubos e receptação. No caso do abuso, a polícia representou pela manutenção da prisão do autor do crime.

Delegado Fabrício Lucindo, da Polícia Civil de Linhares
Delegado Fabrício Lucindo, da Polícia Civil de Linhares. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Norte

“Agora ele vai responder também pela prática de crime de estupro, com pena de oito a 15 anos de prisão. A delegada Dra. Silvana Paula Soeiro de Castro Perini já representou por mais uma prisão preventiva do autor do crime e a manutenção da atual prisão, para que o preso não seja mais beneficiado com saidinhas”, finalizou.

OUTROS CASOS NO NORTE DO ESTADO

Um caso parecido já ocorreu na mesma região do Estado. Dois presidiários foram recapturados acusados de cometer estupro de vulnerável e engravidar uma menina de 12 anos no Norte do Espírito Santo. Eles foram beneficiados por uma saidinha temporária, não voltaram para o sistema prisional e teriam cometido o crime enquanto estavam foragidos. Um dos envolvidos é o próprio pai da garota, que não teria praticado o estupro, mas, segundo as investigações, autorizou as relações sexuais. A prisão dos dois ocorreu no final de outubro de 2020. 

Em agosto de 2020, um caso parecido e também registrado no Norte do Espírito Santo chocou todo o país. Uma menina de 10 anos, interrompeu a gestação após ser estuprada pelo tio em São Mateus. Um exame de DNA confirmou que o suspeito cometeu os abusos.  Recentemente, o homem de 33 anos foi condenado a 44 anos, três meses e cinco dias de prisão. 

Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Crédito: Vitor Jubini

No final do mesmo mês, uma menina de 11 anos também engravidou após ser abusada no Norte do Estado. Ela também passou por um procedimento e interrompeu a gestação. Um suspeito do crime, ex-companheiro da avó da menina, foi preso. A gravidez de oito semanas foi descoberta após a criança ter sido atendida em uma unidade de saúde do estado.

Em setembro, um homem de 54 anos foi preso suspeito de estuprar e engravidar uma menina de 12 no também no Norte do Espírito Santo. De acordo com a Polícia Civil, o homem fugiu com a menina para uma comunidade rural e vivia com ela. O suspeito foi autuado por estupro de vulnerável e encaminhado para o presídio do Xuri, em Vila Velha. A Secretaria de Saúde da cidade onde a criança mora disse que a menina estava sendo assistida pelo Conselho Tutelar e por uma equipe com médico e psicólogo.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.