ASSINE

Menina de 11 anos é estuprada e fica grávida no Norte do ES

Criança está na oitava semana de gestação;  dois homens são suspeitos dos abusos e um deles está preso

Publicado em 28/08/2020 às 16h30
Atualizado em 29/08/2020 às 14h15
Jovem assistindo aula no notebook - videoaula
Em um mês, duas crianças ficaram grávidas no Norte do Espírito Santo, vítimas de estupro. Crédito: Ian Panelo/Pexels

ESCLARECIMENTO: Para preservar a identidade e a integridade da vítima, o município onde o caso ocorreu foi retirado do texto. A atualização foi feita às 17:01, de sexta-feira (28).  

No mesmo mês em que o estupro e a gravidez de uma menina de 10 anos no Espírito Santo chocou todo o país, mais um caso de criança vítima de violência sexual vem à tona. Uma menina de 11 anos foi estuprada na região Norte do Estado, e está na oitava semana de gestação. A descoberta ocorreu após a menina ser atendida em uma unidade de saúde da cidade, onde exames confirmaram a gravidez.

O caso segue sob segredo de Justiça, mas a reportagem de A Gazeta apurou que dois homens são suspeitos de abusar da criança: o padrasto, que já foi preso, e o companheiro da avó dela, que está sendo procurado pela polícia. O padrasto negou o crime, mas teve a prisão preventiva mantida enquanto as investigações estiverem em andamento.

Ainda de acordo com fontes de A Gazeta, a interrupção da gestação — aborto legal — foi pedida à Justiça já que a gestação coloca em risco a vida da criança. Exames teriam confirmado que a menina também está com descolamento de placenta. No início da noite desta sexta-feira (28), a informação é de que a menina foi hospitalizada para a realização do aborto legal.

A menina está sendo acompanhada por uma equipe de assistência social e recebendo apoio psicológico.

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) foi procurada para falar sobre o procedimento de interrupção da gestação, mas informou que processos relacionados a menores vítimas de estupro no Estado tramitam sob sigilo.

Polícia Civil informou que investiga o caso, mas que outras informações não serão divulgadas durante as investigações. Reforçou ainda que todas as medidas legais foram adotadas e estão tramitando dentro prazo legal. 

Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) reforçou que  processos envolvendo menores de idade tramitam em segredo de Justiça.

O QUE DIZ O ADVOGADO DA MENINA

O advogado Décio Oliveira enviou uma nota de esclarecimento, no final da noite desta sexta-feira (28), sobre a versão da família da vítima. Confira na íntegra:

"A família da menor e vítima dos fatos narrados pela imprensa informa que não repassou qualquer informação do caso a terceiros e que somente o Ministério Público do local e a Polícia Civil têm conhecimento do caso que deve por lei ser seguido sob extremos sigilo.

É importante esclarecer que o caso está sendo investigado e existem informações repassadas não condizentes com o depoimento da menor, que afirmou a prática do fato por apenas um indivíduo.

Informa ainda que não foi adotada nenhuma medida legal quanto à interrupção da gravidez ocasionada pelo crime, e que a vítima sequer foi submetida a atendimento médico por profissional ginecologista/obstetra até o presente momento.

A vítima se encontra com familiares em um ambiente seguro com toda a atenção, cuidado e carinho que a situação requer.

Neste momento difícil, a família pede o respeito e a compreensão de todos, pois o crime envolve uma criança, e que pela delicadeza do caso é um assunto que deve ser tratado em privacidade."

A Gazeta integra o

Saiba mais
abuso sexual estupro de vulnerável

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.