ASSINE

Por coronavírus, ES vai elevar monitoramento de quem chega da Europa

Secretaria de Saúde descartou caso na Serra, mas ainda há outro sob suspeita em Aracruz. Itália, Alemanha e França estão na lista de alerta

Publicado em 26/02/2020 às 22h18
Atualizado em 27/02/2020 às 10h03
Turistas usam máscaras de proteção na cidade de Veneza, na Itália, onde o tradicional evento de carnaval foi cancelado devido ao surto do novo coronavírus. Crédito: RENATA BRITO/AE
Turistas usam máscaras de proteção na cidade de Veneza, na Itália, onde o tradicional evento de carnaval foi cancelado devido ao surto do novo coronavírus. Crédito: RENATA BRITO/AE

Por conta da epidemia global do novo coronavírus (Covid-19), o governo do Espírito Santo vai intensificar a vigilância de quem chega ao Estado. A Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), que já vinha fazendo esse monitoramento com quem vinha de países asiáticos e apresentava sintomas do vírus, também adotará o protocolo para passageiros vindos da Europa.

O coordenador do Centro de Operações Estratégicas (COE) da Sesa, Luiz Carlos Reblin, informou através da assessoria de imprensa que o leque de países a serem observados para definição de casos suspeitos será maior. 

“Vamos continuar no esforço para que esse vírus não circule entre nós. Na medida em que ele passe a circular, as unidades básicas e hospitais passam a olhar de forma diferente para o paciente que apresentar sintomas. A partir de agora já temos um olhar diferenciado para pessoas que circularam pela Europa, pois até agora a gente olhava apenas para quem vinha de países asiáticos. Então a gente já amplia o leque de países para definição de casos suspeitos”, destacou.

Na segunda-feira (24) o Ministério da Saúde adicionou mais países na lista de alerta do novo coronavírus, incluindo os primeiros três da Europa: Itália, Alemanha, França. Além desses, entram no rol do governo federal Austrália, Filipinas, Malásia, Irã e Emirados Árabes.

Isso significa que serão considerados suspeitos da doença passageiros que estiveram nesses locais e que apresentem sintomas da doença, como febre e tosse. O novo enquadramento é resultado da confirmação da transmissão do vírus dentro desses países.

CASOS SUSPEITOS

No Espírito Santo, o primeiro caso suspeito foi informado pela Sesa e Ministério da Saúde na terça-feira (25), mas foi descartado. Um homem de 54 anos recém-chegado da Itália deu entrada na UPA de Carapina, na Serra, com sintomas do vírus. Ele foi transferido para o Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neves e, nesta quarta (26), diagnosticado com influenza A (gripe). Ele continua internado, mas sem isolamento.

Na manhã desta quarta-feira (26), o Ministério da Saúde informou que o país tem um registro confirmado, 20 casos suspeitos e 59 descartados.

No mundo, os dados apontam para 80.239 casos confirmados e 2.700 mortes, ou seja, um índice de letalidade de 3,4%. Fora da China, o percentual é de 1,4%.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.