ASSINE

Auxílio de R$ 600: famílias devem diferenciar casas em um mesmo terreno

Por ter o mesmo endereço cadastrado, alguns informais estão tendo benefício negado. Por isso, é importante prestar atenção em algumas dicas

Publicado em 22/05/2020 às 19h47
Atualizado em 22/05/2020 às 19h47
A universitária Thais Ramos teve o auxílio emergencial negado
A universitária Thais Ramos teve o auxílio emergencial negado . Crédito: Reprodução/ TV Gazeta

Não é incomum encontrar duas, três ou até quatro casas em um mesmo quintal e, consequentemente, têm o mesmo . Famílias que vivem no mesmo terreno devem dizer que têm casas diferentes para evitar que o auxílio emergencial seja negado. A orientação é do Ministério da Cidadania. Caso seja reprovado por esse motivo, é preciso fazer a contestação indicando que há mais de uma casa no mesmo endereço.

Em todo o Espírito Santo, histórias como a da universitária Thais Ramos se repetem. O pai está desempregado e, com isso, a família depende do auxílio emergencial do governo federal. Apesar de preencher todos os requisitos, o aplicativo Caixa Tem informa que o auxílio foi negado porque dois membros da família já recebem o benefício.

Thais acredita que isso tenha acontecido porque um tio, que mora no mesmo terreno da família, em Nova Carapina I, na Serra, já recebe o benefício. Segundo ela, num mesmo quintal vivem três famílias: a do meu tio, a do meu pai e a da minha tia.

Thais Ramos

universitária

"O que acontece, na família do meu pai que somos eu, ele, minha mãe e minha irmã, ninguém recebe o auxílio. O dinheiro que está faltando é para comida, não é para bobeira. E para pagar conta, porque querendo ou não, água a luz está vindo, poque não recebemos nenhum benefício do governo"

Já o autônomo Alezi Santos, que trabalha fazendo instalação de equipamentos de segurança, também tem o mesmo problema. Com uma redução de 90% do trabalho durante a pandemia do coronavírus, deu entrada no pedido de auxílio emergencial. Porém, foi negado porque, segundo o aplicativo Caixa Tem, alguém da família já tinha recebido o benefício.

Sem a quantia, a família não sabe como arcar com todas as contas. "A prestação do carro [necessário para o trabalho dele] é quase R$ 800 e tem as despesas da casa. O que eu tenho de faturamento hoje quase não dá para pagar a parcela do carro", explica.

PORQUE O PEDIDO É NEGADO E COMO RESOLVER?

Isso ocorre porque até duas pessoas da mesma família podem receber o benefício assistencial. Como o endereço identificado é o mesmo para múltiplas pessoas, o sistema entende, na hora de processar os dados, que todas as pessoas que registraram o pedido fazem parte da mesma casa e nega o pedido.

Segundo o Ministério da Cidadania, quando isso ocorre, é possível contestar a negativa diretamente no aplicativo da Caixa, conforme orientação disponível no tutorial publicado no site do Ministério da Cidadania (clicando aqui). 

"Para as famílias que residem no mesmo endereço, mas em casas diferentes, é preciso destacar essa informação na contestação com a identificação da moradia (casa A, casa B, casa C, por exemplo)", orienta.

(Com informações de Fábio Linhares/TV Gazeta)

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.