ASSINE

Ministério de Damares diz que não vazou dados de menina estuprada no ES

Grupo de religiosos chegou à casa da menina. Além disso, extremista bolsonarista divulgou em vídeo o nome da criança e o endereço do hospital em que aborto legal seria realizado

Publicado em 18/08/2020 às 20h13
Atualizado em 19/08/2020 às 11h49
Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos
Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, teve relação de proximidade com Sara Giromini. Crédito: Marcelo Camargo | Agência Brasil

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) negou ter sido o responsável pelo vazamento de informações sigilosas sobre o caso da criança de 10 anos que foi estuprada pelo tio e submetida a um aborto legal no último domingo (16). O acusado do crime foi preso nesta terça-feira (18)

Ministério Público do Espírito Santo (MPES) abriu uma investigação nesta segunda (17) para apurar a divulgação dessas informações. A legislação da infância e juventude prevê que casos que envolvem incapazes, crianças e adolescentes devem ser mantidos em total sigilo e a violação constitui ilícito civil e criminal. Segundo o órgão, "todas as medidas para preservar e proteger a intimidade da criança estão sendo tomadas, sob pena de responsabilização".

No último domingo, quando a criança foi encaminhada para realização do procedimento, uma campanha foi iniciada nas redes sociais contra o aborto. O nome da menor de idade e o endereço do hospital onde o procedimento seria realizado foram divulgados. A ação mobilizou um grupo de religiosos que foi até o local para realizar ato contra o aborto e os profissionais envolvidos.

A militante de extrema-direita Sara Fernanda Giromini, uma das pessoas que divulgou o nome e o endereço do hospital onde o procedimento seria realizado, chegou a ser convidada pela ministra Damares Alves para assumir a coordenação nacional de políticas à maternidade do Ministério dos Direitos Humanos. Por conta da relação entre as duas, o ministério de Damares emitiu nota.

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos,

em nota

"Salienta-se que os técnicos do Ministério não sabiam o nome da criança, nem o endereço da família. E que jamais tiveram contato com qualquer pessoa próxima à criança. A atuação do ministério limita-se ao relacionamento com as autoridades municipais durante o período de investigação"

O ministério afirmou que acompanha de perto as investigações sobre o caso desde que houve o registro da denúncia de abuso sexual de menor no Disque 100, e que enviaram técnicos para acompanhar, presencialmente, todos os desdobramentos desse e de outros casos, com o objetivo de tomar as medidas cabíveis.

"Esses cuidados evidenciam que este ministério não é responsável por qualquer vazamento de informação sigilosa em relação ao caso. O ministério respeita e age de acordo com a lei e sob os princípios da administração pública", diz o texto.

Acusado de estuprar menina chega do DML, em Vitória

Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar e engravidar a sobrinha em São Mateus chega ao DML. Vitor Jubini
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
O acusado foi preso nesta madrugada, entre 3h e 4h, na cidade de Betim, em Minas Gerais. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
A polícia capixaba recebeu a denúncia e foi até o local onde ele estava escondido. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Antes, o rapaz esteve na Bahia e depois fugiu para Minas Gerais. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
O homem confessou o crime aos policiais durante a captura e transferência para o Espírito Santo. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Segundo a polícia o preso fez contato com um policial de São Mateus, informando onde estava se escondendo após ser considerado foragido pela Justiça. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Desde o que o caso foi descoberto no dia 7 de agosto, a Polícia Civil montou um cerco para localizar e prender o suspeito. . Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Em Vitória, o preso via passar por exames e também será ouvido na delegacia . Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Após ser ouvido o acusado será encaminhado e para a Penitenciária Estadual de Vila Velha 5, no Complexo de Xuri, em Vila Velha. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Vitor Jubini
Suspeito de estuprar menina de 10 anos chegando ao Dml, em Vitória. O suspeito foi preso na cidade de Betim/MG e encaminhado para o Dml.
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus. Vitor Jubini
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus
Preso acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus

Por fim, considerou ainda como "lamentável que um caso tão triste tenha suscitado, desde o início da última semana, uma campanha desnecessária contra o envolvimento do ministério".

EXTREMISTA DIVULGOU DADOS DA CRIANÇA

O YouTube encerrou,  nesta terça-feira, a conta da extremista Sara Giromini "por violar os Termos de Serviço" da plataforma. O YouTube esclareceu que tem "políticas rígidas que determinam os conteúdos que podem estar na plataforma" e que encerra "qualquer canal que viole repetidamente nossas regras".

A conta dela no Instagram também ficou fora do ar, mas segundo o UOL, a remoção não partiu do Instagram — ao contrário dos posts que foram tirados do ar pela rede social. Não se sabe ainda se a conta foi apagada pela própria Giromini ou foi alvo de algum ataque.

O Ministério Público do Espírito Santo acionou a Justiça e conseguiu retirar a publicação das redes sociais. Os promotores argumentaram que Sara Giromini desrespeitou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ao expor a identidade de uma menor, vítima de violência.

Sara Giomini é um dos 16 perfis de aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), investigados por suposta disseminação de fake news, que foram bloqueados pelo Twitter e pelo Facebook no fim de julho.

A suspensão das contas foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão faz parte do inquérito das fake news, que apura ataques a ministros da Corte e disseminação de informações falsas e tem Moraes como relator.

Ao reiterar a ordem de derrubada das contas em território nacional, Moraes afirmou que o objetivo da medida é evitar que os perfis sejam utilizados para "possíveis condutas criminosas" apuradas.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Damares Alves MPES MPES Abuso em São Mateus estupro de vulnerável

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.