ASSINE

Hospitais do ES vão ter mais 300 leitos para pacientes de Covid-19 em junho

Parte da oferta será em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) quando chegar novo lote de respiradores e, no total, o Estado terá perto de 1,4 mil vagas

Publicado em 29/05/2020 às 17h53
Atualizado em 29/05/2020 às 18h30
Novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com respirador no Hospital Jayme Santos Neves, na Serra.
O governo do Estado já adquiriu 580 respiradores para hospitais e unidades de remoção. Crédito: Reprodução/TV

Espírito Santo tem hoje 1.085 leitos disponíveis para atendimento a pacientes com Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é que, ao longo do mês de junho, outras 300 vagas sejam abertas, somando a oferta em hospitais públicos, particulares e filantrópicos, num total de quase 1,4 mil unidades.

A projeção foi apresentada pelo secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes, em coletiva na tarde desta sexta-feira (29), durante a qual também mencionou que o governo tem feito grande investimento na expansão dos leitos para tentar acompanhar a curva de crescimento da doença. No início de maio, segundo ele, eram 550 leitos e em menos de 30 dias a quantidade praticamente dobrou. 

Apesar dos recursos empregados para  ampliar o  atendimento e garantir a assistência às pessoas que desenvolvem o quadro mais grave da Covid-19, Nésio Fernandes destaca que, sem o distanciamento social, a taxa de transmissão do coronavírus não vai cair e a demanda por leitos continuará crescente a ponto de sobrecarregar o sistema de saúde e, mais do que isso, provocando ainda mais mortes.

"Não basta só expandir leitos para que as pessoas morram no hospital. Perseguimos o objetivo de que menos pessoas morram e, para isso, é preciso uma mobilização positiva de adotar medidas individuais de distanciamento, e que todo mundo seja fiscalizador. Essa é uma tarefa de todos e a batalha só pode ser vencida se a sociedade se mobilizar", frisa o secretário. 

Parte da nova oferta de leitos será em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), cuja abertura de vagas depende da instalação de respiradores. O Estado comprou 250 unidades da Itália, das quais 60 já chegaram. Outras 100 estão programadas para a primeira quinzena de junho e mais 100, em julho. Ao todo, o governo já adquiriu 580 equipamentos, incluindo uma versão menos complexa, que é instalada em transportes para serviço de remoção. 

HOSPITAL DE CAMPANHA

O Estado também avalia a melhor estratégia para ampliar o número de leitos na Região Noroeste, onde a demanda é crescente e a oferta de vagas, baixa. Um hospital de campanha chegou a ser cogitado para o município de Colatina, porém não há definição se será neste modelo que a expansão será feita. 

Nésio Fernandes observa que os hospitais de campanha são estruturas temporárias para atendimentos de baixa e média complexidade, ou seja, são leitos de enfermaria. Para esse tipo de assistência, segundo o secretário, não há problemas de oferta. A taxa de ocupação está em 58,82%. 

"Leitos de enfermaria podem ser facilmente adaptados de outras estruturas, não são um problema para enfrentamento. Nosso maior dilema é por leitos de terapia intensiva. Os hospitais de campanha não organizam leitos de UTI com o padrão necessário. O hospital de campanha acaba sendo solução para um problema que não temos, e que não soluciona o nosso real problema. O desafio é expandir leitos de UTI," argumenta.

Ainda assim, o hospital de campanha não está totalmente descartado pelo secretário, uma vez que a Região Noroeste precisará ampliar a oferta de leitos. Mas Nésio Fernandes aponta que há outras opções. "Temos a necessidade de expandir leitos de enfermaria, que poderão ser na rede própria, filantrópica, privada ou por hospital de campanha", finaliza.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.