Guarapari, Linhares e outras seis cidades em risco alto de Covid-19 no ES

Estado conta ainda com 51 municípios no nível moderado em mapa divulgado nesta sexta (25) pelo governo e que começa a valer na segunda-feira (28), ou seja, na semana do réveillon

Vitória
Publicado em 25/12/2020 às 19h08
Atualizado em 26/12/2020 às 08h55
 37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto
37º mapa de risco da Covid-19 no Espírito Santo traz oito cidades em risco alto. Crédito: Governo do ES/Divulgação

Oito cidades do Espírito Santo estão em risco alto de contaminação da Covid-19 no novo mapa de risco divulgado pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (25). São elas: Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Governador Lindenberg, Guarapari, Irupi, Linhares, Mantenópolis e São Mateus.

O 37º mapa de risco da Covid-19 passa a valer de segunda-feira (28) e vai até o domingo (03), ou seja, vai vigorar durante a semana do réveillon.

Ao publicar a informação em seu Twitter nesta sexta, o governador Renato Casagrande reforçou que "é importante mantermos todos os cuidados nas festas de fim de ano".

Do mapa anterior, vigente até domingo (27), apenas Alfredo Chaves e Mantenópolis permanecem em risco alto. Já Afonso Cláudio, Vargem Alta e Ecoporanga deixaram o risco alto e foram para o moderado.

O número de cidades em risco moderado permanece o mesmo: 51. No entanto, alguns municípios enquadrados nessa categoria mudaram. Já o total de cidades em risco baixo caiu de 22 para 19.

João Neiva, Rio Novo do Sul, Itapemirim, Marataízes e Montanha são algumas das cidades que estavam no nível baixo e agora são consideradas risco moderado para a transmissão da doença.

 37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto
37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto. Crédito: Governo do ES/Divulgação

O  mapa considera no eixo de ameaça o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias.

Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença.

LEITOS DISPONÍVEIS

Um dos principais indicadores avaliados na classificação de risco, a ocupação de leitos de UTI vem crescendo no Estado. De acordo com dados da Sesa, atualmente o Espírito Santo tem 1.286 leitos de Covid-19 disponíveis, sendo 641 em UTI e 645 em enfermaria.

O número de leitos ainda pode ser ampliado, caso necessário, e chegar a 715 vagas na UTI e 817 em enfermaria, o que corresponde a um total de 1.532 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus.

Até esta sexta-feira (25), a ocupação dos atuais leitos de UTI para Covid-19 estava em 81,28% no Estado. Já a ocupação de UTIs considerando a capacidade de ampliação está em 72,87%.

GOVERNADOR PEDE CUIDADO REDOBRADO NO VERÃO

Nesta quinta-feira (24), em entrevista a rádio CBN Vitória, o governador Renato Casagrande voltou a pedir que os capixabas redobrem os cuidados durante as festas de fim de ano e também durante o verão, quando o movimento nas praias aumenta.

"Temos que ter atenção com certos ambientes, como praias lotadas, shows e bailes clandestinos, pois há uma possibilidade maior de contágio. Não temos como fechar praias nesta época do ano, portanto, as pessoas precisam fazer a sua parte, mantendo o distanciamento com responsabilidade", afirmou.

Renato Casagrande

Governador

"Estamos em uma época de Natal, ano-novo e verão, em que as pessoas se encontram e confraternizam, aglomeram e fazem festas. Se adotarmos as mesmas práticas que adotamos nos verões passados, vamos ter um período triste de muitas internações e muitos óbitos. As vacinas não chegarão a tempo de vacinar todo mundo"

NÚMERO DE CASOS DISPAROU EM DEZEMBRO

Antes mesmo de terminar, dezembro já superou a marca de 500 óbitos por Covid-19 prevista para o mês. O número de pessoas contaminadas não para de crescer e a cada semana aumentam as cidades classificadas como em risco alto para a transmissão da doença. 

Uma estimativa feita pelo professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Etereldes Gonçalves, que estuda a evolução matemática da pandemia no Estado, indica que se a tendência da contaminação vista atualmente permanecer, só em janeiro o Estado deve registrar mais 800 óbitos causados pelo coronavírus.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.