ASSINE

Guarapari, Linhares e outras seis cidades em risco alto de Covid-19 no ES

Estado conta ainda com 51 municípios no nível moderado em mapa divulgado nesta sexta (25) pelo governo e que começa a valer na segunda-feira (28), ou seja, na semana do réveillon

Vitória
Publicado em 25/12/2020 às 19h08
Atualizado em 26/12/2020 às 08h55
 37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto
37º mapa de risco da Covid-19 no Espírito Santo traz oito cidades em risco alto. Crédito: Governo do ES/Divulgação

Oito cidades do Espírito Santo estão em risco alto de contaminação da Covid-19 no novo mapa de risco divulgado pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (25). São elas: Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Governador Lindenberg, Guarapari, Irupi, Linhares, Mantenópolis e São Mateus.

O 37º mapa de risco da Covid-19 passa a valer de segunda-feira (28) e vai até o domingo (03), ou seja, vai vigorar durante a semana do réveillon.

Ao publicar a informação em seu Twitter nesta sexta, o governador Renato Casagrande reforçou que "é importante mantermos todos os cuidados nas festas de fim de ano".

Este vídeo pode te interessar

Do mapa anterior, vigente até domingo (27), apenas Alfredo Chaves e Mantenópolis permanecem em risco alto. Já Afonso Cláudio, Vargem Alta e Ecoporanga deixaram o risco alto e foram para o moderado.

O número de cidades em risco moderado permanece o mesmo: 51. No entanto, alguns municípios enquadrados nessa categoria mudaram. Já o total de cidades em risco baixo caiu de 22 para 19.

João Neiva, Rio Novo do Sul, Itapemirim, Marataízes e Montanha são algumas das cidades que estavam no nível baixo e agora são consideradas risco moderado para a transmissão da doença.

 37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto
37º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito Santo traz oito cidades em risco alto. Crédito: Governo do ES/Divulgação

O  mapa considera no eixo de ameaça o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias.

Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença.

LEITOS DISPONÍVEIS

Um dos principais indicadores avaliados na classificação de risco, a ocupação de leitos de UTI vem crescendo no Estado. De acordo com dados da Sesa, atualmente o Espírito Santo tem 1.286 leitos de Covid-19 disponíveis, sendo 641 em UTI e 645 em enfermaria.

O número de leitos ainda pode ser ampliado, caso necessário, e chegar a 715 vagas na UTI e 817 em enfermaria, o que corresponde a um total de 1.532 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus.

Até esta sexta-feira (25), a ocupação dos atuais leitos de UTI para Covid-19 estava em 81,28% no Estado. Já a ocupação de UTIs considerando a capacidade de ampliação está em 72,87%.

GOVERNADOR PEDE CUIDADO REDOBRADO NO VERÃO

Nesta quinta-feira (24), em entrevista a rádio CBN Vitória, o governador Renato Casagrande voltou a pedir que os capixabas redobrem os cuidados durante as festas de fim de ano e também durante o verão, quando o movimento nas praias aumenta.

"Temos que ter atenção com certos ambientes, como praias lotadas, shows e bailes clandestinos, pois há uma possibilidade maior de contágio. Não temos como fechar praias nesta época do ano, portanto, as pessoas precisam fazer a sua parte, mantendo o distanciamento com responsabilidade", afirmou.

Renato Casagrande

Governador

"Estamos em uma época de Natal, ano-novo e verão, em que as pessoas se encontram e confraternizam, aglomeram e fazem festas. Se adotarmos as mesmas práticas que adotamos nos verões passados, vamos ter um período triste de muitas internações e muitos óbitos. As vacinas não chegarão a tempo de vacinar todo mundo"

NÚMERO DE CASOS DISPAROU EM DEZEMBRO

Antes mesmo de terminar, dezembro já superou a marca de 500 óbitos por Covid-19 prevista para o mês. O número de pessoas contaminadas não para de crescer e a cada semana aumentam as cidades classificadas como em risco alto para a transmissão da doença. 

Uma estimativa feita pelo professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Etereldes Gonçalves, que estuda a evolução matemática da pandemia no Estado, indica que se a tendência da contaminação vista atualmente permanecer, só em janeiro o Estado deve registrar mais 800 óbitos causados pelo coronavírus.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.