ASSINE

Dia de caos: leitores comentam paralisação dos ônibus na Grande Vitória

Na tarde desta segunda-feira (8), a Justiça do Trabalho determinou o fim dos bloqueios promovidos pelos rodoviários nas garagens, que prgaram os usuários de surpresa pela manhã

Publicado em 08/03/2021 às 18h11
 Paralização dos rodoviários, os ônibus foram impedidos por representantes do Sindicato dos Rodoviários de sair das garagens
Paralização dos rodoviários, os ônibus foram impedidos por representantes do Sindicato dos Rodoviários de sair das garagens . Crédito: Fernando Madeira

Os usuários do transporte público na Grande Vitória enfentaram uma série de transtornos nesta segunda-feira (8), com a paralisação do serviço liderada pelo Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários). Os registros ao longo do dia foram de filas em pontos de ônibus e terminais do Sistema Transcol, além de veículos superlotados. 

O dia foi de caos, uma vez que os problemas causados pela greve somaram-se aos contratempos decorrentes de um temporal na noite de domingo (7), que deixou diversos pontos da Região Metropolitana alagados. Os impactos das fortes chuvas podiam ser vistos em vários bairros ainda na manhã desta segunda. 

À tarde, a Justiça do Trabalho determinou o fim dos bloqueios promovidos pelos rodoviários nas garagens dos ônibus do Sistema Transcol. Caso a determinação não seja cumprida, a aplicação de multa de R$ 100 mil por dia para as empresas dos coletivos.

A paralisação foi um protesto dos trabalhadores contra o afastamento dos cobradores dos coletivos. A decisão foi tomada no ano passado pelo governo do Estado, ao suspender o uso de dinheiro nos ônibus, sob a alegação de minimizar o contágio pelo novo coornavírus. O movimento paredista dividiu as opiniões dos leitores nas redes sociais de A Gazeta. Confira alguns comentários: 

Depois do caos provocado pela chuva de ontem à noite, esse povo ainda resolve promover outro caos logo cedo em plena segunda-feira. As pessoas buscam empatia para si mesmo o tempo todo, mas olhar e promover empatia alheia isso não fazem. Estão em casa e com salários, façam a reivindicação sem prejudicar a população. (Grazielle Pereira Sant'Anna)

Ônibus com ar-condicionado rodando! Extremamente lotadooooos. E a Covid, gente? Sem noção nenhuma essas pessoas que param os ônibus de circular. UTIs estão lotadas, só quem trabalha em hospital sabe como está lá dentro. Me sinto frustrada de ter que ir trabalhar num ônibus com ar e lotado. As pessoas estão quase sentando sobre quem está nos bancos. (Iara Eggert)

Eu não sou favorável ao desemprego dos trocadores, porém agora não é momento disso, gente. Olha a situação dos ônibus que circulavam, como saíram do terminal! Isso é uma irresponsabilidade com a saúde pública, estamos vivendo novamente um pico do vírus... uma coisa de cada vez. Nossos governantes têm que tomar uma atitude, uma vez que não é somente dinheiro em ônibus que vai espalhar o vírus, né? (Valeria Araújo)

E como sempre quem se lasca é o povo que não consegue chegar ao trabalho, perde consulta médica… Um absurdo tudo isso. (Edina Borsonelli)

Categoria egoísta que prejudica a população sem hesitar. A PMVV cancelou a vacinação anti-Covid de hoje, o que lá na frente pode significar algumas mortes. (Edu Xavier)

Protesto deveria ser com a catraca liberada, assim não prejudicaria a população. Fica difícil defender os caras desse jeito! (Rodrigo Silva Lothbrok)

Prejudicar a população com a paralisação dos ônibus é fácil demais, quero ver ter disposição de peitar os grandões rodando sem a população pagar passagem, já que foram eles quem tiraram os cobradores de lá. (Vitor Salaroli)

Ótimo. Com o aumento de números de casos de morte por Covid-19, tudo que precisávamos era de greve no transporte público que já fica lotado em dias normais e com greve fica pior. E quem precisa trabalhar que se vire, né? Porque as empresas não se responsabilizam em buscar os funcionários e ainda descontam o dia daqueles que não conseguiram chegar aos seus trabalhos. Não desmerecendo a categoria, porém é deveras desnecessária uma greve na situação em que o Estado e o país se encontram. Parabéns aos envolvidos. (Isabella Serri)

E o governador Casagrande quer ser presidente do Brasil. Misericórdia. Os ônibus estão andando lotados, sem cobradores, dificultando a vida do usuário que fica prejudicado por estar em situação desfavorável para ir até os terminais recarregar os cartões. Estamos vivendo uma situação difícil sem emprego e ainda esta situação. (Maria José Buback)

Desculpa, mas os cobradores não estão fazendo falta não! (Rose Almeida)

Os cobradores têm que voltar, sim. E também temos que cobrar a integração no bilhete. É um absurdo o que fizeram. Aproveitaram a pandemia e se livraram dos cobradores, não ofereceram nada para a população. Os ônibus continuam umas carroças, sujos, com tempo de espera indecente. Puseram meia dúzia de ônibus melhorzinhos nos bairros nobres e na periferia continua a mesma droga. Pontos sem cobertura, ônibus caindo aos pedaços e por aí vai. Recebem adiantado, com o cartão não correm risco de roubo, isso ficou só para os usuários. Não investiram sequer em câmeras, nem que fosse pra nos enganar. Temos direito à integração no bilhete, a maioria das pessoas nem sabe o que é isso, assim continuam nos passando pra trás na cara dura. (Joao Fernandes Almeida)

Você viu o secretário dando entrevista, dizendo que a população está sofrendo nessa manhã com a superlotação? Ele não anda de ônibus e não sabe que passamos por isso diariamente e agora na pandemia ainda mais, com redução de horários. (Madaí Lopes)

Os cobradores receberam salário enquanto estavam sem trabalhar. Empatia eu devo ter pelo trabalhador que não tem renda nenhuma, um pai de família que busca um serviço aqui, outro ali, para dar um sustento mínimo para a família. Realmente hoje em dia serviço está muito difícil e um trabalhador assalariado tem dificuldade em se especializar. Esse tempo que estão sem trabalho e recebendo poderiam ter procurado outros meios, assim como muitos fizeram. (Poliana Assis)

O sistema está funcionando muito bem sem os cobradores. Por favor, se qualifiquem para encontrar uma nova profissão e liberem os ônibus para o povo que já tem a chuva como um belo obstáculo no dia de hoje. Não tinha necessidade dessa paralisação. (Lorrany Fejoli)

Gente, desculpem-me, mas o mundo evolui, as profissões mudam, extinguem-se umas, surgem outras! Não há como parar o desenvolvimento tecnológico para manter profissões fadadas a desaparecerem! Já tem mais de cinco anos que se sabia que isso aconteceria e, no lugar de evoluir junto, de se preparar , querem que tudo pare e volte atrás para manter trocadores? Ao longo do tempo aconteceu com telefonistas, telegrafistas, datilógrafos e tantas outras... Vai acontecer também com bancários, motoristas de caminhão, taxistas, recepcionistas, entre tantas outras profissões. (Nelia Carvalho)

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.