ASSINE

População sofre à espera de ônibus durante paralisação no ES

Com a frota reduzida, quando consegue entrar em um coletivo, fica ainda mais difícil para a população manter o distanciamento social, necessário para evitar a propagação do coronavírus

Publicado em 08/03/2021 às 09h45
Com rodoviários em greve, população enfrenta longa espera nos pontos e ônibus lotados
Com manifestação, população enfrenta aglomeração nos coletivos. Crédito: Ricardo Medeiros

A segunda-feira (8) começou com os efeitos da chuva e de uma manifestação dos rodoviários na Grande Vitória. Com poucos ônibus disponíveis, já que circulam apenas os coletivos com ar-condicionado, a população enfrenta uma longa espera nos pontos e aglomeração nos ônibus. A situação é ainda mais preocupante quando levamos em conta o contexto da pandemia, que exige um distanciamento mínimo entre as pessoas para evitar a propagação do coronavírus.

O Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários) protesta contra a retirada dos cobradores de dentro dos ônibus, afastados de suas funções pelo governo do Estado desde maio de 2020. Desde o final do ano passado, esse afastamento está atrelado a duração da pandemia, logo, sem previsão para acabar.  O governo do ES destaca que todos os profissionais afastados estão recebendo integralmente seus salários (veja a nota na íntegra ao fim da matéria). 

Ônibus lotados e pontos cheios nesta segunda

Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória. Ricardo Medeiros
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória
Manifestação de rodoviários afeta população da Grande Vitória

Desde as 3h da madrugada, os ônibus convencionais não estão circulando na Grande Vitória. O Sindicato está liberando apenas os coletivos com ar-condicionado porque esses veículos já circulavam sem cobrador desde antes da pandemia.

O QUE DIZ O GOVERNO

A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) e a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES) afirmaram, em nota, que a suspensão da atividade do cobrador no interior nos ônibus do sistema de Transporte Público da Região Metropolitana da Grande Vitória (Sistema Transcol) permanece enquanto perdurar o Estado de Calamidade Pública em virtude da Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional, declarado pela Organização Mundial da Saúde em 30 de janeiro de 2020, em decorrência da Covid-19. 

Após reunião realizada com Secretaria Estadual de Saúde/Vigilância Sanitária onde foi discutido o agravamento da crise de Pandemia no país e no Estado do Espírito Santo, foi orientado que não seja autorizado, neste momento, o retorno da atividade dos cobradores no interior dos ônibus do sistema Transcol. Desta forma, as medidas de enfrentamento ao novo coronavírus implementadas, entre elas a utilização obrigatória do CartãoGV pelos usuários do sistema de transporte; e suspensão da atividade do cobrador no interior dos coletivos permanecem enquanto durar o Estado de Calamidade Pública no Estado.

"A Semobi informa ainda que já vem discutindo e está finalizando o plano de retorno dos cobradores às atividades para ser posto em prática quando for encerrado o estado de calamidade e /ou estiver em consonâncias com às autoridades de saúde. Em relação a este plano, a Semobi adianta que o pagamento em dinheiro no interior dos coletivos permanecerá suspensa, mesmo depois do retorno dos cobradores as suas atividades. Os cobradores também devem retornar as suas atividades a bordo apenas em horários pré-determinados, como os de pico para auxiliar na comercialização de créditos do CartãoGV via pagamento com cartão de crédito ou débito", disseram os órgãos.

A Semobi e a Ceturb destacaram que todos os profissionais afastados estão recebendo integralmente seus salários. "Ao promover o movimento de paralisação de transporte coletivo neste momento, a Semobi entende que isso somente põe em risco a saúde de trabalhadores e de passageiros do Sistema, além de gerar transtornos para diversos segmentos econômicos, sociais e à própria saúde pública. Além disso, o movimento também descumpre decisão judicial proferida pela justiça do trabalho que impede qualquer movimento de paralisação do transporte público na Região Metropolitana da Grande Vitória", comentaram.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.