ASSINE

"A pandemia me assusta, e a ignorância também", lamenta leitora

Em um dos momentos mais críticos da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus no Brasil, leitores criticam a quantidade de pessoas que duvida das estatísticas, desdenha dos riscos e se nega a adotar medidas de proteção

Publicado em 01/03/2021 às 14h34
Pessoa usando máscara na pandemia
Mesmo essencial, uso máscara na pandemia ainda é menosprezado por muitas pessoas. Crédito: Freepik

PANDEMIA

O significado das 250 mil mortes por Covid-19 no Brasil (Coluna Ana Laura Nahas, 28/02). Triste realidade que vivemos, em um país onde tem presidente que sempre negou a doença, não respeitou as medidas de isolamento. E sem contar que há pessoas iguais ou piores do que ele. Senhor, tenha misericórdia de nosso país. (Dalete Tavares)

Incrível como alguns ainda negam a doença depois de tantos dados. E aos que falam em outras doenças como câncer, ou mortes violentas, parem de comparar o incomparável. O câncer não pega por vias respiratórias, nem as mortes violentas. O vírus existe e precisamos nos cuidar, usar máscaras, evitar aglomerações e lavar bem as mãos e usar álcool em gel. Negar a doença é colocar a própria vida em risco e a de outras pessoas. (Ludmila Alves Braiz)

Infelizmente minha mãe pegou e veio a óbito. Ela se cuidava e não sabemos se pegou numa internação hospitalar ou se foi em seu deslocamento. Estou há 17 dias sem ela. (Roberta Klein)

Infelizmente politizaram uma desgraça que se abateu sobre o mundo, que é a Covid. Qual doença matou mais pessoas em um ano no Brasil? São 260 mil mortos. Nenhuma doença matou mais pessoas em tão pouco tempo. Houve negligência dos governos, houve negligência da população. (Carlos Azevedo)

E pelas estatística, o mês de março poderá ser pior. Só quem perdeu alguém que ama sabe como é cruel não poder velar, não ter tempo. É um ciclo que não se fecha. (Gerusa Ribeiro)

Como me assusta as pessoas duvidando da gravidade da doença e do número de mortes. Tudo para defender um monstro de presidente. Esquecem que morreram pessoas no mundo todo e ainda morrem. Será que o jornal A Gazeta tem influência nos dados estrangeiros também? O mundo todo está mentindo nas certidões de óbito? Quanta ignorância! A pandemia me assusta, mas ver os comentários cheios de ignorância me assusta muito também. (Flávia Ferraz Pêgo)

A pandemia mostrou o que muita gente se negava a ver: o Brasil é um trem desgovernado. Não vejo possibilidade de sairmos desse buraco. (Igor Pereira)

Sim, o povo tem culpa, porque muitos acham que é apenas uma gripezinha. Mas se o presidente desse um jeito de vacinar todos logo seria bem melhor, do jeito que ele está fazendo fica difícil. Tem país aí em que quase toda população já tomou a primeira dose. (Ednéia Lamberti)

CASO MILENA GOTTARDI

Julgamento do assassinato da médica Milena Gottardi é suspenso (Polícia, 26/02). Ao menos os envolvidos nesse crime terrível ainda se encontram na cadeia. Não importa onde ocorra o julgamento: toda a sociedade capixaba sabe a covardia de que foi vítima a Dra. Milena. (Pedro Araújo)

Tá, conta aí uma novidade? Num país em que feminicídio é tão comum, não me assustaria se os envolvidos fossem até absolvidos. Preso mesmo é quem morreu, preso debaixo de sete palmos de terra, presos mesmo são as filhas, a mãe os irmãos, presos num sentimento de impunidade e numa saudade sem fim. (Rafaela Cunha)

VAGAS DE UTI

Hospital Materno-Infantil da Serra vai abrir como unidade de tratamento da Covid-19 (Cotidiano, 01/03). Quando a população capixaba parar de ignorar o isolamento social, aí vamos conseguir destinar o HMI somente para materno e infantil... Enquanto isso, vamos aumentar os leitos de UTI para covid-19 e para outras doenças que o pós-Covid está deixando nos pacientes… (Flávia Santanna)

Isso está errado. Como vão ficar as grávidas e as crianças? O hospital não foi construído para Covid. As mães vão continuar indo para Vila Velha, levar seus filhos pra lá? A Maternidade de Carapina não suporta mais, posto de saúde na Serra não tem médico. E aí, como fica? (Fabio de Melo Pimentel)

Quando os casos de Covid-19 diminuírem, um calendário será feito para a abertura como maternidade. (Angela Nicolau)

Estão desviando o motivo para o qual ele foi criado. Uma gestão que se diz tão voltada à saúde vai deixar as crianças e gestantes na mão? Colocam a maternidade de Carapina que está caindo aos pedaços para Covid, já que é por pouco tempo, e deixa o Hospital Materno-Infantil para o que foi criado. As pessoas com tanta esperança nesse hospital e cortam dessa forma. Um absurdo. (Aline Garcias)

Um absurdo. A maternidade de Carapina caindo aos pedaços, as UPAs superlotados sem atendimento decente para as crianças, aí vão pegar mais um hospital para tratamento de Covid? Tenha respeito com as gestantes e crianças. O Jaime não suporta mais? (Karina Felipo Patrocínio)

Quem está reclamando provavelmente não pensou na possibilidade de que pode precisar de leito de UTI. (Dieferson Nascimento)

DESEMPREGO

Desemprego na pandemia supera o pior da mais longa recessão (Economia, 28/02). O mundo já provou que para sair da recessão provocada pela pandemia, primeiro é necessário combatê-la. Enquanto o presidente e o brasileiro (população média) fingir que faz alguma coisa e fingir normalidade, vamos afundar cada vez mais. Éramos para estar no início da recuperação econômica com pelo menos 30% da população vacinada. Enquanto isso, aguarde porque não chegamos ao pior da crise. (Tiago Coelho Loss)

Era o esperado! Comércio com restrições, quem tem comércio está trabalhando tentando apenas não fechar e, graças ao governo que facilitou empréstimos, ainda está sobrevivendo. As pessoas querem falar dos problemas como se não houvesse uma crise vital. (Denilda Pandolfi Basso)

PANDEMIA

Com 1.275 novos óbitos em 24 h, Brasil passa de 254 mil mortes por Covid-19 (Brasil, 27/02). No Brasil não há direcionamento oficial dessa doença, e o povo ainda não colabora. Infelizmente desse jeito, vamos continuar tendo mortes de milhares de pessoas, e até de nossos entes queridos, temos que ser realistas! (João Luiz Simões Araujo)

O Espírito Santo, se comparado com outros Estados, está muito bem. Só um município em risco alto. No Rio Grande do Sul todo o Estado está em risco altíssimo. Alguns Estados vão entrar em colapso total na saúde. Isso não é pavor, é fato. Devemos manter as medidas. O governador está de parabéns. (Ruben Zibetti)

E muitas pessoas continuam fazendo aglomeração e não usando máscara. Falta de empatia e respeito com o próximo. (Sheila de Souza Coutinho)

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.