Pazolini nomeia dois ex-vereadores como secretários em Vitória

Neuzinha de Oliveira foi candidata a prefeita de Vitória e concorreu contra Pazolini, mas o apoiou no segundo turno. Sandro Parrini também esteve ao lado do atual prefeito em 2020

Vitória
Publicado em 20/01/2021 às 15h54
Atualizado em 20/01/2021 às 19h26
Sandro Parrini (à esquerda) e Neuzinha de Oliveira (à direita) apoiaram Pazolini na eleição de 2020
Sandro Parrini (à esquerda) e Neuzinha de Oliveira (à direita) apoiaram Pazolini na eleição de 2020. Crédito: Reprodução/Redes sociais

O prefeito de VitóriaLorenzo Pazolini (Republicanos), nomeou dois ex-vereadores da Capital como secretários na administração municipal. Neuzinha de Oliveira (PSDB), adversária dele na eleição para prefeito da cidade, assume a Secretaria de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho; e Sandro Parrini (DEM), a Secretaria de Esportes e Lazer. As nomeações, publicadas no Diário Oficial de Vitória na terça-feira (19), já estavam previstas desde os primeiros dias da gestão.

Apesar de concorrentes na primeira etapa do pleito, Pazolini e Neuzinha estiveram juntos no segundo turno. A ex-vereadora ficou em sexto lugar no primeiro turno da eleição, com 7.897 votos, e apoiou o agora prefeito na campanha contra o ex-prefeito de Vitória e então candidato João Coser (PT). 

Neuzinha cumpriu cinco mandatos consecutivos na Câmara da Capital, tem especialização em Administração Pública e foi líder comunitária e presidente da Associação de Moradores de Consolação.

Com Neuzinha à frente da secretaria, o então secretário interino de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho, Breno Panetto (Novo), volta a responder pela subsecretaria de Direitos Humanos, cargo para o qual foi nomeado no último dia 5. Ele comandava a secretaria apenas interinamente, até a nomeação de Neuzinha.

No último sábado (16), Panetto foi flagrado sem máscara em uma festa com aglomeração de pessoas, o que vai de encontro às recomendações de distanciamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus. Devido à repercussão nas redes sociais, o subsecretário pediu desculpas em vídeo publicado nas redes sociais. Em nota, a Prefeitura de Vitória informou que ele seria advertido pela postura.

SECRETARIA DE ESPORTES E LAZER

Sandro Parrini tentou a reeleição em 2020, mas, com 1.232 votos, não obteve sucesso nas urnas. Ele também apoiou Pazolini na eleição para prefeito. Ex-jogador de futebol, foi subsecretário de Esportes de Vitória durante a gestão de João Coser, que governou o município entre 2005 e 2012.

A partir da nomeação de Parrini, o ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol de Areia Índio Jorge Ferreira Alves (Republicanos) deixa o comando da pasta, que ocupava interinamente, e assume a subsecretaria de Esportes, para a qual também foi nomeado no dia 5.

OUTROS DERROTADOS NA ELEIÇÃO DE 2020 GANHARAM CARGOS

Parrini e Neuzinha não são os primeiros derrotados a entrarem na gestão de Pazolini. Outros não eleitos já foram nomeados pelo prefeito.

Além de Panetto e Índio, que perderam a disputa para o cargo de vereador, Evandro Figueiredo (Republicanos) também está à frente de uma subsecretaria na gestão – a de Relações Institucionais. Ele é ex-diretor da Câmara de Cariacica e ex-servidor comissionado do gabinete do então deputado estadual Amaro Neto (Republicanos), hoje deputado federal. 

Outros candidatos a vereador que ganharam cargos no Executivo da Capital foram o assistente técnico da Secretaria de Esportes Wilson Barbosa (Republicanos); a assessora técnica da Central de Serviços Lucinéia dos Santos Martins (Republicanos); o gerente de Esporte e Lazer, André Luís Campos Pinheiro Alves (PSD); o assessor técnico de Meio Ambiente Paulo Vitor Dal'Col (PV); e a coordenadora de Políticas de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher, Maria Adelina Diniz (Republicanos). 

De acordo com a prefeitura, todos os nomeados tiveram o currículo analisados para ocuparem os cargos.

Correção

20 de Janeiro de 2021 às 19:25

O texto original desta reportagem informava, incorretamente, que o subsecretário de Relações Institucionais da Prefeitura de Vitória, Evandro Figueiredo, já foi chefe de gabinete do então deputado estadual Amaro Neto (Republicanos), como a prefeitura informou, por meio de nota. Ele ocupou, sim, uma vaga no gabinete de Amaro, mas o cargo, comissionado, era o de "subcoordenador gabinete de representação parlamentar", como informa o Portal da Transparência da Assembleia. A informação foi corrigida.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.