ASSINE

Pazolini promete para janeiro plano de retomada das aulas em Vitória

Eleito prefeito da Capital, ele disse que fechamento de escolas foi um equívoco e que os estudantes da rede municipal não podem ficar mais um ano fora da sala. A equipe dele vai apresentar um plano alternativo logo no início de 2021

Publicado em 09/12/2020 às 19h26
Pazolini é deputado estadual
Lorenzo Pazolini (Republicanos), prefeito eleito em Vitória, participou do Papo de Colunista de A Gazeta. Crédito: Reprodução

O prefeito eleito em Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos), afirmou em entrevista ao Papo de Colunista, de A Gazeta, nesta quarta-feira (09), que busca uma alternativa para retomar as aulas nas escolas municipais da Capital. Ele classificou como um equívoco o fechamento das unidades de ensino em todo o país.

"O mundo todo já entendeu que fechar escola não é a melhor solução, precisa oferecer uma outra alternativa", destacou. "Os alunos da rede municipal não podem ficar mais um ano em casa."

De acordo com o prefeito eleito, a equipe de transição, que na área de Educação é comandada pela professora Juliana Vianna, estuda uma alternativa para que as aulas presenciais sejam retomadas de forma responsável e gradual na cidade. Ele garantiu que um plano vai ser apresentado antes de fevereiro, quando está marcado o início das aulas em 2021.

Lorenzo Pazolini

Prefeito eleito em Vitória

"Vamos apresentar um plano responsável e seguro, condizente com a realidade da nossa cidade. Não concordamos em simplesmente manter essa parcela de jovens fora das escolas. Negar o direito à educação não é a solução"

Para Pazolini, a forma como o ensino tem sido oferecido aos alunos da rede pública, de forma remota, reforça o abismo social na educação.

"Os filhos de famílias da classe social mais alta, que estudam em escola particular, estão recebendo conteúdo, ainda que de maneira remota, uma parte de maneira híbrida, mas eles fazem provas, estão se desenvolvendo. Ao passo que para os filhos das famílias que estudam nas escolas municipais, com todo respeito, o conteúdo é quase inexistente. As escolas estão fechadas e eles praticamente perderam o ano."

Ainda durante a entrevista, o prefeito eleito afirmou que é preciso retomar as aulas para que outros projetos na área de educação sejam implementados, como a expansão de escolas em ensino integral. Ele afirmou que esse será um dos meios para melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na Capital.

"Sem mantê-los [os estudantes] nas salas de aulas, dentro da escola, não vislumbro outra possibilidade, é uma questão de justiça social", afirmou.

Em 2019, Vitória conquistou a nota 5,6 do Ideb para séries iniciais. A meta era a nota 6. Esse resultado fez com a cidade ficasse em 61º lugar no ranking do Estado. Já em relação a séries finais, a nota foi de 4,6. A meta era de 5,2. Com esse resultado, a Capital ocupa o 42º lugar entre os 78 municípios.

ESCOLA CÍVICO-MILITAR 

possibilidade da implementação de uma escola cívico-militar em Vitória foi reafirmada por Pazolini. Ele já tinha dito que havia demanda na cidade e que ele pretendia oferecer este tipo de ensino, sem imposição. 

"Se nos for ofertado um plano do governo federal, com financiamento e projeto pedagógico, não vejo porque negar esse direito aos pais. Quem vai decidir é cada pai e mãe, de maneira soberana. Não tornarei algo obrigatório."

"VAMOS NOS BASEAR NA CIÊNCIA"

O prefeito também frisou, durante a entrevista, que todas as decisões referentes à pandemia, a partir de 2021, vão ser tomadas baseando na ciência. Ele disse que pretende manter diálogo com todos os setores e com o governo estadual. 

"Conversei com o governador Renato Casagrande e nós teremos total responsabilidade. Continuaremos respeitando a opinião de cientistas e técnicos." E ponderou:

"Mas ouvindo também os setores produtivos e buscando alternativas para manter o comércio, os atos que permitam a manutenção do serviço, porque geram impostos, renda."

Questionado sobre o fechamento de postos de trabalho em Vitória, provocado pela crise econômica advinda da pandemia de Covid-19, o prefeito disse que vai retomar o diálogo com o setor produtivo, buscando empreendedores para a cidade.

Ele também afirmou que vai disponibilizar qualificação para profissionais, por meio de parcerias com o sistema S (Senai, Sesc, Sesi e Senac). "Assim, vamos requalificar as pessoas e permitir que elas voltem ao mercado de trabalho", afirmou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.