ASSINE

"Faria de novo", diz jovem que protestou sozinha contra Bolsonaro no ES

Protesto solitário aconteceu na manhã desta sexta-feira (11), no Aeroporto de Vitória, em frente a dezenas de apoiadores de Jair Bolsonaro que aguardavam chegada do presidente ao Espírito Santo

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 12/06/2021 às 07h56
Mulher protesta contra Bolsonaro no aeroporto. O presidente Jair Bolsonaro visita o Espírito Santo
Jovem protesta contra Bolsonaro no Aeroporto de Vitória. Crédito: Vitor Jubini

Com um cartaz em mãos, uma estudante de mestrado, de 27 anos, fez questão de ir ao Aeroporto de Vitória no dia da primeira visita de Jair Bolsonaro ao Espírito Santo, já como presidente da República. Um protesto solitário para demonstrar o descontentamento com a forma com que o governo lida com a pandemia de Covid-19 e administra o país. “Vivemos uma situação extremamente grave, um retrocesso descomunal”, desabafou Maria Clara Gama, nesta sexta-feira (11).

Ao chegar ao local, Maria Clara levantou o seu cartaz, preparado na noite anterior, onde estava escrito: “Bem-vindo. 500.000”. Em meio à saudação, cruzes em referência aos mortos na pandemia, que já ultrapassaram 482 mil.

Trajava uma camisa preta de uma marca capixaba, de Vila Velha. “É uma paródia da banda Black Flag, mas com a palavra SUS no lugar”, relatou. Na cabeça, um gorro preto que sempre usa. Também não esqueceu a máscara, acompanhada de face shield. “Fui ao protesto porque todas as pessoas próximas já foram imunizadas contra a Covid-19. Não correria o risco de contaminar ninguém”, assinalou.

E foi assim que ela enfrentou os apoiadores de Bolsonaro que se aglomeravam desde cedo na entrada do aeroporto. Sem falar uma só palavra, a jovem levantou o cartaz enquanto ouvia vários tipos de xingamento: “comunista”, “volta para Cuba”, “vagabunda”.

A gritaria começou tão logo ela chegou ao local. “Não estava com medo de ir, mas quando vi a quantidade de carros e de pessoas, fiquei preocupada. Mas na hora peguei o cartaz e iniciei meu protesto, sem me importar com o que gritavam. Até que uma pessoa tomou o meu cartaz. Recebi ajuda de um fotógrafo, mas devolveram o meu cartaz rasgado”, relata.

Maria Clara é mestrando em Teoria do direito na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Sonha em ter uma carreira acadêmica, em dar aulas para o curso de Direito. Durante a pandemia acompanha o curso em aulas on-line e mora no Espírito Santo. Não tem vinculação política. “Sou de centro-esquerda, mas votaria até no Doria (o governador de São Paulo, João Doria, do PSDB) para me livrar do Bolsonaro”, contou.

‘FARIA DE NOVO”

A jovem chegou a convidar vários amigos para participar do protesto, mas eles ficaram com receio de serem agredidos. Foi quando decidiu ir sozinha. “Minha indignação é muito grande com tudo o que temos vivenciado. O nível de bizarrice está muito elevado. O desrespeito com a vida é muito grande. Não usa máscara, não respeita o distanciamento social, promove aglomerações, desacredita a ciência, não tem empatia com outro ser humano”, desabafa.

Se tivesse tido oportunidade de se aproximar de Bolsonaro, no momento em que ele desembarcou, ela gostaria de ter feito uma pergunta. “Queria saber por qual motivo ele não comprou vacinas para garantir a vida de tantas pessoas. Por que estimula ações que acabam resultando em mais mortes?”, conta.

Mas ela não conseguir chegar ao presidente. Logo após seu cartaz ser rasgado, ela decidiu entrar na parte interna do aeroporto e logo depois foi embora. “Não queria holofotes ou ficar famosa. Mas faria de novo. Posso não ter mudado o mundo, mas queria que Bolsonaro visse esta recepção não calorosa. Fiquei contente com o vídeo feito dentro de um avião, com protestos contra a aparição dele, no local”, relatou.

Maria Clara já havia participado de outros protestos contra Bolsonaro, mas foi a primeira vez que participou de um ato sozinha. Ela relata que, embora seu cartaz cite as vítimas da Covid-19, não chegou a perder nenhuma pessoa próxima por causa da doença. “Mas foram muitas vítimas e sempre seremos marcados pelas mortes delas e pela indiferença do presidente para com elas. É revoltante”, destaca.

Maria Clara inspirou uma arte do ilustrador Cristiano Siqueira (@crisvector) que tem sido compartilhada nas redes sociais por críticos de Bolsonaro:

Maria Clara Gama, que protestou sozinha contra Bolsonaro em frente a apoiadores do presidente no ES, virou arte nas redes sociais
Maria Clara Gama, que protestou sozinha contra Bolsonaro em frente a apoiadores do presidente no ES, virou arte nas redes sociais. Crédito: Reprodução/Instagram @crisvector

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.