ASSINE

Falso? Verdadeiro? Checamos o que os candidatos a prefeito de Vila Velha falaram no debate

O Passando a Limpo analisou declarações de Arnaldinho Borgo (Podemos) e Max Filho (PSDB) que foram feitas no debate realizado nesta quinta-feira (26) por A Gazeta e CBN

Debate entre os candidatos a prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo (Podemos) e Max Filho (PSDB)
Os candidatos a prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB) e Arnaldinho Borgo (Podemos), no estúdio do debate. Crédito: Fernando Madeira

Em um confronto quente, marcado por embates e acusações, os candidatos a prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo (Podemos) e Max Filho (PSDB), participaram do debate realizado por A Gazeta e CBN Vitória na quinta-feira (26). Durante mais de uma hora  alfinetaram um ao outro, apresentaram críticas e até mesmo apelidaram o adversário.

Passando a Limpo, serviço de fact-checking de A Gazeta, analisou as afirmações dos candidatos e checou as que trazem informações objetivas, baseadas em fatos e dados oficiais, e que podem ser verificadas. Opiniões não foram selecionadas para a checagem.

As declarações são classificadas de acordo com o método já utilizado por A Gazeta nas eleições de 2018, que leva em conta os sete selos listados abaixo.

  • Verdadeiro: quando a declaração ou informação corresponde aos fatos e aos dados; 
  • Verdadeiro, mas: quando a informação é verdadeira, mas um complemento é fundamental para a formação de juízo de valor por parte do leitor; 
  • Não se sustenta: quando não há dados conhecidos que comprovem a informação ou declaração; 
  • Contraditório: quando a informação ou declaração vai de encontro a outra emitida, também confiável; 
  • Discutível: quando a veracidade depende da metodologia utilizada; 
  • Exagerado: quando a informação segue uma linha coerente, mas foi exagerada; 
  • Falso: quando a informação ou declaração não corresponde aos fatos ou aos dados públicos.

A checagem de discurso nos debates foi realizada com todos os candidatos da Grande Vitória neste segundo turno. O objetivo é que os eleitores tomem decisões com base em informações verificadas. Em cada checagem são disponibilizados links para que os leitores possam conhecer as fontes dos dados.

AS DECLARAÇÕES

Arnaldinho Borgo

(Podemos)

Arnaldinho Borgo

Candidato do Podemos

"E vou falar para vocês as empresas que saíram no mandato dele (Max). (...) Além da Tangará, temos a BR Foods, tem a metalúrgica União, tem a Scribo, tem o grupo Petropólis e tantos outros que ele expulsou de Vila Velha"
Selo checagem

A declaração foi classificada pelo Passando a Limpo como exagerada. Das cinco empresas citadas, apenas uma comprovadamente encerrou atividades na cidade durante mandatos de Max Filho na Prefeitura de Vila Velha: a Tangará, que comunicou o fechamento de sua fábrica neste ano, como mostrou o colunista Leonel Ximenes, de A Gazeta, em outubro. 

As empresas Scribo, Petrópolis e União deixaram a cidade durante outros mandatos. O Passando a Limpo procurou as companhias para checar a informação. Representantes da gráfica Scribo informaram que deixaram de operar em Vila Velha em 2000, último ano da gestão de Jorge Anders, quando foi para Viana.

O Grupo Petrópolis informou, por meio de nota enviada ao Passando a Limpo, que tinha uma distribuidora em Vila Velha, mas que ela foi fechada em 2016, quando a operação foi transferida para Cariacica. Portanto, a saída da empresa ocorreu na administração de Rodney Miranda.

A União Metalúrgica, como o próprio Max apontou em resposta no debate, também deixou de operar sua fábrica na cidade durante a administração de Rodney, em 2014, como mostrou o jornal A Gazeta na época.

O Passando a Limpo apurou com diversas fontes e também procurou a BRF (BR Foods) para saber sobre operações do grupo (nascido da fusão de Perdigão e Sadia) em Vila Velha. Entretanto, não foi possível constatar a presença da companhia na cidade. Até a publicação desta reportagem, a assessoria do grupo tentava apurar a informação. A equipe do candidato também foi procurada para comprovar a afirmação, mas não retornou. Ainda assim, das cinco empresas citadas por Arnaldinho, três comprovadamente não encerraram suas operações na cidade durante mandatos de Max. Por isso a declaração foi classificada como exagerada.

Arnaldinho Borgo

Candidato do Podemos

"A cidade de Vila Velha é a que tem o maior número de arrombamentos e roubos aos comércios. É a cidade que tem um dos maiores índices de assassinatos"
Selo checagem

É verdadeiro que Vila Velha é a cidade com o maior número de arrombamentos e roubos a comércios no Espírito Santo. De acordo com os dados disponíveis no portal da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), foram registrados 702 arrombamentos e 352 roubos a comércios na cidade entre janeiro e outubro deste ano.

O município está à frente da Serra, que tem o segundo maior número de assaltos a comércio: foram 184 crimes registrados pela Sesp em 2020. No que se refere a arrombamentos, Vitória aparece em segundo lugar no Estado, com 613 casos.

Vila Velha também tem um dos maiores índices de assassinatos no Espírito Santo. Pelos critérios adotados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), índice refere-se a números absolutos. Em números, a cidade está em terceiro lugar no Estado, de acordo com os dados da Sesp. De janeiro a outubro deste ano, foram registrados em Vila Velha 136 homicídios. Em primeiro lugar está Cariacica, com 150. Em seguida, Serra, com 142.

Arnaldinho Borgo

Candidato do Podemos

"Vila Velha tem quatro anos que não se constrói uma estação de bombeamento (sic)"
Selo checagem

É verdadeiro que nos últimos quatro anos nenhuma estação de bombeamento de água foi construída em Vila Velha. O município conta com três estações de bombeamento, todas inauguradas entre 2015 e 2016.

A primeira estação construída foi a Elmo Dall’Orto, no Canal Guaranhuns, inaugurada em 5 de março de 2015, conforme mostra reportagem do G1. Depois, foram inauguradas, respectivamente, nos dias 22 e 28 do mês de dezembro de 2016, a estação de bombeamento Governador Élcio Álvares, no Canal da Costa, como reportou a Rádio CBN Vitória, e a estação Joel Rangel Pinto, localizada no Sítio Batalha, conforme publicado no site do governo estadual.

As estações foram construídas durante a gestão do ex-prefeito Rodney Miranda (então filiado ao DEM) após ele ser duramente criticado no segundo ano de mandato, em 2013, quando fez uma viagem para os Estados Unidos durante o período em que a cidade sofria com chuvas e alagamentos.

Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo, da TV Gazeta, nesta segunda-feira (23), o atual prefeito, Max Filho (PSDB), citou duas estações – em Cobilândia e Jardim Marilândia – que já estariam contratadas pelo governo do Estado, mas as obras ainda não foram iniciadas.

Max Filho

(PSDB)

Max Filho

Candidato do PSDB

"A prefeitura implementou, neste mandato, o plano de cargos e salários da Guarda Municipal. (...) Hoje um guarda municipal em Vila Velha recebe mais do que um membro da Polícia Militar do Espírito Santo"
Selo checagem

É verdadeiro que o plano de cargos e salários da Guarda Municipal foi sancionado durante a atual administração de Max Filho e que um guarda municipal, em Vila Velha, tem um salário maior do que um soldado da Polícia Militar do Estado.

O plano de cargos e salários da Guarda Municipal da cidade foi aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de Vila Velha em 23 de setembro de 2019. O projeto era de autoria do prefeito e foi sancionado em 1º de novembro de 2019, como noticiou A Gazeta.

O plano traz um conjunto de regras com base nos critérios de mérito e tempo efetivo de serviço, em conformidade com as metas institucionais a serem alcançadas. O documento trata de temas como a estrutura da carreira, formação profissional, carga horária, progressão e a promoção por antiguidade, desempenho, merecimento e escolaridade, além de funções de chefia, remuneração e gratificação de risco de vida, entre outros benefícios.

A remuneração de um guarda municipal do município, no início da carreira, é de aproximadamente R$ 3.300, conforme aponta o Portal da Transparência da prefeitura. Já um soldado da Polícia Militar, também em início de carreira, recebe R$ 2.875,68 como salário-base. A informação pode ser encontrada na Tabela de Remuneração, disponível no Portal da Transparência do governo estadual.

Max Filho

Candidato do PSDB

"O candidato (Arnaldinho) votou contra o Fonplata"
Selo checagem

É verdadeiro que o vereador Arnaldinho Borgo (Podemos) votou contra o projeto de lei que autorizava a Prefeitura de Vila Velha a contratar um empréstimo de R$ 34 milhões junto ao Fonplata (Fundo de Desenvolvimento Financeiro da Bacia do Prata) para obras de infraestrutura nos bairros da cidade. Mas..., em uma segunda votação na Câmara Municipal, quando a proposta foi reapresentada, o vereador votou a favor.

Para essa checagem, o Passando a Limpo consultou reportagens da época e o site da Câmara Municipal de Vila Velha.

O projeto do Fonplata foi levado pelo prefeito Max Filho (PSDB) à Câmara em 2018 e recebeu parecer pela inconstitucionalidade na Comissão de Justiça da Casa durante sessão realizada no dia 8 de outubro, conforme noticiou A Gazeta. Esse parecer foi votado pelos vereadores em plenário. Eles poderiam acompanhar o parecer, rejeitando o projeto, ou discordar do relator, levando a proposta para uma nova votação.

Arnaldinho e outros 10 vereadores concordaram com o parecer da Comissão e rejeitaram o projeto. Apenas quatro parlamentares votaram contrários ao relator. Na época, os vereadores alegaram que faltavam especificações técnicas e econômicas sobre as obras que seriam realizadas com o recurso e a respeito de como o empréstimo seria quitado. O prefeito, por sua vez, afirmou que se tratou de um jogo político. "Quiseram nos dar o troco", disse Max, em entrevista ao colunista Vitor Vogas.

No dia 31 do mesmo mês, os vereadores autorizaram a prefeitura a apresentar um projeto mais detalhado, conforme registrou reportagem de A Gazeta. A proposta do Fonplata voltou ao plenário no dia 19 de novembro, em uma segunda votação. Nesse segundo momento, Arnaldinho, que era presidente da Comissão de Finanças, deu parecer favorável ao projeto. Na votação em plenário, quando todos os vereadores votam, ele também foi a favor do empréstimo. O projeto foi aprovado por unanimidade, como noticiou A Gazeta.

Max Filho

Candidato do PSDB

"O senhor responde um B.O. por agressão contra uma mulher. O senhor invadiu a sede da comunidade, da associação de moradores de Praia das Gaivotas, agrediu uma mulher"
Selo checagem

É falso que haja um boletim de ocorrência contra Arnaldinho por agressão a uma mulher na associação de moradores de Praia das Gaivotas. O documento a que o prefeito Max Filho (PSDB) se referiu durante o debate é um boletim de ocorrência por ameaça, e não agressão,  registrado em 2011 contra Arnaldinho e o pai dele, Arnaldo Borgo.

O Passando a Limpo teve acesso ao boletim e não há, em nenhuma parte do documento, a palavra agressão. Além disso, o processo foi arquivado em 2011 pela Justiça, após a vítima retirar a queixa de ameaça. A decisão está disponível no site do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES).

O caso aconteceu na Associação de Moradores do bairro Praia das Gaivotas. Segundo o boletim, registrado na Delegacia Regional de Vila Velha, Arnaldinho e o pai entraram na secretaria da associação, sem permissão, e exigiram as chaves do local e alguns documentos. No boletim, a mulher relata que eles estavam alterados e fizeram ameaças. Ela, contudo, não menciona ter sofrido nenhuma agressão.

A infração registrada pela polícia no boletim de ocorrência é a de ameaça, prevista no artigo 147 do Código Penal Brasileiro. O Passando a Limpo procurou a Polícia Civil, que informou que o inquérito foi concluído em 2011 e remetido à Justiça, que arquivou o processo no mesmo ano por “extinção de punibilidade”.

Na decisão do dia 13 de outubro de 2011, a juíza Regina Maria Correa Martins registra que a vítima retirou a representação.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.