ASSINE

Após troca de vice, candidatura de Xambinho é liberada pela Justiça

Xambinho teve a candidatura barrada na Serra porque a vice anterior na chapa, Carla Xavier, não prestou contas após ter disputado as eleições de 2018. Nova vice, Ciglei Lira, é do mesmo partido que a antecessora

Publicado em 27/10/2020 às 16h35
Xambinho e sua nova vice, Ciglei Lira
O candidato a prefeito da Serra Xambinho (PL) e sua nova vice, Ciglei Lira (Republicanos). Crédito: Divulgação

O deputado estadual e candidato a prefeito da Serra Alexandre Xambinho (PL) teve sua candidatura regularizada na Justiça Eleitoral nesta terça-feira (27). O pedido de registro havia sido rejeitado no último dia 21, já que a então vice na chapa, Carla Xavier (Republicanos), não prestou contas da eleição anterior, em 2018. Ela renunciou à vaga que ocupava na chapa e o Republicanos indicou Ciglei Lira (Republicanos) para substituí-la.

Com a mudança, a juíza Gladys Henriques Pinheiro, da 26ª Zona Eleitoral, concedeu o registro de candidatura a Xambinho, que está apto a seguir na disputa.

O Republicanos havia recorrido da decisão que barrou Carla Xavier e alegou que ela fez a entrega da prestação de contas, que não foi registrada, segundo o partido, por uma falha na logística do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), que teria "perdido um pen drive". Se a sentença contra Carla for mantida, ela ficará sem poder exercer seus direitos políticos até a próxima eleição, em 2022.

NOVA VICE

Ciglei Lira, a nova vice na chapa de Xambinho, é militante do Republicanos desde 2012, quando foi candidata a vereadora da Serra. Ela é moradora de Porto Canoa e já estava acompanhando a campanha do candidato a prefeito. 

ENTENDA O CASO

Em 2018, Carla Xavier tentou se eleger deputada federal, pelo Republicanos. Ela não foi eleita e, segundo a Justiça Eleitoral, não entregou em tempo hábil a sua prestação de contas.

Isso a impede de obter a quitação eleitoral, uma comprovação que mostra que o cidadão não possui nenhuma pendência e pode exercer seus direitos políticos, como votar e ser votado.

A quitação eleitoral é uma certidão indispensável para qualquer pessoa que deseja concorrer ao pleito. Em situação de pendência, o candidato fica impedido de disputar uma eleição durante o período do mandato a que se referem as contas não prestadas. No caso de Carla, o impedimento é até 2022. A chapa recorreu, mas a Justiça manteve a decisão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.