ASSINE

Após ter candidatura a prefeito barrada, Xambinho define nova vice na Serra

Candidato a prefeito teve a candidatura rejeitada pela Justiça Eleitoral devido à falta de prestação de contas, referente a 2018, da então vice na chapa dele. Após a mudança, a Justiça liberou o registro e Xambinho agora está apto na disputa

Publicado em 26/10/2020 às 16h45
Atualizado em 27/10/2020 às 14h41
Alexandre Xambinho em cena de sua propaganda eleitoral
Alexandre Xambinho em cena de sua propaganda eleitoral com sua antiga vice, Carla Xavier (de verde). Crédito: Reprodução/Instagram

O deputado estadual e candidato a prefeito da Serra Alexandre Xambinho (PL) tem uma nova vice na chapa: a jornalista Ciglei Lira (Republicanos). Ela entra na vaga deixada por Carla Xavier (Republicanos), a vice anterior, que renunciou à candidatura no último sábado (24).

A medida foi para contornar a rejeição do pedido de registro do candidato pela Justiça Eleitoral. A decisão foi baseada na falta de prestação de contas de Carla Xavier, que se candidatou a deputada federal nas eleições de 2018. 

Como ela e Xambinho estavam juntos neste ano na corrida para o Executivo municipal, a sentença que a impede de disputar a eleição se estendia ao candidato a prefeito.

Atualização em 27 de outubro: após a troca de vices, a candidatura de Xambinho foi julgada novamente e autorizada pela Justiça Eleitoral.

Ciglei, a nova vice, é militante do Republicanos desde 2012, quando foi candidata a vereadora da Serra. Ela é moradora de Porto Canoa e já estava acompanhando a campanha de Xambinho. A jornalista também foi indicada pelo Republicanos, partido aliado do candidato a prefeito.

Vice na chapa de Alexandre Xambinho, Ciglei Lira é jornalista e moradora de Porto Canoa. Crédito: Divulgação
Vice na chapa de Alexandre Xambinho, Ciglei Lira é jornalista e moradora de Porto Canoa. Crédito: Divulgação

Carla, que renunciou ao seu lugar, também continuará na campanha. O Republicanos alega que a prestação de contas dela, em 2018, não foi computada por um erro no sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES). Carla Xavier recorreu da decisão no Tribunal, mas perdeu e o caso foi julgado como contas não prestadas.

ENTENDA O CASO

A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Carla Xavier no último dia 21. A juíza Gladys Henriques Pinheiro, da 26ª Zona Eleitoral da Serra, afirma que as contas da candidata foram julgadas não prestadas em 2018, quando ela concorreu para uma vaga na Câmara dos Deputados.

Esse fato a impede de obter a quitação eleitoral, uma comprovação que mostra que o cidadão não possui nenhuma pendência com a Justiça Eleitoral e pode exercer seus direitos políticos, como votar e ser votado.

A quitação eleitoral é uma certidão indispensável para qualquer pessoa que deseja concorrer ao pleito. Em situação de pendência, o candidato fica impedido de disputar uma eleição durante o período do mandato a que se referem as contas não prestadas. No caso de Carla, o impedimento é até 2022. A chapa recorreu, mas a Justiça manteve a decisão.

Após a troca da vice, a situação mudou e Xambinho está apto a disputar a prefeitura.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.