ASSINE

Morta em Linhares, menina Heloísa faria 3 anos no próximo mês

O delegado Tiago Cavalcante acredita que a criança foi vítima da bala perdida. Ela foi baleada quando estava no portão da casa da vizinha, que também morreu

Colatina
Publicado em 03/12/2020 às 13h03
Atualizado em 03/12/2020 às 13h03
Heloísa Dias Nascimento, a criança de 2 anos e 11 meses e que completaria 3 anos no próximo dia 4 de janeiro de 2021
Heloísa Dias Nascimento, a criança de 2 anos e 11 meses que completaria 3 anos no próximo dia 4 de janeiro de 2021. Crédito: Redes Sociais

A pequena Heloísa Dias Nascimento, que foi morta na noite desta quarta-feira (2), em Linhares, no Norte do Espírito Santo, faria 3 anos de idade no início do próximo mês. A menina iria comemorar mais um aniversário no dia 4 de janeiro, mas teve a vida interrompida violentamente quando foi baleada no portão da casa de uma vizinha - que também foi morta - na Rua José Carlos Langa, bairro Planalto. Segundo a Polícia Civil, a criança não era o alvo dos disparos.

De acordo com a  polícia, a principal suspeita é a de que os criminosos tenham ido atrás de Sandra dos Santos Calixto, de 45 anos, que acabou sendo morta, e da filha dela, uma adolescente de 15 anos, que foi baleada e encaminhada com ferimentos para o hospital.

O delegado Tiago Cavalcante acredita que a pequena Heloísa foi vítima da bala perdida. “Acredito que os alvos principais, pela quantidade dos disparos, eram Sandra e a filha. A criança foi atingida por má execução do crime”, relatou o delegado.

O CRIME 

Segundo a Polícia Militar, as vítimas estavam na calçada, quando dois homens encapuzados deixaram uma moto na esquina e foram a pé, cada um com uma arma, na direção delas, e atiraram várias vezes. Os tiros assustaram os moradores do bairro.

A pequena Heloísa era filha de uma vizinha e estava no portão com Sandra e a adolescente. A criança foi socorrida e encaminhada para o Hospital Geral de Linhares (HGL), mas não resistiu e morreu na unidade. A mulher e a filha foram levadas para o Hospital Rio Doce, onde Sandra morreu e a filha segue internada sem risco de morrer.

O caso é investigado na Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Linhares. A principal linha de investigação indica que o crime esteja relacionado ao tráfico de drogas. Até o momento nenhum suspeito foi detido.

Delegacia Regional de Linhares
O caso é investigado na Delegacia Regional de Linhares. Crédito: Loreta Fagionato

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Serviço Médico Legal (SML) de Linhares. Familiares da Sandra e da pequena Heloísa estiveram no local, mas não quiseram gravar entrevista.

MARIDO DA VÍTIMA FOI MORTO NO MEIO DO ANO

Para a polícia, reforçando a tese de que o crime teria ligação com a disputa por pontos de tráfico de drogas na região, em julho deste ano, o comerciante Francisco de Assis dos Santos Calixto foi morto a tiros no mesmo bairro. Ele era marido de Sandra e pai da adolescente baleada. A polícia acredita que os crimes tenham relação.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Assassinato Linhares Polícia Civil Polícia Militar crianca crime homicídio linhares ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.