ASSINE

Satélite acha avião misterioso na mata do Aeroporto de Vitória

Aeronave pode ser vista em imagens do espaço na região que fica próxima a Jardim Camburi. A Gazeta foi buscar que história é essa

Publicado em 29/09/2020 às 10h38
Mata do Aeroporto de Vitória, ao lado da Rodovia Norte Sul, em Jardim Camburi, esconde avião misterioso
Mata do Aeroporto de Vitória, ao lado da Rodovia Norte Sul, em Jardim Camburi, esconde avião misterioso. Crédito: Ricardo Medeiros

As imagens de satélite mais recentes de Vitória disponibilizadas pelo Google capturaram o que claramente é um avião deixado num terreno em meio à mata do Aeroporto de Vitória. Nas imagens, é possível ver uma aeronave de pequeno porte próxima da entrada dos fundos do sítio aeroportuário, próximo à Rodovia Norte Sul, em Jardim Camburi.

A Gazeta foi atrás de explicações para desvendar esse mistério e descobriu que se trata de uma aeronave de modelo Aero Commander que foi trazida em 2006 para ficar no sítio aeroportuário da Capital.

O avião está parado, exposto a sol e chuva. Segundo a Aeroportos do Sudeste do Brasil (ASeB), concessionária que administra o Eurico de Aguiar Salles, o veículo não tem nenhuma serventia atualmente ao terminal e foi recebida pela empresa ao assumir a gestão da área em janeiro, sendo sua responsabilidade apenas guardá-la em ambiente restrito de acesso.

O bimotor turboélice tem capacidade de transportar até oito passageiros. É uma aeronave de asas altas desenvolvida ainda na década de 1950 pela antiga fabricante americana Aero Commander, empresa comprada pela Rockwell International em 1958, e depois pela Gulfstream em 1981, até a fabricação do modelo ter sido encerrada em 1986.  

Foi apreendido pela Receita Federal no interior de São Paulo e por isso acabou vindo para o Estado para ser "guardado".

Imagem de satélite mostra avião parado na mata do Aeroporto de Vitória
Imagem de satélite mostra avião parado na mata do Aeroporto de Vitória. Crédito: Google Earth e Christian Helal

AVIÃO MISTERIOSO NÃO VEIO VOANDO. ENTENDA:

Apesar de estar abandonado atualmente, o avião já teve utilidade prática em seus primeiros anos no aeroporto, segundo informações da Superintendência Regional da Receita Federal. Em seus dois anos iniciais em Vitória, porém, ele ficou desmontado.

A aeronave foi destinada pela Receita para a Alfândega de Vitória em 2006, após a apreensão em São Paulo, para que fosse utilizada no treinamento de cães de faro e buscas em geral. Sem ter autorização para voar, a logística para trazer o equipamento para o Espírito Santo foi complicada, tendo sido necessário desmontá-lo na época.

Avião do modelo Aerocommander está parado no Aeroporto de Vitória desde 2008
Avião do modelo Aero Commander está no Aeroporto de Vitória desde 2006. Crédito: Christian Helal

"Para o transporte até Vitória foi necessário o desmonte da aeronave. De forma que [a aeronave] somente veio a ser disponibilizada para treinamentos em 2008, depois que militares da Força Aérea Brasileira localizados no Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa-MG (PAMALS) efetuaram a sua remontagem", explicou o órgão.

Além de ter utilidade nos primeiros anos, a aeronave também era bem cuidada. Em 2010, ela passou por uma leve reforma na pintura, de acordo com a Receita. Mas, com os anos, foi deixando de ser usada nos treinamentos. Ela ficava nas imediações do antigo terminal do Aeroporto de Vitória.

Isso até 2014, quando o avião foi removido para a mata próxima à pista de pousos e decolagens por solicitação da Infraero, que pretendia utilizá-la em "demonstrações de segurança aeroportuária". 

Porém, com as obras do novo aeroporto, que foram reiniciadas em 2015 e concluídas em 2018, o Aero Commander foi cada vez mais sendo deixado de lado e sua remoção para as proximidades da pista, de forma a ficar acessível para a realização dos treinamentos, foi prejudicada, permanecendo parado na mata do aeroporto até hoje.

Imagem de satélite mostra avião na mata do Aeroporto de Vitória próximo a Jardim Camburi. Crédito: Satélite/Google Earth/2020
Imagem de satélite mostra avião na mata do Aeroporto de Vitória próximo a Jardim Camburi. Crédito: Satélite/Google Earth/2020

A reportagem de A Gazeta questionou a Receita Federal o porque da aeronave não ter sido doada ou leiloada. O órgão informou que em 2018 houve tentativa de doação do avião a órgãos públicos e outras entidades, mas sem sucesso.

A Receita não forneceu detalhes sobre os motivos da apreensão da aeronave nem a quem ela pertencia no passado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.