ASSINE

Ônibus mais seguro e econômico vai operar no ES a partir de setembro

Marcopolo anunciou nova geração de veículos para transporte rodoviário, com mais itens de segurança e menos poluente. Primeira compradora é a Viação Águia Branca

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 20/07/2021 às 20h47
Novo ônibus da Marcopolo G8
Novo ônibus da Marcopolo G8. Crédito: Divulgação/Marcopolo

Um novo modelo de ônibus mais econômico e com mais itens de segurança para motoristas e passageiros começará a circular no Espírito Santo a partir de setembro. A Marcopolo anunciou nesta terça-feira (20) o lançamento da geração oito (G8) de ônibus rodoviários, sendo que o primeiro comprador é a viação Viação Águia Branca.

Os veículos não serão fabricados na planta da empresa no Estado. A produção será em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Durante a coletiva de apresentação, um dos diretores da Águia Branca informou que o novo modelo circulará em São Paulo, Rio de Janeiro e Vitória já em setembro. Não há informação sobre o número de veículos adquiridos.

Segundo a Macopolo, o novo coletivo conta com uma cabine de segurança projetada para proteger mais os motoristas, que ficam em uma posição vulnerável em caso de colisão frontal do veículo. Por isso, a área foi reforçada e testes foram feitos para garantir uma proteção maior.

"Fizemos uma célula de segurança para o motorista. Fizemos um crash test (teste de colisão) que comprovou efetividade dessa célula. Bombeiros nos ajudaram a fazer melhorias e ela traz muita segurança tanto para o motorista quanto para os passageiros", explica o diretor de operações industriais da empresa, Luciano Resner.

Na construção da carroceria, foi desenvolvido um novo conceito de anéis passantes de segurança em todas as colunas da estrutura, que dão mais resistência do conjunto a impactos e ao capotamento.

Barras oferecem mais segurança em caso de tombamento do ônibus
Barras oferecem mais segurança em caso de tombamento do ônibus. Crédito: Divulgação/Marcopolo

Os carros contam ainda com itens de biossegurança, para evitar contaminações por vírus e bactérias, como desinfecção do sanitário  e  ar-condicionado por  luz  UV-C,  cortinas e  capas  antimicrobianas e layout 1x1x1 (onde há três fileiras de poltronas, o que mantém um distanciamento).

Por ser mais leve, os ônibus G8 consomem menos combustível e, por isso, são menos poluentes. A empresa também substituiu 80% da fibra de vidro (que não é reciclável) por material plástico 100% reciclável.

"Com isso ganhamos com redução de peso. Usamos muitos materiais pensando em sustentabilidade. A nova linha de montagem usa máquina de solda que consome 50% menos energia, o que traz ganhos importantes nas nossas fontes energéticas", diz Resner.

A empresa comentou ainda sobre o impacto da escassez mundial de componentes eletrônicos que atinge fortemente a indústria automotiva. Segundo representantes da Marcopolo, foi feito um planejamento desde o ano passado que permitiu que os efeitos da falta de peças fossem mitigados e que não houvesse grandes impactos na produção, principalmente dos ônibus da nova linha. 

"Na nossa opinião, o pior já passou. Tivemos no início da pandemia problemas e percalços, mas sentimos a cadeia se estabilizando. Existem alguns problemas pontuais e localizados. A gente vê nas notícias as montadoras parando por conta de problemas em conseguir eletrônicos, isso também nos afeta. Mas a tendência até o fim do ano é que isso comece a se normalizar", afirmou o diretor.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Grupo Águia Branca indústria Mobilidade Urbana Negócios

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.