ASSINE

Veja como fica o funcionamento das escolas nas cidades do ES

Escolas podem abrir e ter atividades em municípios com risco baixo e moderado. Caso alguma entre em risco alto, unidades de ensino voltam a ser fechadas

Vitória
Publicado em 25/11/2020 às 17h49
Atualizado em 25/11/2020 às 19h57
Escolas adotam medidas de segurança para volta às aulas
Escolas em cidades de risco moderado para a transmissão do coronavírus poderão abrir e ter atividades presenciais. Crédito: Fernando Madeira

O governador Renato Casagrande anunciou, na manhã desta quarta-feira (25),  que escolas poderão abrir também em cidades com risco moderado para a transmissão da Covid-19, diferente do que havia sido anunciado na última semana, quando Vitória, Cariacica, Viana e Barra de São Francisco entraram para esta classificação - Ecoporanga já estava e permaneceu.

Diante disso, A Gazeta esclarece o funcionamento das instituições de ensino após a nova decisão do governo estadual.

  • Risco baixo: Nesta classificação, escolas públicas e da rede privada estão autorizadas a abrirem e realizarem atividades de forma presencial, desde que sejam seguidos os protocolos de segurança definidos pelo governo estadual;
  • Risco moderado: Anteriormente, o governo havia determinado a suspensão da abertura de escolas para municípios que estivessem nesta classificação de risco. Mas, conforme anúncio do governador Renato Casagrande, unidades de ensino nestas cidades também poderão funcionar de forma presencial a partir desta quinta-feira (26);
  • Risco alto: No risco alto do Mapa de Risco, nenhuma escola, seja ela de rede pública ou privada, poderá abrir caso esteja em algum município classificado nesta faixa de transmissão da doença, devendo realizar as aulas apenas de forma remota.

Questionado se essa é uma mudança provisória, o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, afirmou que se trata da alteração de uma regra que pode ser mudada de acordo com a evolução da pandemia.

“Foi uma alteração de forma coerente. Se a escola é um ambiente seguro, não faz sentido fechar em um ambiente de risco baixo ou de risco moderado. Se as evidências mostrarem que a escola é um problema no risco moderado, essa decisão poderá ser alterada. Mas, hoje, as evidências mostram o contrário, que o ambiente escolar é seguro”, destacou.

Vitor de Angelo destacou ainda que a decisão se deu após diálogo com as entidades representativas do setor e da conclusão de que as escolas não são vetor de transmissão do novo coronavírus.

“É importante a gente pensar que agora estamos mais experientes no enfrentamento da pandemia, na aplicação dos protocolos e de todas as medidas de segurança já cumpridas pelas escolas", disse.

O decreto alterando a regra e oficializando a abertura de escolas em municípios de risco moderado será publicado no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (26).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.