ASSINE

Moradores de Vitória e Vila Velha ficam sem a 2ª dose de Coronavac

Prefeituras precisaram reorganizar a imunização de grupos prioritários por falta de regularidade na entrega de doses pelo Ministério da Saúde

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 24/04/2021 às 13h32
Vacina Coronavac
Vacinação com a Coronavac: atraso na aplicação da segunda dose. Crédito: Carlos Alberto Silva

Moradores de Vitória e Vila Velha começaram a sentir o impacto da diminuição no repasse do Ministério da Saúde aos Estados de novas doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac. O agendamento da segunda dose para o grupo que já esperou o prazo máximo entre a primeira e a segunda aplicação estava previsto para o final desta semana, o que não aconteceu. Nas redes sociais das prefeituras, em publicações sobre o agendamento para novos grupos de capixabas, moradores reclamaram e se preocuparam com o atraso.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (23), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) já havia admitido a possibilidade de atrasos da segunda dose devido à diminuição de repasses das vacinas, e o atraso na produção causado pela falta de insumos. O secretário da pasta, Nésio Fernandes, ainda sinalizou que a entrega para o Estado pode ficar suspensa nas próximas semanas.

"Tivemos por parte do Butantan atraso na disponibilidade do IFA [Insumo Farmacêutico Ativo] da produção das doses, o que poderá acarretar ao longo das próximas três semanas uma suspensão no envio de doses do Butantan necessárias para poder seguir aplicando a 1ª e a 2ª doses", declarou o secretário.

Na última remessa, o Estado recebeu 13.400 doses de Coronavac e 57 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca. 

PREFEITURA DE VITÓRIA

Por nota, a prefeitura de Vitória não confirmou que o atraso para abertura do agendamento se deu por falta de vacinas. A administração informou apenas que está "apurando" o que pode ter acontecido e que, paralelamente, faz buscas ativas para encontrar idosos que ainda não tenham sido vacinados. 

"Desta forma, a Semus recomenda que os moradores de Vitória, com 70 anos ou mais, que já completaram o intervalo de 28 dias entre as doses, e ainda não receberam a segunda dose da vacina contra a Covid-19, entrem em contato com a sua unidade de saúde de referência para que seja feita a programação da regularização da imunização", diz o texto.

Em entrevista para a TV Gazeta, neste sábado (24), o prefeito Lorenzo Pazolini afirmou que espera receber novas doses de imunizantes nas próximas semanas, mas que a aplicação depende das vacinas chegarem. "Nós temos o limite das vacinas que chegam, assim que elas chegam na rede de Vitória as doses são imediatamente aplicadas nos cidadãos."

PREFEITURA DE VILA VELHA

Em Vila Velha, moradores também reclamam da dificuldade de conseguir a segunda dose no prazo que havia sido estipulado para quem se vacinou com a Coronavac. Nas publicações das redes sociais que convocavam para a vacinação com a Astrazeneca, internautas pediam informações sobre o agendamento das segundas doses.

Por nota, a prefeitura informou que precisou suspender os agendamentos para "organização interna", devido à baixa quantidade de doses recebidas. A prefeitura disse, ainda, que vai entrar em contato com aqueles que estão aguardando a segunda dose na próxima semana.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.