ASSINE

Mapa está verde, mas sinal é de alerta, diz Casagrande sobre Covid no ES

Em pronunciamento, o governador chamou a atenção para o aumento no número de casos positivos, de internações e de mortes

Publicado em 23/10/2020 às 19h12
Atualizado em 23/10/2020 às 21h21
Mapa de risco 26 de outubro
O novo mapa de risco tem apenas um município com nível de ameaça moderado . Crédito: Governo do ES

O governador Renato Casagrande, em pronunciamento nesta sexta-feira (23), apresentou o novo mapa de risco e o Espírito Santo aparece quase todo verde, cor que indica menor nível de ameaça para a Covid-19. Dos 78 municípios, apenas Ecoporanga destoa com o amarelo, que representa o risco moderado. Apesar de o cenário parecer favorável, há muitos sinais de alerta que podem levar o Estado a ter que retomar medidas de restrição.  

Casagrande chamou a atenção para indicadores negativos que vêm sendo registrados, como o aumento no número de casos positivos, de internações hospitalares e de mortes. 

"Apesar do mapa quase todo verde, é importante observar alguns números. A positividade dos testes tem aumentado. No pico da doença, chegamos a 70%. De cada 100 amostras, em 70 confirmava a Covid. Há pouco tempo, reduzimos muito e fomos a 26%. Nessas últimas três semanas, estamos chegando a 40%. Um pouco mais às vezes, mas entorno de 40%. Então, tivemos uma positividade muita alta no pico, reduzimos e agora voltamos a subir. Esse é um dado que tem que ser observado. Outro dado é a ocupação dos leitos nos hospitais privados que está com uma demanda mais forte", ressalta.

O governador observa que não se trata de uma segunda onda, como a registrada em países da Europa, mas são indicadores que merecem atenção, e reforçam a necessidade de a população continuar adotando os protocolos de segurança, como o distanciamento social, uso de máscaras e higienização frequente das mãos. 

"Outro dado é que houve um leve crescimento da média móvel nos óbitos, de sete e  14 dias, principalmente na Grande Vitória. A gente observa os números e eles produzem um alerta. Estão emitindo um alerta que a doença não está controlada", frisa. 

VACINAÇÃO

Casagrande adverte ainda que apenas a imunização da população permitirá que as pessoas voltem à normalidade do período pré-pandemia. "Só a vacina vai nos libertar do vírus, e, nos libertando, reduz drasticamente as mortes, retoma as atividades econômicas e sociais com liberdade total. Enquanto não houver vacina, não teremos liberdade total. Um município pode estar com risco baixo hoje, e amanhã ser moderado. É assim no Espírito Santo e em qualquer lugar do mundo. As grandes cidades da Europa estão voltando a tomar medidas de restrição", argumenta o governador.

Para Casagrande, é importante que o governo federal organize um plano nacional de imunização que possa atender todos os brasileiros, assim que for disponibilizada uma vacina considerada eficaz e segura pelas autoridades sanitárias. 

E para essa estratégia, o governador defende que sejam deixados de lado aspectos políticos e ideológicos que possam colocar a população em risco por falta de imunização.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.