ASSINE

Estado se prepara para imunizar a população contra a Covid-19 em 2021

Secretário da Saúde, Nésio Fernandes explica que o governo já preparou a aquisição de seis milhões de seringas para garantir vacinação

Nésio Fernandes destaca que o ES tem 493 salas de vacina espalhadas em todos os municípios capixabas
Nésio Fernandes destaca que o ES tem 493 salas de vacina espalhadas em todos os municípios capixabas . Crédito: Governo do Estado/Divulgação

A vacina contra a Covid-19 é aguardada com ansiedade por toda a população, mas antes mesmo que ela esteja disponível é necessária uma preparação logística para sua distribuição e aplicação, a qual o Governo do Estado, liderado por Renato Casagrande, já se adiantou.

O secretário de Saúde, Nésio Fernandes, explica que o governo preparou a aquisição de 6 milhões de seringas para vacinação em 2021. “Atentos ao alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o risco de falta de insumos para as campanhas nacionais de imunização do mundo em 2021, já finalizamos nosso processo de compra. Atualmente, temos para a pronta-entrega, com o fornecedor, a garantia de 1,5 milhão de seringas e seis milhões de seringas em até 60 dias”, explica o secretário.

Ainda segundo Nésio Fernandes, é importante destacar as competências dentro desse processo. “Ao Governo Federal cabe a compra e distribuição de vacinas, aos Estados, a compra das seringas e aos municípios compete realizar a vacinação com os insumos e produtos distribuídos pela União e pelo Estado. Dentro do plano estadual de imunização, pactuaremos com os municípios uma estratégia adequada, com agendamento, com busca ativa nos grupos que serão prioritários para que, assim que as vacinas estiverem disponibilizadas, iniciarmos de maneira oportuna a vacinação."

Apesar de não possuir atividade estatal de produção e comercialização de produtos e insumos farmacêuticos, o Estado monitora as candidatas à vacina em desenvolvimento, diante do dinamismo do cenário com a rápida evolução das pesquisas científicas na perspectiva de uma vacina segura e eficaz contra o vírus.

Estados que realizaram acordos para comercialização da vacina, como Paraná, São Paulo e Bahia, possuem Fundações, Institutos e Entidades Públicas ligadas a indústria de medicamentos, testes, vacinas e comercialização de produtos medicinais. Esses estados atuam como mediadores da produção/comercialização dos itens citados, em especial ao Ministério da Saúde (MS), que disponibilizará a vacina adquirida via Programa Nacional de Imunização.

“Fazemos parte de um sistema de saúde único. Cremos que as vacinas deverão ser distribuídas a todos os estados quando aprovadas e nos empenharemos para imunizar a população nas 493 salas de vacina que temos espalhadas em todos os municípios capixabas”, destaca Nésio Fernandes.

Experiência em vacinação joga a favor

O Espírito Santo tem um histórico de experiências exitosas em vacinações emergenciais, como foi o caso da febre amarela em 2017. Na época, 3 milhões de capixabas foram vacinados em três meses. Contra a Covid-19, a expectativa é que 1 milhão de pessoas sejam vacinadas por mês no Estado.

“Temos capacidade logística implementada. Em quatro anos, por exemplo, distribuímos aos municípios mais de 25 milhões de seringas para atender as mais diversas campanhas de vacinação que constam no calendário do Programa Nacional de Imunização”, observa Nésio Fernandes.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.